conecte-se conosco


POLÍTICA

Por vacina, Lula envia carta para líder da China e se reúne com fundo russo

Publicado em

POLÍTICA

source
Lula discursa no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC após ter condenações anuladas
Reprodução

Lula discursa no Sindicato dos Metalúrgicos do ABC após ter condenações anuladas

Mesmo sem exercer qualquer cargo público, o  ex-presidente Lula (PT) age nos bastidores para viabilizar chegadas de novas vacinas no país para auxiliar no combate a pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2) e antagonizar com Bolsonaro, potencial adversário nas próximas eleições de 2022.

Segundo informações da colunista Bela Megale, há cerca de três meses, o petista se encontrou com o diretor do Fundo de Investimento Direto Russo (RDIF), Kirill Dmitriev, que financiou as pesquisas de desenvolvimento da Sputnik V , imunizante ruso contra a Covid-19, que tem 91,6% de eficácia.

O convite partiu do diretor do fundo, após ver que Lula integrava um abaixo-assinado que defende que a vacina deve ser distribuída de forma gratuita ao redor do mundo. Chamados pelo ex-presidente, os ex-ministros da saúde José Gomes Temporão, Alexandre Padilha e Arthur Chioro também participaram do encontro virtual.

Padilha, ministro na pasta durante o 1º mandato de Dilma Rousseff , disse que foi Vladimir Putin, mandatário russo quem orientou que Lula fosse chamado para a reunião:

Leia mais:  Deputado é afastado de partido após assediar colega na Alesp

“Dmitriev disse que o presidente Vladmir Putin havia incentivado a reunião com Lula. Foi uma conversa importante, porque abriu a relação do fundo russo com o Consórcio do Nordeste. Deixamos claro que, além do Paraná, com quem eles tiveram as primeiras tratativas, tinham muitas frentes no Brasil a serem abertas. Destacamos que o interesse pelo volume de vacinas era maior e envolvia vários estados brasileiros. Isso fortaleceu o acordo de milhões de vacinas firmado com os estados do nordeste”, diz em entrevista ao Globo.

Você viu?

Na última quinta-feira (11), o Ministério da Saúde acertou a compra de 39 milhões de doses da Sputnik, que deverão ser entregues ao Brasil entre março e julho.

China

No início do ano, em janeiro, quando a China atrasou o envio de IFA (insumos) para a produção da CoronaVac , vacina feita em parceria pelo laboratório chines Sinovac e o instituto Butantan, Lula também agiu nos bastidores para viabilizar a chegada da matéria-prima.

O ex-presidente, juntamente com Dilma Rousseff, enviou uma carta ao líder chines, Xi Jinping o elogiando pela condução frente à pandemia e criticou o presidente Jair Bolsonaro por seu “negacionismo e incivilidade”.

“Consideramos oportuna essa mensagem, como forma de manifestar a nossa certeza de que a antiga e sólida amizade entre os nossos povos não será abalada pelo negacionismo, pela incivilidade e pelas grosserias proferidas pelo presidente Jair Bolsonaro, seus filhos e seu governo. A amizade e a parceria entre a China e o Brasil são inabaláveis, porque os governos passam, mas os laços que unem os povos são permanentes”, escrevem os petistas na carta endereçada a Jinping.

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA

“Vou tomar por último, tem muita gente apavorada”, diz Bolsonaro sobre vacina

Publicados

em

Por

source
Presidente Jair Bolsonaro
Foto: Agência Brasil

Presidente Jair Bolsonaro

Na sexta-feira (16), o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que não pretende tomar a vacina da Covid-19 agora. Em conversa com apoiadores que o esperavam em frente ao Palácio da Alvorada, o presidente justificou que a decisão é pelo fato de ter “muita gente apavorada” esperando pela vacina.

“O que acontece, tem muita gente apavorada aí aguardando a vacina, então deixa as pessoas tomarem na minha frente. Vou tomar por último. Eu acho que essa é uma atitude louvável. Porque tem gente que não sai de casa, está apavorado dentro de casa”, disse Bolsonaro. O presidente chegou a se queixar que a imprensa teria criticado a sua decisão de se vacinar por último. “Em vez da imprensa me elogiar, me critica”, afirmou.

Bolsonaro está apto a receber a vacina no Distrito Federal desde o dia 3 de abril. Antes, ele explicava que não ia se vacinar porque já teria contraído o vírus em julho do ano passado.

De acordo com dados do consórcio de veículos de imprensa da quinta-feira (15), 25.460.098 pessoas já receberam a primeira dose de vacina contra a Covid-19. O número representa 12,02% da população brasileira. A segunda dose já foi aplicada em 8.558.567 pessoas (4,04% da população do país) em todos os estados e no Distrito Federal.

Comentários Facebook
Continue lendo

ITURAMA E REGIÃO

POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

Mais Lidas da Semana