conecte-se conosco


Policial

Polícia faz buscas em esgoto de condomínio no Rio por arma utilizada na morte de Marielle e Anderson

Publicado em

Policial

Policiais e agentes do Ministério Público do Rio de Janeiro vasculharam, na manhã desta quarta-feira (12), o sistema de esgoto de um condomínio no Anil, Zona Oeste do Rio, em busca da arma utilizada no assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes. O crime foi cometido em 14 março de 2018 e está completando 700 dias.

A ação desta quarta foi realizada por homens da Divisão de Homicídios da Capital, da Coordenadoria de Recursos Especiais (Core) e do Grupos de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco).

De acordo com a unidade, mergulhadores da Core inspecionaram 27 cisternas do local, mas a arma não foi encontrada.

Durante a ação, os policias apreenderam munições, carregador de pistola e um carro de luxo para verificação. Foi instaurado um procedimento para apurar que é o dono do material. O carro será periciado.

Na primeira fase da investigação sobre o caso, foram presos o ex-PM Élcio de Queiroz, que havia sido expulso da corporação, e o policial reformado Ronnie Lessa. O primeiro é acusado de ter dirigido o veículo usado no crime, e o segundo é acusado de ter efetuado os disparos contra Marielle e Anderson.

Leia mais:  Menina de 13 anos leva dois tiros em frente à casa da amiga em Rio Preto

Marielle Franco, em foto de fevereiro de 2018 — Foto: Renan Olaz/Câmara Municipal do Rio de Janeiro/AFP/ArquivoMarielle Franco, em foto de fevereiro de 2018 — Foto: Renan Olaz/Câmara Municipal do Rio de Janeiro/AFP/Arquivo

Marielle Franco, em foto de fevereiro de 2018 — Foto: Renan Olaz/Câmara Municipal do Rio de Janeiro/AFP/Arquivo

Em outubro do ano passado, a polícia prendeu Josinaldo Freitas, suspeito de embaraçar as investigações ao jogar armas no mar. Ele chegou a pedir um salvo conduto à Justiça meses antes de ser preso.

O material descartado pertencia a Ronnie Lessa, que é apontado como o assassino de Marielle e Anderson. A polícia investiga se a arma usada no atentado também foi descartada.

O pedido de Josinaldo foi negado em agosto pelo Tribunal de Justiça do Rio e incluía uma cópia do mandado de intimação para que, naquela época, ele prestasse depoimento na Divisão de Homicídios.

Marinha fez buscas no mar

Em julho do ano passado, a Polícia Civil do RJ chegou a pedir ajuda da Marinha para buscar no mar a arma do crime. Um sonar chegou a detectar nove objetos no fundo do mar em um local próximo às Ilhas Tijucas, na Barra da Tijuca, Zona Oeste.

Leia mais:  PM prende um dos criminosos que se passou por policial civil para assaltar casa em Bocaiuva

Mergulhadores fizeram buscas no local perto da área onde um amigo do principal acusado da morte de vereadora e do motorista, o PM reformado Ronnie Lessa, jogou caixas com fuzis e outras armas, segundo uma testemunha.

A polícia quer saber se entre os objetos que teriam sido jogados no mar está a arma utilizada no crime, uma submetralhadora MP5.

A Marinha utilizou sonares para encontrar os objetos. Segundo os equipamentos utilizados, são alvos com tamanhos aproximados de 50 centímetros a dois metros, e estão numa profundidade de 15 a 30 metros.

Por: G1

Comentários Facebook
Propaganda

Policial

Mulher é suspeita de esfaquear companheiro em BH; homem tinha passagens por lesão corporal contra ela

Publicados

em

Segundo o boletim de ocorrência, a agressão ocorreu após um desentendimento entre o casal. As filhas da mulher, de 3 e 19 anos, presenciaram a briga.

Uma mulher, de 33 anos, é suspeita de esfaquear o companheiro, de 41 anos, dentro de casa, no bairro Lindeia, na Região do Barreiro, em Belo Horizonte, na noite desta segunda-feira (25).

Segundo o boletim de ocorrência, a agressão ocorreu após um desentendimento entre o casal. As filhas da mulher, de 3 e 19 anos, presenciaram a briga.

A suspeita fugiu após o crime e não tinha sido localizada até a publicação desta reportagem. O homem foi levado para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII com ferimentos no abdômen.

De acordo com a PM, ele tem três passagens policiais por lesão corporal contra a mulher. Ela tem 12 passagens por outros crimes.

Comentários Facebook
Leia mais:  Feriado é marcado por tentativa de homicídio no Bairro Antônio Bráulio em Iturama
Continue lendo

ITURAMA E REGIÃO

POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

Mais Lidas da Semana