conecte-se conosco


Entretenimento

Polícia irá interrogar funcionário de motel onde Anderson esteve com MC Maylon

Publicado

source
Anderson Leonardo pretende processar MC Maylon
Reprodução/Instagram

Anderson Leonardo pretende processar MC Maylon

Anderson Leonardo, o vocalista do Molejo, está sendo estupro pelo dançarino MC Maylon. A suposta vítima entregou à polícia a cueca que estaria usando no dia 11 de dezembro, quando eles estiveram no motel Queen, em Suculap, zona oeste do Rio de Janeiro.  Foi confirmado no laudo a presença de sangue e esperma na peça de roupa e a Polícia Civil ouvirá o depoimento dos funcionários do motel.

“Diligências estão sendo realizadas para esclarecer todos os fatos”, disse a Polícia ao Uol. Sobre a comprovação de sangue e esperma na cueca de MC Maylon, a assessoria de Anderson disse que o que aconteceu entre eles foi uma relação consensual.

A equipe do pagodeiro também argumentou que MC Maylon frequentou shows do molejo depois do dia que o suposto estupro aconteceu. “Ninguém é violentado e guarda lembrança do ato, ninguém vai atrás do violentador curtindo shows e postando vídeos. Em todos os shows do Anderson após a data do suposto estupro, o garoto estava lá”, disse a assessora.

Leia mais:  'BBB 21': Lumena já está no limite com Viih Tube: "Garota estranha"

A advogada de MC Maylon, Fêh Oliveira, argumentou que o dançarino continuou indo ao show da banda por motivos profissionais. “Ele continuou indo aos shows porque havia a promessa de apadrinhamento artístico, eles tinham uma relação profissional, uma coisa é a pessoa física, outra é o artista, ele precisava cumprir a agenda de compromissos e a mãe dele sempre esteve presente em tudo”, disse.

Você viu?

A advogada também argumentou que o fato de Anderson ter negado a relação sexual com Maylon inicialmente é uma prova de que o estupro teria ocorrido. “Ele continuou indo aos shows porque havia a promessa de apadrinhamento artístico, eles tinham uma relação profissional, uma coisa é a pessoa física, outra é o artista, ele precisava cumprir a agenda de compromissos e a mãe dele sempre esteve presente em tudo”, disse. 

Entenda o caso:

Segundo a denúncia feita por MC Maylon, ele e Anderson marcaram uma reunião de negócios no dia 11 de dezembro. O cantor teria então levado a suposta vítima para o motel Queen, no Rio de Janeiro, justificando que era “uma reunião sigilosa que pode mudar a sua carreira”.

Leia mais:  Morre André Piva, marido do estilista Carlos Tufvesson, aos 52 anos

Já no estabelecimento, Anderson teria pegado celular do jovem e desligado. Após isso, ele teria jogado o rapaz na cama, despido ele e dado tapas no rosto da suposta vítima. O jovem diz que começou a chorar e foi xingado pelo vocalista que inciou as tentativas penetrá-lo.

O rapaz diz que chorava no momento e falava: “Para que sou virgem”. Anderson teria consumado a penetração e depois do ato libidinoso teria percebido que o jovem era de fato virgem, pois ele teria sangrado muito durante o ato. Após isso, a suposta vítima diz que desmaiou e foi acordada pelo cantor.

MC Maylon prestou depoimento na delegacia e entregou supostas provas do crime. Entre os objetos que foram levados à polícia está a cueca do dançarino, que estaria suja de sangue e do esperma de Anderson. O vocalista do Molejo também prestou depoimento. Ele confirmou que teve relação sexual com Maylon, mas afirma que tudo entre eles foi consensual.

Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
publicidade

Entretenimento

Raul Gazolla relembra o assassinato de Daniella Perez, filha de Glória Perez

Publicado

por

source
Raul Gazolla relembra o assassinato de Daniella Perez
Reprodução/Instagram

Raul Gazolla relembra o assassinato de Daniella Perez

A atriz Daniella Perez, filha de Glória Perez, foi morta em 1992 . Ela foi assassinada por um colega de elenco da novela “De Corpo e Alma” e a esposa dele. A artista era casada com o ator Raul Gazolla que deu uma entrevista ao programa “A Noite É Nossa”, da Record, que vai ao ar na próxima quarta-feira (3). O artista falou sobre o crime e também o relacionamento que teve com a filha da autora.

A atriz foi encontrada morta em um matal. Raul lembra que quando foi contato pela delegacia ele pensava que a esposa havia sido somente sequestrada. “Liguei para a Glória e falei que haviam encontrado o carro, mas nada da Dani. A atriz Marilu Bueno, que fazia a mãe dela na novela, que me contou. Foi muito difícil. Eu me lembro que estava no velório e que não tinha forças para nada. Eu estava há 24 horas sem comer nem dormir. Eu nem sabia como ela tinha sido assassinada porque não me deixavam ver televisão. Quando soube, fiquei doido”, recorda.

Raul conta que ele e Glória permaneceram próximos após o crime. Porém, fala que a autora só conseguiu voltar a trabalhar com ele em 2001, quase dez anos depois do assassinato. “Ela me ligou e falou: ‘Raul, eu já posso trabalhar com você’. Temos uma grande amizade, e eu tenho um carinho absurdo pela Glória. Tanto que minha filha mais nova a chama de avó. Sou amigo e fã incondicional do trabalho dela”, diz o ator, que trabalhou com a autora em novelas como “O Clone” e “América”.

O ator também falou sobre o começo do relacionamento com Daniella Perez. Eles se conheceram nas gravações da novela “Kananga do Japão”, da extinta TV Manchete. “A primeira vez que eu olhei a Dani, pensei: ‘Eu já sonhei com essa menina.’ Foi uma coisa incrível. Eu nunca a tinha visto, mas sabia que ela já fazia parte da minha vida”, conta.

Leia mais:  Cardi B canta sucessos de Zezé Di Camargo e Luciano: "Não existe fronteiras"
Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana