conecte-se conosco


POLÍTICA

Oposição formaliza pedido de convocação de Carlos Bolsonaro na CPI das Fake News

Publicado em

POLÍTICA

source
Carlos Bolsonaro arrow-options
Renan Olaz/CMRJ

Oposição formaliza pedido de convocação de Carlos Bolsonaro na CPI das Fake News

A oposição quer levar o vereador Carlos Bolsonaro (PSC-RJ) para depor à CPI das Fake News . Prevista nos bastidores desde que o colegiado foi instalado em setembro, a intenção de convocar o segundo filho do presidente Jair Bolsonaro,  conhecido por cuidar das redes sociais do pai, foi, agora, formalizada pelo líder da oposição no Senado, Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Leia também: Após ‘fico’, Eduardo Bolsonaro diz ter “portas abertas” para embaixada no futuro

Para que Carlos Bolsonaro seja convocado, o requerimento de Randolfe precisa ser aprovado pelos colegas. Amanhã, há sessão da comissão, mas o item não está na pauta. A oposição, no entanto, pode pedir para que o pedido seja incluído. Diferentemente de convites, a convocação torna a presença obrigatória.

“O vereador da cidade do Rio de Janeiro, Carlos Bolsonaro, filho do Presidente Jair Bolsonaro, foi o responsável pela estratégia e operacionalização da campanha de seu pai nas redes sociais em 2018. O próprio Presidente da República admitiu que Carlos ‘se destacou à frente das mídias sociais’ durante sua campanha. Carlos Bolsonaro se licenciou de seu mandato de vereador para trabalhar em tempo integral para a campanha do pai”, argumenta Randolfe no requerimento.

Leia mais:  Nomeações de Braga Netto e Onyx Lorenzoni são publicadas no Diário Oficial

Leia também: Joice Hasselmann terá que depor na CPI das fake news sobre ‘milícias digitais’

O senador acrescenta que “é inegável que o fenômeno das fake news teve grande influência e foi amplamente utilizado na campanha eleitoral de 2018 e no atual governo. É preciso, agora, descobrir os responsáveis pela disseminação dessas notícias falsas, e entender o modus operandi”.

Ainda para embasar o pedido, Randolfe cita entrevista da ex-líder do governo Bolsonaro no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP), ao programa “Roda Viva”, da TV Cultura . Ela disse que Carlos e seus irmão Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) e Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) são  líderes de uma rede especializada de difamação e notícias falsas usando aplicativos de mensagens. Ainda segundo a deputada, os filhos do presidente mantêm funcionários que criam perfis falsos nas redes sociais.

Entre outros pontos, a comissão foi criada para investigar o impulsionamento de mentiras na campanha eleitoral de 2018. Aliados de Bolsonaro têm chamado o colegiado de “tribunal de exceção” contra o presidente. Para eles, a oposição faz um “terceiro turno” contra Bolsonaro.

Leia mais:  "Na guerra vale tudo para salvar vidas", diz Arthur Lira sobre vacinas privadas

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA

Queiroga deve ser o primeiro ouvido pela CPI da Covid, diz senador

Publicados

em

Por

source
Senador Humberto Costa (PT-PE)
Agência Brasil

Senador Humberto Costa (PT-PE)

Humberto Costa (PT-PE), um dos senadores indicados para compor a CPI da Covid, disse em entrevista à CNN Brasil que o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, deve ser o primeiro convidado a prestar esclarecimentos sobre as ações do governo federal durante a pandemia. 

Segundo o senador da oposição, a escolha pelo atual titular da Saúde se dá pelo motivo de que a CPI, em um primeiro momento, deve buscar respostas sobre as medidas de combate à Covid-19 que devem ser adotadas imediatamente.

“Acho que o primeiro convidado deve ser o próprio ministro da Saúde, para que ele possa nos dizer o que o governo pretende fazer daqui para frente para o controle da pandemia, como eles estão enfrentando e procurando resolver os problemas emergenciais, como a escassez de vacinas, como a crise de abastecimento de medicamentos para procedimentos complexos como as entubações. A CPI tem que exercer o papel de investigar, mas também exercer o papel para que o governo cumpra a sua missão, e nós vamos cobrar”, afirmou o senador, que foi ministro da Saúde por pouco mais de dois anos durante o primeiro mandato do governo Lula.

Leia mais:  Damares agiu para impedir que menina de 10 anos realizasse aborto legal

O senador disse que a CPI deve começar o “mais urgente possível” e que a agilidade para o início dos trabalhos deveria ser um interesse também do governo federal, já que a investigação pode se alongar até próximo das eleições de 2022.

“Defendo que a CPI comece de imediato, temos que apresentar a proposta de um funcionamento misto, ouvir pessoas, fazer reuniões onde tenhamos um debate mais conceitual, ouvindo cientistas e professores, pode ser feito de forma remota. As audiências onde vamos escutar testemunhas e debater quebra de sigilos ou acesso a documentos sigilosos, essa podemos fazer de modo presencial ou semi presencial, um pouco mais para frente, dentro de 1 mês e meio, quando melhorar a situação da pandemia”, afirmou Costa. 

Comentários Facebook
Continue lendo

ITURAMA E REGIÃO

POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

Mais Lidas da Semana