conecte-se conosco

EDUCAÇÃO

Novo ministro da Educação: Saiba quem é o professor Carlos Alberto Decotelli

Publicado

 

source
Decotteli
Luís Fortes/MEC

Decotteli é o primeiro negro nomeado ministro por Bolsonaro

Professor e oficial da reserva da Marinha, Carlos Alberto Decotelli foi  nomeado o novo ministro da Educação nesta quinta-feira (25) pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O substituto de Abraham Weintraub é o primeiro ministro negro do governo Bolsonaro.

Leia também:

O novo ministro da Educação já havia ocupado um cargo dentro da pasta, tendo sido o presidente do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) e secretário de Modalidades Especializadas de Educação (Semesp), em 2019.

Decotelli é considerado um nome técnico, diferente de seu antecessor, que era da ala ideológica do governo. Sua nomeação foi aprovada pelos militares que integram a equipe de Bolsonaro, segundo a emissora Globo . Em entrevista ao jornal O Globo  nesta quinta, afirmou que “não tenho nem preparação para fazer discussão ideológica, minha função é técnica”.

Leia mais:  Porta-voz da Presidência testa positivo para a Covid-19

Ele é o terceiro ministro da Educação de Bolsonaro – e é a primeira nomeação de um negro para o 1º escalão do governo. Antes dele, Vélez Rodriguez e Abraham Weintraub ocuparam o comando da pasta. Especialistas acreditam que a escolha de Decotelli possa apaziguar a relação entre os Poderes.

Decotelli é o terceiro ministro da Educação do governo Bolsonaro
Reprodução/Twitter

Decotelli é o terceiro ministro da Educação do governo Bolsonaro

Com 68 anos, ele tem pós-doutorado na universidade alemã Bergische Universitãt Wuppertal, doutorado em Administração Financeira pela argentina Universidade Nacional de Rosário, tem MBA e mestrado em administração pela Fundação Getúlio Vargas (FGV) e bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), segundo informações do MEC.

Decotteli é professor de economia na PUC-RS. Segundo o site da universidade, ele foi coordenador acadêmico da FORDHAM University e no NYIF, ambas em New York e foi executivo de bancos e corretoras.

É também autor de livros sobre educação e finanças, como “Matemática Financeira Aplicada”, “Gestão de Riscos no Agronegócio”, “Administração Bancária – uma visão aplicada” e “Gestão de Finanças Internacionais”.

Leia mais:  Juíza restringe visitas e afasta Flordelis de filho acusado pela morte do pastor

Ele afirma que suas prioridades dentro do MEC serão “ampliar o diálogo e interlocução para que haja divulgação correta em relação às políticas do MEC; atualizar o cronograma dos compromissos que estão estabelecidos; as ponderações em relação ao novo Fundeb; as políticas envolvendo a Covid-19 e a parte de biossegurança”.

O novo ministro da Educação integrou a equipe de transição entre o governo Temer e o de Bolsonaro. Durante sua gestão do FNDE, o órgão desembolsou cerca de 70 mil, segundo dados do Portal da Transparência, e ele esteve viajando durante 23% do tempo em que ocupou o órgão. Até setembro de 2019, enquanto presidia a pasta, nenhuma das 22 licitações do MEC saíram do papel.

 

Comentários Facebook
publicidade

EDUCAÇÃO

Fernandópolis receberá vestibular da Unicamp em janeiro de 2021

Publicado

A Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) divulgou, no final da tarde desta sexta-feira (10), as novas datas de realização das provas do Vestibular Unicamp 2021, que sofreram alteração em função da pandemia de covid-19. A primeira fase será aplicada nos dias 6 e 7 de janeiro de 2021.

O dia de realização da primeira fase, para cada candidato, depende do curso escolhido: candidatos aos cursos do segmento de Ciências Humanas/Artes e de Exatas/Tecnológicas farão a prova no dia 6 de janeiro, uma quarta-feira.

Já os candidatos da área de Ciências Biológicas/Saúde farão a prova no dia seguinte, ou seja, 7 de janeiro, uma quinta-feira. A aplicação em dois dias visa reduzir o número de estudantes circulando e evitar aglomeração nas escolas.

A segunda fase do Vestibular não sofrerá alteração do formato e continuará sendo aplicada em dois dias: 7 e 8 de fevereiro de 2021. As inscrições para o Vestibular Unicamp 2021 serão realizadas entre 30 de julho e 8 de setembro, pela página da Comvest na internet.

A primeira chamada do Vestibular 2021 deve ser divulgada no dia 10 de março e o edital com o calendário completo será publicado em breve.

Leia mais:  General Heleno diz que houve distorção em sua "nota à nação brasileira"

O número de locais de provas será ampliado, além da inclusão de duas novas cidades no estado de São Paulo: Barueri e Fernandópolis. As medidas buscam ampliar a cobertura do Vestibular Unicamp e evitar longos deslocamentos. As questões da prova da primeira fase serão reduzidas de 90 para 72 e o tempo máximo para sua realização diminuirá de cinco para quatro horas.

COMO FICA

Para cada dia de aplicação haverá uma prova única para todos os candidatos das áreas daquela data (Ciências Exatas/Tecnológicas e Ciências Humanas/Artes, na quarta-feira e Ciências Biológicas/Saúde, na quinta-feira).

A primeira fase será constituída de uma única prova de Conhecimentos Gerais composta por 72 questões objetivas sobre as áreas do conhecimento desenvolvidas no ensino médio.

As questões serão as seguintes: 12 questões de Língua Portuguesa e Literatura; 12 questões de Matemática; e oito questões de cada disciplina: Biologia, Física, Geografia/Sociologia, História/Filosofia, Inglês e Química.

ENEM

A Comvest informa que as definições em relação ao edital Enem-Unicamp e às demais modalidades de ingresso deverão ser anunciadas dentro dos próximos dias, em sua página eletrônica e nas redes sociais do Vestibular Unicamp.

Leia mais:  Juíza restringe visitas e afasta Flordelis de filho acusado pela morte do pastor

 

Por: A Cidade ON

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana