conecte-se conosco


CIÊNCIA E SAÚDE

Conselho Regional de Odontologia e produtores rurais doam mais de 300 cestas em Patos de Minas

Publicado em

CIÊNCIA E SAÚDE

Segundo os responsáveis pela doação, o gesto é um modo de retribuir os esforços que o poder público está fazendo para vacinar a população e também ajudar quem mais está precisando.

O Conselho Regional de Odontologia e produtores rurais se uniram em uma campanha e arrecadaram mais de 300 cestas básicas que serão destinadas às famílias carentes de Patos de Minas. São mais de 1.800 famílias vivendo em extrema pobreza na cidade. Segundo os responsáveis pela doação, o gesto é um modo de retribuir os esforços que o poder público está fazendo para vacinar a população e também ajudar quem mais está precisando.

Foi preciso um caminhão para conseguir guardar tantas cestas de alimentos. Cestas essas que serão divididas por setores da cidade e entregues às famílias de baixa renda. De acordo com a Delegada do Conselho Regional de Odontologia, Anne Oliveira, o objetivo é contribuir um pouco com as pessoas mais necessitadas, principalmente neste momento de pandemia que estamos passando. Segundo ela, o gesto também foi uma forma de fazer algo pela sociedade, uma vez que eles já foram vacinados por serem profissionais de saúde.

Leia mais:  Pacientes expressam gratidão a colaboradores da Santa Casa Fernandópolis

Segundo a Secretária de Desenvolvimento Social, Jorgiane de Souza, serão quase 1.208 famílias beneficiadas. Ela ainda disse que o critério de escolha faz famílias se deu em razão das que já estão inscritas no cadastro único. Jorgiane explicou que são muitas famílias que vivem em situação de vulnerabilidade em Patos de Minas. Ela disse que muitas famílias, que vivem abaixo da linha da pobreza ou extrema pobreza que ainda não estejam cadastradas no cadastro único, que procurem a secretaria e realizem o cadastro o quanto antes para que assim possam receber doações entre outros benefícios.

O Prefeito Luís Eduardo Falcão disse que a ajuda veio em excelente hora. Segundo o chefe do executivo, por mais que a prefeitura faça pela população, é impossível realizar tudo de maneira só e que ajudas como essa alimentam ainda mais a esperança em dias melhores. Falcão enfatizou que Patos de Minas possui 10.609 famílias que vivem abaixo da linha da pobreza na capital do milho e que essas pessoas necessitam de uma atenção maior.

Leia mais:  UNIFEV abre novas datas para Vestibular Agendado

Os envolvidos se reuniram também para organizar a melhor estratégia de distribuição das cestas básicas. As famílias irão começar a receber os alimentos ainda hoje.

Por: Patos hoje

Comentários Facebook
Propaganda

CIÊNCIA E SAÚDE

Triângulo do Norte regride e Sudeste avança de fase no Minas Consciente

Publicados

em

Estado tem 12 das 14 macrorregiões na onda vermelha do plano.

O Comitê Extraordinário Covid-19, grupo que se reúne semanalmente para avaliar a situação da pandemia no estado, definiu nesta quinta-feira (17/6) que a macrorregião Triângulo do Norte deve regredir para a onda vermelha do Minas Consciente. A decisão foi tomada após a piora dos indicadores.

Por outro lado, a macrorregião Sudeste apresentou melhora nos índices da doença e poderá avançar para a onda amarela, se juntando à macrorregião do Vale do Aço. Desta forma, o Estado tem 12 das 14 macrorregiões de saúde na onda vermelha e duas na etapa intermediária do plano. Na média estadual, a taxa de incidência cresceu 13% nos últimos 14 dias.

Das macrorregiões que estão na onda vermelha, cinco apresentam dados mais preocupantes e, por isso, estão enquadradas nos critérios de classificação pelos cenários epidemiológico e assistencial. Assim, as macros Sul, Centro-Sul, Leste do Sul, Oeste e Nordeste – esta última a partir desta semana – passam por análise ainda mais minuciosa dos indicadores Incidência e Espera por Atendimento, para identificar as tendências de piora na transmissão da doença e na ocupação de leitos e possíveis filas.

Leia mais:  Pacientes expressam gratidão a colaboradores da Santa Casa Fernandópolis

Enfrentamento

Para reforçar o enfrentamento à pandemia nessas localidades com situação mais crítica, ações específicas têm sido desenvolvidas pelo Governo de MinasSecretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG). Entre elas: transferência de pacientes, diagnóstico para ampliação de leitos, monitoramento de casos e envio de forças-tarefas para os municípios.

“Estamos empenhados para acelerar o ritmo de vacinação. Minas é o estado que mais aplicou doses. Mas é preciso que a população continue fazendo a sua parte, se protegendo e protegendo os outros. Uso de máscara, higienização das mãos e distanciamento são medidas necessárias mesmo entre as pessoas que já tomaram a vacina. A pessoa vacinada pode pegar o vírus e pode transmiti-lo”, alertou o secretário de Saúde, o médico Fábio Baccheretti.

Cenário crítico x queda de indicadores

O secretário de Saúde destacou a queda na positividade dos exames para covid-19 em relação aos meses de março e abril deste ano. Também foi observada redução na solicitação de transferências por leitos de UTI. Apesar de os dados monitorados pela Sala de Situação apontarem que a incidência da doença no estado continua alta, os óbitos e a espera por leitos não acompanham a mesma tendência, o que, segundo Baccheretti, é um bom sinal. Hoje, 131 pacientes aguardam na fila por um leito de UTI para tratamento de covid.

Leia mais:  Sistema de atendimento a traumas e emergências em Uberlândia completa um ano com aumento de 28% em atendimentos

Fábio ressaltou que os óbitos entre idosos também caíram, “o que já mostra os efeitos positivos da vacina”. Outra boa notícia é que o oxigênio já não é uma restrição para a abertura de leitos.

Força-Tarefa

O secretário de Saúde destacou ainda a atuação das forças-tarefas em 23 municípios, com o intuito de ajudar a organizar fluxos assistenciais, fazer diagnósticos sobre a situação local e propor ações para que o suporte assistencial seja garantido. Em parceria com a Fundação João Pinheiro (FJP), a SES-MG também tem desenvolvido ações específicas de comunicação social e distribuição de máscaras em várias cidades do interior.

Por: Agência Minas

Comentários Facebook
Continue lendo

ITURAMA E REGIÃO

POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

Mais Lidas da Semana