conecte-se conosco

Entretenimento

Sophia Abrahão fala das dificuldades do “Se Joga”, planos na Globo, Lula e mais

Publicado

source

Sophia Abrahão comandou o “Vídeo Show”, que chegou ao fim em janeiro deste ano e deu espaço para o  “Se Joga” alguns meses depois. Para falar sobre os futuros planos de carreira e o que achou da substituição do programa, a artista deu uma entrevista exclusiva ao iG Gente . Ela ainda fala sobre casamento com Sérgio Malheiros e o que achou da saída de Lula da prisão. 

Sophia Abrahão arrow-options
Reprodução/Instagram/Sophia Abrahão

Sophia Abrahão deu uma entrevista para falar sobre as dificuldades do “Se Joga”, planos na Globo, casamento e Lula

Depois da Saída do “Vídeo Show”, Sophia Abrahão , que está em Hamburgo, na Alemanha, para a inauguração do novo navio da MSC, o Grandiosa, diz que a vida está corrida. “É do jeito que eu gosto. Acabei de fazer uma participação bem legal na “Malhação”, como eu mesma. Daqui a pouco, estou fazendo um projeto também na TV. Estou na casa, contratada”, diz a atriz.

Ela também comanda um podcast. “Chama ‘pode chegar’, que tá muito legal fazer. Estou amando fazer. Fala sobre atualidade, comportamento, parte social. Tem também o clube do livro, um projeto em que a gente escolhe, democrâtico, um título por mês e a gente lê o escolhido e, no final, faz uma grande live para debater sobre o assunto”, pontua. 

Leia mais:  Giovanna Antonelli posta retrospectiva e encanta web

“Se Joga” e “Vídeo Show”

Sobre a decisão da Globo de colocar o ” Se Joga “, Sophia acha que faz parte da transição. “O ‘Vídeo Show’ era uma programa muito tradicional na casa. Acho que o trio de apresentadores é muito competente. Já vi que o público tá se amarrando no programa agora. Toda transição tem aquele momento em que o público vai se acostumando”, diz.

Enquanto estava no “Vídeo Show”, Sophia apresentou, por algum tempo, espaço com ex-Big Brothers. “Acho que as meninas tinham muita habilidade com a comunicação. Diferente da minha carreira, que foi iniciada pela atuação, a delas foi pelo Big Brother. Mas, a partir dela, se tornaram repórteres, comunicadoras e apresentadoras”, ressalta.

“Toda mudança tem uma fase de adaptação. Eu acho que a gente passou por isso. Na nova reformulação depois da Copa, o público estranhou no começo. Depois, as coisas andaram e eu só tenho que parabenizar as meninas Além disso, elas são muito legais. Foi um período muito bom, de muito aprendizado”, continua. 

Leia também: Marcelo Adnet simula assédio ao imitar Silvio Santos no “Se Joga”

Ao longo do tempo que apresentou o programa, Sophia conta que chegou a apresentá-lo com mais de 27 pessoas. “A gente contabilizou que, no final do ‘ Vídeo Show ’, a gente sempre tinha de dois a três apresentadores convidados por semana, que eram atores de casa. Foi uma coisa de ‘se vira nos 30 mesmo’, mas foi muito enriquecedor”, destaca. 

Leia mais:  Thiago Martins mostra boa forma em resort ao lado de Naldo Benny

Casamento e planos de voltar a cantar

Sophia Abrahão arrow-options
Reprodução/Instagram/Sophia Abrahão

Sophia Abrahão e Sérgio Malheiros

Entre tantos assuntos, a atriz também comentou sobre a relação com o ator Sérgio Malheiros , com quem está há cinco anos. “A relação está ótima. A gente já mora junto há uns quatro anos, então estamos casados, praticamente. Queremos oficializar, mas não sabemos quando”. diz. Sobre filhos, eles querem ter uns dois, no mínimo, “mas quem sabe uns três.”

Sobre os planos de voltar a cantar, ela diz que está publicando alguns vídeos cantando o Sérgio, em casa. No entanto, Sophia acha que a carreira de cantora é muito séria e demanda um foco total. “Nesse momento, não estou focada nela, mas vou continuar com os vídeos e, quem sabe, daqui a pouco eu estou lançando alguma coisa”, diz.

Leia também: Lula está livre e famosos comemoram a soltura do ex-presidente na web

Saída de Lula da prisão

Sobre a saída do ex-presidente Lula da prisão, Sophia Abrahão comenta como recebeu a notícia. “Eu acho que a lei tem que ser cumprida e, se essa é a lei, faça-se a lei”, finaliza.

Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
publicidade

Entretenimento

Além de “Madeleine”, outras cinco séries que narram crimes reais

Publicado

por

source

Treze anos depois,  a polícia alemã identificou um novo suspeito  pelo desaparecimento de Madeleine McCann . Com o novo desdobramento no caso, a procura pela série da Netflix que conta os bastidores das investigações do crime, que aconteceu em 2007, aumentou. Se você gosta de casos reais e tem estômago para saber em detalhes várias barbaridades que já aconteceram no mundo criminal, vai querer maratonar também essas produções:

Leia também:
O mundo era outro quando “Chocolate com Pimenta” estreou
Confira 8 produções para entender mais sobre o racismo
A luta antirracista narrada em 5 livros de autores negros

“The Trials of Gabriel Fernandez”


Em “The Trials of Gabriel Fernandez”, ou “Os Julgamentos de Gabriel Fernandez ” em português, a Netflix apresenta um relato completo e documentado do que aconteceu com o garoto, de origem latina, que vivia em Palmdale, norte de Los Angeles, EUA.

Através dos seis episódios, o documentário detalha as investigações feitas por assistentes sociais do país, que acabaram descobrindo que a criança sofria constantemente com abusos domésticos antes de ser morto pela mãe e pelo padastro, que desconfiavam da sexualidade do menino.

“Investigação Criminal”


A produção mostra como delegados, peritos e legistas conseguiram encontrar respostas para crimes que abalaram o Brasil. Entre eles, estão casos como os de Isabella Nardoni, Suzane Von Richthofen , Eloá, Maníaco do Parque, João Hélio, Farah Jorge Farah, Caroline Silva Lee, do serial killer de Itaquaquecetuba, do crime da Rua Oscar Freire e vários outros.

Leia mais:  Cauã Reymond vai viver drogado e órfão em nova novela das 21h

Produzidas pela  A&E  e antes disponíveis na Netflix , as nove temporadas, totalizando mais de 70 espisódios, estão agora no  Looke , serviço de streaming brasileiro.

“Conversando com um serial killer”


Ted Bundy foi um dos serial killers mais emblemáticos dos Estados Unidos. Nos anos 1970, ele foi responsável pelo assassinato brutal de dezenas de mulheres. Mesmo 50 anos depois, ele ainda desperta fascínio e espanto no público.

Produzida pela Netflix em 2019, a série reúne uma série de entrevistas atuais com policiais, jornalistas, advogados e até amigos de Ted, materiais de arquivo e gravações de áudio que traçam o perfil do criminoso. Os quatro episódios de “Conversando com um serial killer” estão disponíveis no serviço de streaming.

“Gênio do Mal: A Verdadeira História do Assalto a Banco Mais Diabólico da América”


Em 2003, nos Estados Unidos, um entregador de pizza entrou num banco com uma bomba em seu corpo e uma estranha bengala. Após anunciar o assalto, vem a parte mais assustadora da história: o homem simplesmente explodiu.

Leia mais:  Glamour Garcia fala pela primeira vez sobre sucessivas agressões do ex

A série documental produzida e disponível na Netflix  explora o que há por trás do misterioso caso do ” pizza bomber “, como veio a ser chamado. A história real deixou muitas dúvidas – Ele estava por trás do roubo? Era a vítima? O que deveria fazer? Com um minucioso trabalho de pesquisa e acervo, a produção tenta solucionar algumas destas questões.

“Marielle – O Documentário”


A série documental conta a vida e a morte da vereadora do Rio de Janeiro, Marielle Franco , e de seu motorista, Anderson Gomes , em um atentado em 2018. Até hoje, o crime não foi solucionado e o culpado está impune.

Original Globoplay , a produção registra momentos íntimos da vida da vereadora e do motorista, construíndo uma narrativa até o assassinato da dupla. São seis episódios, que variam entre 45 e 60 minutos, compostos por entrevistas com os familiares das vítimas, policiais, jornalistas que cobriram o caso, procuradores e autoridades políticas e outros materiais inéditos.

Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana