conecte-se conosco

Tecnologia

Samsung apresenta Ballie, robô assistente para casas conectadas

Publicado

Samsung anunciou nesta segunda-feira (6), em Las Vegas, um novo dispositivo para casas conectadas. Trata-se da Ballie, uma espécie de robô inteligente que segue o dono pela casa e fica atenta a necessidades cotidianas que precisem de solução.

A assistente foi apresentada durante a Consumer Electronic Show (CES), maior evento de tecnologia do mundo.

De acordo com a Samsung, a Ballie deve funcionar com diversas capacidades como segurança, assistente fitness, uma ferramenta para ajudar idosos a se conectarem com aparelhos e até uma companhia para crianças e animais de estimação.

Durante a apresentação, a Ballie seguiu o presidente da divisão de consumidores da empresa HS Kim e veio até ele quando foi chamada.

Em um vídeo, outras funções que a Ballie deve ter no futuro foram exibidas: a bolinha liga a TV quando reconhece um cachorro sozinho e até ativa um robô aspirador quando reconhece uma bagunça.

De acordo com Sebastian Seung, chefe de pesquisa e ciência na Samsung, a Ballie é uma “evolução dos dispositivos” e vai “patrulhar nossas casas para nos manter seguros”. Segundo ele, a experiência do dispositivo é tão próxima que guardará até nossos segredos e por isso terá proteção e segurança de dados estritos.

Leia mais:  É hora de revisar: conheça 6 aplicativos que vão te ajudar no ENEM

A diferença do dispositivo da Samsung para outros assistentes deverá ser justamente esse tipo de comportamento. Os atuais dispositivos — como os assistentes de voz de gigantes como Google, Apple e Amazon — reagem de maneira passiva, ou seja, esperam por um comando para tomar uma ação.

Ballie foi até HS Kim, presidente da divisão de consumo da Samsung, quando foi chamada — Foto: Thiago Lavado/G1

Ballie foi até HS Kim, presidente da divisão de consumo da Samsung, quando foi chamada — Foto: Thiago Lavado/G1

Já a Ballie deve ter um “temperamento” mais ativo, reconhecendo situações e se colocando imediatamente à disposição para executar tarefas que vão corrigir um problema.

A Samsung não anunciou nem a data de lançamento, nem o preço do produto, o que torna difícil saber se a Ballie vai sobreviver à visão apresentada pela Samsung na CES. Durante a feira, a empresa trouxe um conceito de casa e vida conectadas, que chamou de “Era da Experiência”.

Além do dispositivo, mostrou também robôs que auxiliam na cozinha e falou até de uma visão de futuro onde prédios e cidades serão conectados.

Leia mais:  Teste mostra que é fácil roubar dados via Google Home e Alexa; assista
A "bolinha" Ballie pode até ligar a TV caso perceba um animal sozinho em casa — Foto: Thiago Lavado/G1

A “bolinha” Ballie pode até ligar a TV caso perceba um animal sozinho em casa — Foto: Thiago Lavado/G1

Por G1

Comentários Facebook
publicidade

Tecnologia

Apple é condenada a pagar US$ 500 milhões por violar patente do 4G

Publicado

Apple deve pagar mais de US$ 500 milhões em danos e juros por infringir patentes de 4G que pertenciam à empresa PanOptis, decidiu um tribunal do Texas, nos EUA. A gigante da tecnologia vai apelar da decisão, de acordo com a imprensa local.

A PanOptis, especializada em licenças de patentes, processou a Apple em fevereiro do ano passado, alegando que a empresa se negou a pagar pelo uso de tecnologias 4G LTE em seus smartphones, tablets e relógios.

“Os demandantes negociaram reiteradamente com a Apple para alcançar um acordo para uma licença ‘FRAND’ que permita o uso dos portfólios de patentes dos demandantes, que a Apple está infringindo”, afirma um documento do tribunal.

“FRAND” faz referência a termos que são “justos, razoáveis e não discriminatórios”, o padrão da indústria para o uso de tecnologias.

“As negociações não tiveram sucesso porque a Apple se nega a pagar uma taxa pela licença dos demandantes”, completa o documento.

A Apple argumentou sem sucesso que as patentes eram inválidas, de acordo com publicações legais.

Leia mais:  Você emprestaria seu rosto a milhares de robôs por R$520 mil?

“Processos como este, por empresas que acumulam patentes simplesmente para assediar a indústria, servem apenas para sufocar a inovação e prejudicar os consumidores”, afirmou a Apple em um comunicado.

O caso é uma de várias demandas por violações de patentes apresentadas por empresas especializadas em licenças, que não fabricam nenhum produto, mas têm direitos sobre certas tecnologias.

A justiça do Texas já decidiu duas vezes contra a Apple, que foi condenada a pagar centenas de milhões de dólares a VirnetX — outra empresa especializada em litígios por patentes.

Em seu site, a PanOptis oferece serviços para administrar as patentes dos clientes, permitindo que se concentrem na “inovação e novos desenvolvimentos”.

Por: G1

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana