conecte-se conosco


POLÍTICA

Rio: Paes culpa Crivella por crise e espera que a Justiça obrigue retorno do BRT

Publicado

source
Eduardo Paes
Estefan Radovicz

Eduardo Paes

O prefeito do Rio de Janeiro , Eduardo Paes (DEM) , disse que espera que uma decisão judicial obrigue o retorno dos trabalhos dos motoristas do BRT (ônibus articulados que circulam em faixas exclusivas). Na manhã desta segunda-feira (01), os profissionais interromperam a circulação do transporte público nos três corredores do sistema. Devido à paralisação, nenhum articulado circulou e a capital fluminense entrou em estágio de atenção. As informações são do UOL .

Paes afirmou que vai se reunir com empresários do setor nesta tarde para negociar a volta do serviço, mas destacou que a Prefeitura não vai arcar com qualquer despesa, em entrevista à rádio  CBN . “Nós não vamos sair pegando dinheiro de impostos e colocar em concessionárias de ônibus”, garantiu. Além disso, o prefeito também responsabilizou Marcelo Crivella (Republicanos), seu antecessor , pela crise.

O protesto foi iniciado pelos motoristas após o consórcio propor redução salarial aos funcionários, que nem receberam ainda a segunda parcela do 13º salário. O BRT-Rio atribui a crise à queda brusca no número de passageiros por causa da pandemia de covid-19, além de outros problemas.

Leia mais:  Rodrigo Pacheco conquista apoio do PSD para eleição do Senado

Você viu?

“Espero que a Justiça determine a volta dos trabalhadores, trata-se de um serviço essencial. Isso não pode acontecer [a paralisação]. Não há mágica para solução imediata. As concessionárias precisam cumprir com a sua obrigação. Vai levar algum tempo para normalizarmos o serviço”, disse em referência ao “abandono” do serviço por parte de Crivella.

“Nós vemos essa crise há quatro anos [nos transportes públicos], as estações estão destruídas, esse problema não é de hoje. A população está sofrendo há quatro anos”, disse. Durante a entrevista, Paes foi lembrado que, apesar do problema não ser novo, o protesto dos motoristas acontece durante a pandemia de Covid-19, provocando aglomerações nas estações BRTs.

O prefeito também se manifestou em seu perfil das redes sociais. Na ocasião, ele fez um “apelo” aos motoristas.

Leia mais:  Janaína Paschoal provoca Zambelli e chama clã Bolsonaro de "família de malucos"

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA

Lira promete teleconferência com governadores para discutir Orçamento

Publicado

por

source
Arthur Lira, presidente da Câmara dos Deputados
Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Arthur Lira, presidente da Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou hoje (27) que deve realizar uma reunião virtual com os governadores brasileiros para discutir, entre outros temas, o Orçamento de 2021 da União. “Com o recrudescimento e nova onda da pandemia, quero chamar todos os governadores para contribuírem com sugestões na formulação do orçamento geral da União”, postou em seu Twitter. 

Lira disse que aceitará sugestões de líderes estaduais para contribuírem na redação do Orçamento. Ele espera reunir por teleconferência, devido ao agravamento da pandemia. “Pretendo fazer uma teleconferência com os governadores nesta semana, junto com a relatora e o presidente da CMO, para ouvir como o orçamento pode ajudar na superação da pandemia”.

O presidente da Câmara dos Deputados destacou ainda que outros temas também devem estar na pauta da reunião. “Também ouvirei os governadores sobre sugestões legislativas emergenciais para tramitarem em caráter de urgência que possam ser adotadas, respeitando o teto fiscal, com o objetivo de enfrentar os efeitos da covid-19”, escreveu o parlamentar.

Leia mais:  Prefeita eleita de Santo Antônio das Missões (RS) morre de Covid-19

Veja:

Você viu?



Na sexta-feira (26), sem consenso entre os partidos e para evitar uma derrota, o presidente da Câmara desistiu de votar no plenário a  PEC da Imunidade  e decidiu enviá-la para discussão em uma comissão especial a ser criada, que é o rito de praxe. A proposta de emenda à Constituição (PEC) cria novas regras para a imunidade parlamentar. Na prática, as mudanças vão dificultar a prisão de deputados e senadores em alguns casos.

“Coletivamente, nós não conseguimos nos entender hoje. E não será atropelando o regimento que o faremos. Determino a criação de uma comissão especial. Que os líderes façam a indicação dos seus membros até segunda-feira (1º), e essa comissão será instalada com o mesmo rigor da discussão de que temas importantes nesta casa mereçam ser tratados”, afirmou Lira.

Leia mais:  Sem cronograma, Pazuello já deu três datas para início da vacinação; veja todas

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana