conecte-se conosco


Entretenimento

“Passei pano e me arrependi”, diz ativista sobre transfobia de Nego do Borel

Publicado

source
Nego do Borel, Agripino Magalhães e Karol Conka
Reprodução Instagram

Nego do Borel, Agripino Magalhães e Karol Conka

A polêmica sobre a  acusação de Karol Conká de que Nego do Borel questionou se ela era homem ou mulher, mas o funkeiro nega a denúncia , fez o ativista pelos direitos LGBTQ+ entrar em ação.

Agripino Magalhães já entrou com um pedido formal para colocar os dois cantores frente a frente em uma apuração dos fatos. Só depois desse confronto, ele vai abrir uma queixa-crime contra um dos famosos.

“Eu quero agora saber quem está mentindo. A Karol Conká fez acusações graves em rede nacional e quando ela diz que o Nego do Borel fala que ‘somos pessoas estranhas’ se referindo aos gays e as lésbicas, o cantor está atacando toda a população LGBTQ+. Ele diz que não foi assim e aí é a cantora que, na verdade, comete um crime de transfobia. Eles vão ter que provar quem está com a verdade”, explicou.

Agripino ainda assumiu ter ficado decepcionado com a mais recente confusão envolvendo o nome de Nego do Borel, quem ele ajudou no episódio da Luiza Marilac no início de 2019.

O funkeiro chamou a travesti de “homem”. “Na época, eu não abri um processo e cheguei a levá-lo em vários points da população LGBTQ+ e dei uma cartilha sobre a comunidade. Ele pediu desculpas e disse que queria aprender para não cometer mais erros. Passei pano e o até defendi de várias pessoas e, hoje, vejo que continua com o preconceito velado”, finalizou o ativista.

Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
publicidade

Entretenimento

Ludmilla compartilha crítica sobre lockdown e apaga após ser criticada

Publicado

por

source
Ludmilla
Instagram/Reprodução

Ludmilla

Ludmilla movimentou a internet nesta sexta-feira (5), após compartilhar uma crítica ao lockdown decretado no Rio de Janeiro, onde a cantora reside com a família. A publicação da funkeira questiona se pessoas de serviços considerados não essenciais continuarão frequentando serviços essenciais. “Vidas importam e os trabalhos também”, diz um trecho do texto, que foi apagado minutos depois da publicação ir ao ar. Mas os internautas tiraram print e desde então a cantora vem sendo muito criticada por conta da postagem.

O texto publicado por Ludmilla, que é originalmente do especialista em sobrancelhas, Rafa Paixão, dizia o seguinte: “Será que o dono da academia (não essencial) continuará indo ao supermercado (essencial)? Será que o dono da loja de vestuários (não essencial) continuará indo ao posto de combustível (essencial)? Será que a dona do bar (não essencial) continuará indo à loja de material de construção (essencial)? Será que a filha do músico (não essencial) continuará naquele colégio (essencial)? Será que a dona Maria, garçonete (não essencial), pagará o IPTU (essencial)? Será que o vendedor ambulante (não essencial) pagará o aluguel (essencial)? Será que o artesão (não essencial) pagará a conta de água, luz (essencial)? Será que o que está sendo considerado não essencial, realmente não é mesmo essencial? Tudo é essencial. Vidas importam e os trabalhos também”.

Leia mais:  Sauna gay chama clientes com foto do cantor Luan Santana
Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana