conecte-se conosco


CIÊNCIA E SAÚDE

Hospitais de Iturama são fiscalizados pelo Crea-MG

Publicado em

CIÊNCIA E SAÚDE

Ação do Conselho vai ampliar a fiscalização em empreendimentos hospitalares em todo o estado com o objetivo de oferecer mais segurança para pacientes e colaboradores.

A engenharia, e até mesmo a agronomia, estão bem mais presentes nos hospitais do que se possa imaginar. A atuação do profissional da área é obrigatória para realizar desde a manutenção de equipamentos, à instalação de infraestrutura, passando pela aquisição de equipamento com melhor custo benefício, até o gerenciamento adequado de impactos ambientais. E em tempos de pandemia de covid-19, esse trabalho é ainda mais importante, tendo em vista a grave crise sanitária que o Brasil atravessa.

          Para garantir a presença do profissional habilitado à frente desses serviços, o Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Minas Gerais (Crea-MG), iniciou em março de 2021, uma ação para ampliar a fiscalização em empreendimentos hospitalares em todo o estado. Em Iturama, três unidades hospitalares foram alguns dos quase 700 hospitais de Minas que já receberam o ofício solicitando a documentação, que corresponde à primeira etapa da fiscalização do Conselho. 

O gerente da Divisão de Fiscalização do Crea-MG, engenheiro eletricista Nicolau Neder, explica que os fiscais verificam se as empresas prestadoras de serviço possuem registro no Conselho, se os profissionais responsáveis têm atribuições para tais serviços e se emitiram suas Anotações de Responsabilidade Técnica (ARTs). Também verificam se as atividades como manutenção de sistemas de ar condicionado, geradores de energia, caldeiras, aparelhos eletromecânicos, de hemodiálises, ultrassonografia, nobreaks, grupo motor gerador, aquecimento de água, vasos de pressão, equipamentos de combate a incêndio e médico-hospitalares têm responsável técnico legalmente habilitado. “Para realizar a manutenção nestes equipamentos e desempenhar um bom serviço, os profissionais precisam ser habilitados, ter formação adequada. O nosso objetivo é que todos usuários recebam serviços seguros e de qualidade”, destaca Nicolau.

Leia mais:  Uberaba participa de capacitação do Programa de Liderança para Retomada Econômica pós-pandemia

          Além de oferecer mais segurança para pacientes e colaboradores, o hospital fiscalizado tem mais credibilidade, confiabilidade e boa reputação. O presidente do Crea-MG, engenheiro civil Lucio Borges, reforça que o papel de cada profissional numa unidade hospitalar deve ser conhecido por todos para que se entenda a importância dessa atividade. “A engenharia está presente em quase todas as áreas de nossas vidas, inclusive nos hospitais, e a atuação do profissional habilitado é necessária para garantir segurança e o bom funcionamento destas unidades. A fiscalização do Crea vai atuar justamente para verificar essa presença”, pontua.

Etapas

A fiscalização está dividida em quatro etapas. Em um primeiro momento, o Crea-MG solicita, por ofício, a relação do quadro técnico de profissionais das áreas de engenharia, agronomia e geociências e a relação de contratos de serviços dessas áreas nos hospitais. Em seguida, o hospital reúne as informações solicitadas e se tiver alguma dúvida deve entrar em contato com o Conselho. Depois, por meio do hotsite http://www.crea-mg.org.br/especial/fiscalizar-hospital/, o hospital envia os dados e documentos solicitados. E por fim, o Conselho verifica as informações, instaura os processos de fiscalização e divulga os resultados no hotsite.

Leia mais:  Fernandópolis chega ao 10º óbito e 580 casos de coronavírus

          Essa é uma ação que está sendo realizada por todos os Creas do Brasil e que foi definida por meio de uma Decisão Plenária do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Confea), que determina que seja ampliada a fiscalização em empreendimentos que demandam serviços de engenharia, agronomia e geociências com o objetivo de proteger a vida. A meta estipulada é fiscalizar 100% dos hospitais do país até 31 de dezembro de 2021.

Por: Assessoria de Imprensa

Comentários Facebook
Propaganda

CIÊNCIA E SAÚDE

Mais de 100 mil doses da Coronavac chegam a Minas Gerais

Publicados

em

Os imunizantes serão utilizados na retomada da vacinação de quem já recebeu a primeira dose.

Na manhã deste sábado (8/5), chegou ao estado a complementação da 18ª remessa da vacina contra a covid-19, em mais uma etapa da maior operação de vacinação da história de Minas Gerais. As 100.200 doses da Coronavac desembarcaram no Aeroporto de Confins e são destinadas à aplicação da segunda dose. A primeira parte dessa remessa chegou na última quinta-feira (5/5), com 396.500 doses da vacina AstraZeneca.

“As doses que chegaram hoje e as que estão previstas para a próxima semana serão suficientes para que os municípios retomem a vacinação das pessoas que só tomaram a 1ª dose da Coronavac e assim alcancem a imunidade. É importante que aqueles que só receberam a primeira dose, mesmo já ultrapassados os 28 dias de intervalo recomendado, se encaminhem ao posto de saúde para receber a segunda dose da vacina. A imunidade só é alcançada com a aplicação das duas doses da Coronavac”, afirmou o secretário de Estado de Saúde, Fábio Baccheretti.

Logística

Os imunizantes da Coronavac foram levados para a Rede de Frio estadual, em Belo Horizonte, e de lá serão distribuídos para as 28 Unidades Regionais de Saúde (URSs) a partir de segunda-feira. A logística de distribuição do 18º lote para as URSs segue diretrizes da maior operação de vacinação da história de Minas Gerais.

Leia mais:  Polícias de Frutal e Itapagipe desenvolveram a Operação Campo Seguro

Com esta remessa, Minas Gerais totaliza o recebimento de 8.030.340 doses de vacina contra a covid-19. A chegada de milhares de doses de vacina da AstraZeneca e também da Pfizer, nos últimos dias, vai permitir que Minas Gerais avance ainda mais na imunização dos grupos prioritários.

Ranking

Durante a coletiva de imprensa realizada  sexta-feira (7/5), Fábio Baccheretti informou que Minas Gerais ocupa o 6º lugar em vacinação proporcional da população. Em março, o estado ocupava o 17º lugar. “Estamos subindo, melhorando, e o papel dos municípios é fundamental para este desempenho”, afirma o secretário.

A distribuição das doses pode ser acompanhada no site do Vacinômetro da SES-MG: https://coronavirus.saude.mg.gov.br/vacinometro.

Acompanhe o quantitativo de cada remessa:

1ª remessa
577.480 doses da CoronaVac em 18/1/2021

2ª remessa
190.500 doses de AstraZeneca em 24/1/2021

3ª remessa
87.600 doses da CoronaVac em 25/1/2021

4ª remessa
315.600 doses da CoronaVac em 7/2/2021

5ª remessa
220.000 doses da AstraZeneca e 137.400 doses da CoronaVac em 23/2/2021

6ª remessa
285.200 doses da CoronaVac em 3/3/2021

Leia mais:  Profissionais de saúde do Hospital de Base recebem 2ª dose da CoronaVac em Rio Preto

7ª remessa
303.600 doses da CoronaVac em 9/3/2021

8ª remessa
509.800 doses de CoronaVac em 17/3/2021

9ª remessa
86.750 doses da AstraZeneca e 455.800 doses da CoronaVac em 20/3/2021

10ª remessa
116.600 doses de AstraZeneca e 359.000 doses de CoronaVac em 26/3/2021

11ª remessa
73.250 doses de AstraZeneca e 943.400 doses de CoronaVac em 1/4/2021

12ª remessa
257.750 da AstraZeneca e 220.400 da Coronavac, em 8/4/2021

13ª remessa
426.000 da AstraZeneca e 275.200 da CoronaVac, em 16/4/2021

14ª remessa
316.750 doses da AstraZeneca e 73.800 da CoronaVac, em 23/4/2021

15ª remessa
578.000 doses da AstraZeneca e 11.800 doses da Coronavac, em 29/4/2021

16ª remessa
30.400 doses da Coronavac, em 1/5/2021 e 676.250 doses da AstraZeneca, em 03/5/2021

17ª remessa
50.310 doses da Pfizer, em 03/5/2021

18ª remessa
396.500 doses da AstraZeneca, em 06/5/2021 e 100.200 doses da Coronavac, em 08/5/2021

Total: 8.030.340 doses

Por: Agência Minas

Comentários Facebook
Continue lendo

ITURAMA E REGIÃO

POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

Mais Lidas da Semana