conecte-se conosco


POLÍTICA

Quem é Daniel Silveira: Veja 4 polêmicas envolvendo o deputado preso nessa terça

Publicado

source
Deputado é investigado pelo STF e foi responsável por quebra de placa em homenagem à Marielle Franco
Agência Câmara

Deputado é investigado pelo STF e foi responsável por quebra de placa em homenagem à Marielle Franco

O deputado federal Daniel Silveira (PSL-RJ) , preso pela Polícia Federal nessa terça-feira (16) após divulgar um vídeo atacando membros do Supremo Tribunal Federal e afirmando ser favorável ao AI-5, é investigado em inquéritos no STF e provocou tumulto após rasgar uma placa com o nome de Marielle Franco, vereadora do Rio de Janeiro assassinada em março de 2018.

No Supremo, Silveira é acusado de participar de atos antidemocráticos e de divulgar notícias falsas contra ministros e autoridades públicas. A investigação está sob sigilo e é relatado pelo ministro Alexandre de Morais .

O parlamentar ficou conhecido pouco antes das eleições de 2018. Ex-policial militar, Daniel Silveira participou de manifestações e foi enfático ao defender o então candidato à presidência Jair Bolsonaro . Com discurso extremista, Silveira também protagonizou episódios de negacionismo quando o assunto é a pandemia de Covid-19 . Ele foi proibido de entrar em uma aeronave sem o equipamento de proteção e causou confusão no Instituto Médico Legal antes de realizar o exame de corpo de delito.

Leia mais:  Onyx chega a Brasília e diz que não considera deixar o governo

Fake News

O deputado federal é suspeito de ser um dos membros do “Gabinete do Ódio” , grupo que teria sido criado por apoiadores de Jair Bolsonaro para propagar notícias falsas de seus adversários.

Em maio de 2020, o parlamentar foi alvo de uma operação da Polícia Federal. Na época, os agentes cumpriram 29 mandados de busca e apreensão contra políticos, blogueiros e empresários favoráveis à Bolsonaro.

O relator, Alexandre de Morais, entendeu que o grupo se articulava para atacar os ministros do STF, o que “atinge a segurança do Judiciário”. De acordo com o ministro, as provas apontam uma “real possibilidade” de associação criminosa entre os investigados.

Você viu?

Atos antidemocráticos

Bolsonaro também participou dos atos antidemocráticos; Daniel Silveira é suspeito de colaborar com a organização das manifestações
SERGIO LIMA / AFP

Bolsonaro também participou dos atos antidemocráticos; Daniel Silveira é suspeito de colaborar com a organização das manifestações

Junto à políticos e empresários, Silveira é investigado pelo Supremo Tribunal Federal por colaborar na organização de atos antidemocráticos em abril de 2020. Na época, manifestantes realizaram um protesto na praça dos três poderes pedindo o fechamento do STF, do Congresso Nacional e pedindo a volta da Ditadura Militar .

O processo foi solicitado pela Procuradoria-Geral da República e deferido pelo relator do processo, Alexandre de Morais. Morais entendeu que houve irregularidades e que as demandas dos protestantes e organizadores ferem a Constituição Federal .

Leia mais:  Flordelis usa prerrogativa do cargo e depõe sobre morte do pastor em Brasília

Placa em homenagem à Marielle Franco

Daniel Silveita e Rodrigo Amorim posaram quebrando a placa que leva o nome de Marielle Franco na eleição
Reprodução

Daniel Silveita e Rodrigo Amorim posaram quebrando a placa que leva o nome de Marielle Franco na eleição

Durante a campanha para as eleições presidenciais, o então candidato à deputado, ao lado de Rodrigo Amorim e o então pleiteante do governo do Rio, Wilson Witzel , Daniel Silveira participou a quebra de uma placa em homenagem a ex-vereadora do Rio de Janeiro, Marielle Franco, morta em março de 2018. Silveira e Amorim acompanhavam Witzel em um comício em Petrópolis, região serrana do Rio de Janeiro.

Em uma gravação compartilhada na internet, Amorim rasga a placa com o nome de Marielle Franco, enquanto Witzel discursava e Silveira tirava fotos.

“Eu e Daniel essa semana fomos lá e quebramos a placa. Jair Bolsonaro sofreu um atentado contra a democracia e esses canalhas calaram a boca.  Acabou PSOL, acabou PCdoB. Agora é Bolsonaro”, discursou Amorim no dia.

Problemas com uso de máscaras

Enquanto aguardava, deputado discutiu com servidora e disse que ela era
Reprodução

Enquanto aguardava, deputado discutiu com servidora e disse que ela era “militante petista”

O parlamentar foi protagonista de duas polêmicas entre o ano passado e começo deste ano envolvendo a pandemia de Covid-19. Em janeiro, Silveira tentou embarcar em um voo da companhia Gol no aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, no entanto, foi barrado após se recusar a usar máscaras . Na época, o político apresentou um atestado de dispensa do equipamento de proteção, mas não foi aceito pela empresa de aviação.

Na terça-feira (16), após ser preso pela Polícia Federal, o deputado federal foi chamado a atenção pela funcionária do Instituto Médico Legal pela falta de máscaras. Após bater boca com a recepcionista, Silveira colocou o equipamento, mas houve entoou de acusações e palavrões contra a funcionária.

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA

Ciro Gomes pede impeachment de  Bolsonaro: “condena população à morte”

Publicado

por

source
Ciro Gomes falou sobre a pandemia e pediu o impeachment de Jair Bolsonaro em suas redes sociais
Reprodução: iG Minas Gerais

Ciro Gomes falou sobre a pandemia e pediu o impeachment de Jair Bolsonaro em suas redes sociais

O ex-candidato à presidência da República, Ciro Gomes (PDT) , comentou nesta sexta-feira (26) sobre a atuação de Bolsonaro na pandemia em um momento que o sistema de saúde tem entrado em colapso em diversas cidades . Ele voltou a pedir o impeachment do presidente.

“Mais uma vez me dirijo ao que resta de decência do Congresso Nacional: manter Bolsonaro como presidente é manter nosso povo acuado, sem emprego, sem renda, sem comida e condenado à morte!”, disse em sua conta no Twitter.

Ciro afirmou que a rejeição de Bolsonaro às medidas de contenção à Covid-19 e a promoção de aglomerações é “criminosa”. 

Leia mais:  Nomeação do presidente da Fundação Palmares é suspensa pelo governo

“O Brasil está muito próximo de viver uma tragédia assustadora! Governadores e prefeitos estão tentando proteger a população com medidas restritivas, como toque de recolher e lockdown”, defendeu. “E Bolsonaro, CRIMINOSAMENTE, promove aglomerações em municípios com graves índices de Covid-19”, completou. 

“Bolsonaro está condenando a população brasileira a assistir ainda mais mortes. Repito: o que está projetado para os próximos dias é terrível. É o colapso do sistema de saúde!” 

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana