conecte-se conosco

Tecnologia

Samsung e LG apostam em TVs com inteligência artificial e resolução 8K na CES

Publicado

As televisões são um dos principais atrativos da CES, a maior feira de tecnologia do mundo, que acontece em Las Vegas, nos Estados Unidos.

Nesta segunda-feira (6), no dia de apresentações para a imprensa, LG e Samsung mostraram suas novas TVs. As duas empresas coreanas estão apostando em aparelhos com resolução 8K e inteligência artificial.

A LG mostrou uma linha de TVs OLED com resolução 4K e 8K. Os modelos de 48, 77 e 88 polegadas possuem inteligência artificial, que adaptam a imagem de acordo com o tipo de programação.

LG apresenta TV com inteligência artificial na CES 2020 — Foto: Divulgação

LG apresenta TV com inteligência artificial na CES 2020 — Foto: Divulgação

Uma outra TV, de 65 polegadas, se destaca pela espessura, de apenas 20 milímetros – ou 2 cm. A LG diz que ao usar um suporte de parede que acompanha o produto, o aparelho fica praticamente nivelado com a parede.

Há inteligência artificial para imagem e som. A primeira, por exemplo, é capaz de reconhecer rostos na tela, ajustando cada um para produzir tons de pele mais naturais. Quando há textos, a TV se adapta para que a leitura seja mais clara.

Leia mais:  Xiaomi Mi 10 vaza na web: veja imagens do celular chinês

Já o áudio pode ser classificado em cinco categorias: filmes, música, esportes, teatro ou notícias. O aparelho é capaz de filtrar as palavras e isolar o som delas, para que a compreensão seja mais fácil.

Conterrânea da LG, a Samsung também apresentou sua linha de TVs com inteligência artificial. Além dos recursos semelhantes aos da rival, a empresa irá apostar em comandos de voz.

Em seu modelo mais avançado, Q950, a proporção entre tela e borda é de 99%. A empresa diz que, a uma determinada distância, a visão é semelhante a de “tela infinita”. Outra vantagem, segundo a fabricante, é a espessura de apenas 15 milímetros – menos até do que a rival da LG.

Televisão da Samsung tem apenas 1,5 cm de espessura — Foto: Divulgação

Televisão da Samsung tem apenas 1,5 cm de espessura — Foto: Divulgação

Outras novidades são os modelos MicroLED, que possuem melhor qualidade de imagem e maior durabilidade, na comparação com similares OLED.

Inicialmente, a Samsung irá ofertar 5 tamanhos: 75, 88, 93 , 110 e 150 polegadas.

A CES também marcou a apresentação nos Estados Unidos da The Sero, uma televisão que gira e pode ficar na vertical. Ela foi mostrada pela primeira vez no ano passado, exclusivamente para a Coreia do Sul. Agora, a fabricante promete oferecer o modelo em outros mercados.

Leia mais:  Melhor que Black Friday: Dia dos Solteiros chega ao Brasil com descontos de 70%
The Sero, TV da Samsung que gira e pode ficar na vertical — Foto: Glenn Chapman/AFP

The Sero, TV da Samsung que gira e pode ficar na vertical — Foto: Glenn Chapman/AFP

A The Sero foi criada para um público jovem, acostumado a consumir conteúdo em telas verticais, como a de celulares.

Vale lembrar que as TVs 8K têm resolução quatro vezes melhor do que as 4K, e 16 vezes melhor do que aparelhos HD. No entanto, boa parte da programação transmitida atualmente ainda não tem essa qualidade.

No entanto, quando a TV possui inteligência artificial, esta analisa as imagens e melhora a qualidade. Por exemplo, uma imagem Full HD (1080p) ficaria melhor em uma TV 8K com inteligência artificial. Isso acontece porque o sistema de reconhecimento da imagem faria um “upgrade” da imagem.

Por G1

Comentários Facebook
publicidade

Tecnologia

Anúncios, ingressos e convites falsos: como estão agindo golpistas do WhatsApp e quais cuidados tomar

Publicado

Golpistas estão ampliando as táticas para conseguir invadir contas do WhatsApp, se passar pelo usuário e extorquir dinheiro de parentes, amigos e contatos do dono da conta. O esquema não é novo: existem relatos pelo menos desde 2017.

Recentemente, a empresa de segurança Kaspersky relatou que, em alguns casos, os criminosos ligavam para as vítimas e ofereciam ingressos ou convites para festas, solicitando apenas que confirmassem um código que supostamente eles tinham enviado por SMS.

Na verdade, se tratava do código de ativação que o WhatsApp manda quando se quer ativar o aplicativo em outro aparelho. Ao descobrirem o código, informado pela própria vítima, os criminosos passam a ter acesso à conta dela no app.

O que é o código de ativação do WhatsApp?

Quando você instala o WhatsApp em um aparelho novo (ao trocar de celular, por exemplo) e coloca seu número de telefone, vai receber uma mensagem SMS nesse número, dentro de alguns segundos.

Mensagem de SMS traz código de seis dígitos que ativa o WhatsApp e alerta para que usuário não o compartilhe. — Foto: ReproduçãoMensagem de SMS traz código de seis dígitos que ativa o WhatsApp e alerta para que usuário não o compartilhe. — Foto: Reprodução

Mensagem de SMS traz código de seis dígitos que ativa o WhatsApp e alerta para que usuário não o compartilhe. — Foto: Reprodução

Ela informa um link e um “código do WhatsApp”, para ativar a conta — é um número criado pelo próprio aplicativo (o Facebook também usa esse recurso, por exemplo).

Isso é uma medida de segurança do app, justamente para evitar que outras pessoas tentem usar a sua conta.

Caso receba uma mensagem de ativação de código que você não pediu, nada vai acontecer se você simplesmente ignorá-la. Mas jamais forneça esse código a ninguém.

O WhatsApp diz que criou um alerta nas mensagens que são enviadas com o código, “avisando seus usuários a não compartilharem o código recebido via SMS, uma vez que essa senha é pessoal e dá ao usuário a segurança de acesso”.

Leia mais:  Câncer de mama: inteligência artificial bate médicos em diagnósticos

Esse aviso, por enquanto, só está disponível em smartphones Android, mas chegará “em breve” aos iPhones, informa o WhatsApp.

Tentativas de burlar o sistema

Cada número pode ter apenas uma conta no WhatsApp e, por isso, os golpistas bolam maneiras e usam informações disponíveis sobre os donos do número para tentar convencer as pessoas a entregar o código recebido.

Segundo o especialista em segurança digital e colunista do G1, Altieres Rohr, eles têm se aproveitado de informações públicas, como anúncios na web que contêm o número da vítima, para ligar ou enviar mensagens falsas em nome dos serviços, pedindo o código.

Isso faz a vítima pensar que um serviço que ela usa está solicitando alguma verificação de conta. É uma atitude parecida com a pessoa que dá informações sobre sua conta bancária, pensando estar falando com o banco.

E se você passar o código?

Quando o código é fornecido, os golpistas já estão com um celular em mãos, prontos para ativar o WhatsApp. E aí eles dão um jeito de tirar o acesso da vítima ao aplicativo.

Para isso, geralmente, ativam a confirmação em duas etapas, que é outra proteção do WhatsApp.

Ela funciona como se fosse uma senha: neste caso, o usuário é quem cria um código de 6 dígitos e ele será solicitado em seguida, para continuar usando o app. Depois, vai ser pedido de tempos em tempos ou quando o WhatsApp é instalado em um novo aparelho.

Se os golpistas criarem um código que você desconhece, você fica “trancado para fora” do app. E, mesmo avisando a empresa de que sua conta foi hackeada, só poderá recuperá-la depois de 7 dias, pelas regras do WhatsApp.

Como se proteger?

A maneira mais eficaz para se proteger é justamente se adiantar aos golpistas: configurar e manter ativa a “confirmação em duas etapas”.

Leia mais:  Como usar o filtro do cachorro nos Stories do Instagram

Assim, mesmo que, por acidente, você forneça aos criminosos o código do WhatsApp, enviado via SMS, para instalar o app em outro aparelho, eles não saberão que número informar quando o aplicativo pedir a confirmação em duas etapas.

Configuração da verificação em duas etapas no WhatsApp. — Foto: ReproduçãoConfiguração da verificação em duas etapas no WhatsApp. — Foto: Reprodução

Configuração da verificação em duas etapas no WhatsApp. — Foto: Reprodução

Para fazer a confirmação em duas etapas do WhatsApp, siga estes passos:

  1. entre no menu de configurações do WhatsApp;
  2. clique em “Conta”;
  3. depois, em “Confirmação em duas etapas”;
  4. e, finalmente, estabeleça uma senha e um e-mail de segurança.

Essa senha — assim como as de banco, e-mail e outros serviços pessoais — não pode ser compartilhada com ninguém.

Segundo especialistas, também não é recomendado usar uma informação pessoal para a senha, como uma data, por exemplo.

E o caso Bezos?

Na última terça-feira (21), uma reportagem do jornal britânico “The Guardian” afirmou que o homem mais rico do mundo, Jeff Bezos, teve o celular hackeado por meio de um vídeo que recebeu no WhatsApp, enviado por um príncipe da Arábia Saudita. O caso teria acontecido em maio de 2018.

A história com jeitão de filme ainda não foi confirmada, mas, caso seja verdadeira, se trata de algo muito raro, explica Altieres Rohr. “Essas falhas são muito difíceis de explorar em celular”, afirma.

A melhor forma de evitar esse tipo de ameaça, segundo ele, é manter o aparelho atualizado.

Em novembro passado, o WhatsApp disse que corrigiu uma falha que podia atacar celulares com arquivos de vídeo, mas afirmou que não havia qualquer informação que indicasse que esta brecha foi utilizada em ataques reais (veja como atualizar seu celular).

Por: G1

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana