conecte-se conosco


POLÍTICA

Bolsonaro acumula 99 ataques à imprensa em 2019, diz Fenaj

Publicado em

POLÍTICA

source
Print da live de Bolsonaro mostrando ele irritado arrow-options
Reprodução/Facebook

Nesta semana, Bolsonaro fez uma live e atacou a TV Globo após reportagem que ligou ele á morte de Marielle Franco

Um levantamento divulgado pela Federação Nacional dos Jornalistas (Fenaj) nesta sexta-feira (1º) mostra que o presidente Jair Bolsonaro fez 99 ataques à imprensa em 2019. De acordo com o levantamento da entidade, os ataques a algum veículo de comunicação ou a um jornalistas foram feitos ao menos duas vezes a cada semana neste ano.

Os dados foram leventados com base nas declarações do presidente nos discursos do presidente, em entrevistas oficiais e em publicações no Twitter e no Facebook . Como as contas nas redes sociais são vinculadas uma à outra, nesse caso foi feita uma contabilização para cada ocorrência registrada. Foram avaliadas todas as ocasiões em que o presidente se refere a jornalistas, mídia, imprensa e produção de notícias.

A Fenaj publica o levantamento um dia antes do Dia Internacional pelo Fim da Impunidade dos Crimes contra Jornalistas , lembrado em 2 de novembro. A ideia é que o relatório seja publicado a partir de hoje em todo início de mês. “A Fenaj e todas as instituições que prezam pela democracia não podem aceitar a institucionalização da violência contra jornalistas e das ameaças à liberdade de imprensa como prática de um governo”, afirma a presidenta da Fenaj, Maria José Braga.

Leia mais:  Bolsonaro tem aprovação de 18% a 66% nas capitais do Brasil, aponta Ibope

Nesta semana, Bolsonaro fez dois ataques a veículos de comunicação. O primeiro deles foi à TV Globo após uma reportagem do Jornal Nacional que ligou o presidente ao assassinato da ex-vereadora carioca Marielle Franco , morta em 2018.

Leia também: Perícia que contradisse porteiro de condomínio de Bolsonaro tem lacunas

A reportagem dizia que um porteiro do condomínio onde Bolsonaro tem casa afirmou que o presidente autorizou a entrada de Élcio Queiroz no local. Ele é suspeito de envolvimento na morte de Marielle. Em depoimento à Polícia Civil do Rio de Janeiro, o funcionário, que está tendo sua identidade preservada, disse, no entanto, que Élcio teria se dirigido à casa de Ronnie Lessa, suspeito de ter efetuado os disparos contra Marielle e o motorista Anderson Gomes.

A outra ameaça foi ao jornal Folha de São Paulo . Em entrevista ao programa Brasil Urgente , da TV Bandeirantes, Bolsonaro disse que mandou cancelar todas as assinatutas da publicação no Planalto . O presidente afirmou não dá para confiar no jornal e que a publicação “envenena o governo”.

Leia mais:  Militares atacam STF por 'pressão' a Bolsonaro e falam em guerra civil

O apresentador José Luís Datena chegou a questionar o presidente se isso não era uma forma de censura, mas ele negou. “Não é uma forma de censura, nada.”

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA

Daniel Silveira e blogueiro bolsonarista são cotados pelo PTB para o Senado

Publicados

em

Por

source
Daniel Silveira (PSL-RJ) está em prisão domiciliar por divulgar vídeo com ameaças a ministros do STF
Vinicius Loures/Câmara dos Deputados

Daniel Silveira (PSL-RJ) está em prisão domiciliar por divulgar vídeo com ameaças a ministros do STF

O PTB de Roberto Jefferson articula as candidaturas do blogueiro bolsonarista Oswaldo Eustáquio e do deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) para o Senado nas eleições de 2022, além de cogitar também o nome do ex-senador Magno Malta . As informações são do Congresso em Foco .

Silveira, réu no Supremo Tribunal Federal (STF) por incitar violência física contra ministros da própria corte, está em prisão domiciliar com usa tornozeleira eletrônica tem discurso alinhado ao de Roberto Jefferson.

No final de fevereiro, ele chegou a anunciar a filiação do deputado fluminense ao partido. Até hoje, porém, Silveira continua no PSL e poderia perder o cargo caso mudasse de partido.

Magno Malta, que um dia já foi cotado a vice-presidente de Jair Bolsonaro (sem partido) em seu primeiro mandato, hoje tem pouca participação política e ainda se mantém filiado ao PL (Partido Liberal).

Leia mais:  Lula se reúne com Alessandro Molon para discutir frente ampla contra Bolsonaro

Comentários Facebook
Continue lendo

ITURAMA E REGIÃO

POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

Mais Lidas da Semana