conecte-se conosco


Economia

New Beef realiza primeiro abate certificado de animais Raça Araguaia pelo programa Origem Premium

Publicado

Um produto de qualidade deve corresponder às necessidades do consumidor de forma confiável, segura e acessível.

Com a crescente demanda do mercado por produtos voltados para o segmento de carnes nobres, os criadores da Raça Araguaia aumentaram os investimentos nos plantéis e estabeleceram parceria comercial com o frigorífico New Beef Company em Nova Xavantina (MT), que realizou o primeiro abate, em dezembro, de animais Araguaia.

“Para quem é familiarizado com os números, o resultado dos animais abatidos foi excelente. Estamos falando de novilhas com idade até 17 meses. Esse programa bonifica o pecuarista em até 5% a mais do valor da arroba do boi. Com a arroba nos valores atuais, estamos falando de uma gratificação superior ao que é pago no ”boi china”. Lembrando que para a bonificação acontecer o pecuarista precisa entregar um animal dentro dos critérios do programa, que envolve idade e acabamento de carcaça. Por isso, o programa irá montar uma cartilha padronizando todos os processos para os pecuaristas interessados na raça terem dados concretos”, enfatiza a médica veterinária e consultora da Agrossec, Fernanda Faraone.

Leia mais:  Governo publica cronograma de leilões para compra de energia elétrica

O resultado alcançado no abate das novilhas com idade de 14,5 meses e 14,8 arrobas de peso, impressionou o pecuarista de Nova Xavantina (MT), Dr.Miguel Pedroso, que acompanhou o abate se surpreendeu com o perfil diferenciado apresentado pelo bovino da Raça Araguaia.

“Eu acompanhei um abate de fêmeas no frigorífico New Beef e me surpreendeu a produção de proteína do animal. Em algumas fotos comparativas do abate entre o último touro com a primeira fêmea da Raça Araguaia são visíveis que o gado apresenta um acúmulo maior de proteína em seu traseiro e em toda estrutura. Certamente integrarei ao programa Origem Premium pelos resultados obtidos”, enfatiza o produtor.

Anunciada em outubro de 2020, a parceria entre a Origem Premium e o frigorífico New Beef Company visa ampliar a atuação da Carne Certificada Raça Araguaia para outros estados, buscando fomentar ainda mais a cadeia de carne bovina e aumentar a renda dos produtores rurais.

“É o primeiro abate da parceria Origem Premium e New Beef e os próximos ocorrerão mensalmente. Temos uma enorme preocupação em garantir as melhores condições em todos os processos pensando na qualidade do produto final. Essa parceria comercial deverá atrair um número maior de produtores participando do programa Origem Premium. Além disso, também deve cativar novos consumidores, que buscam qualidade em uma carne certificada, com maciez, sabor, processos sustentáveis e um produto saudável (baixo teor de gordura intramuscular)”, destaca o criador Raul Almeida Moraes Neto.

Leia mais:  Empregos gerados por microempresas no Rio crescem 421% em dezembro

Para atender aos critérios, os produtores e parceiros ORIGEM PREMIUM seguem protocolos que garantem os fundamentos da empresa nos quesitos qualidade da carne, sustentabilidade e bem-estar animal.

Os produtores interessados em conhecer e participar do Programa de Produção Origem Premium/NewBeef, basta acessar a site www.origempremium.com.br e se cadastrar.

Comentários Facebook
publicidade

Economia

Receita esclarece como declarar redução de jornada no Imposto de Renda

Publicado

por

Depois de dúvidas de trabalhadores beneficiados pelo Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda (BEm), a Receita Federal esclareceu como declarar a redução de jornada ou a suspensão do contrato de trabalho no Imposto de Renda. O programa ajudou a preservar o emprego em empresas impactadas pela pandemia de covid-19 no ano passado.

Equivalente a um percentual do seguro-desemprego a que o trabalhador teria direito se fosse demitido, o BEm deve ser declarado como tal na ficha “Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Jurídica”. Na fonte pagadora, o contribuinte colocará o Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) da Receita Federal, com o número 00.394.460/0572-59.

A ajuda compensatória mensal, que equivale à parcela do salário paga pelo empregador, deve ser informada na ficha “Rendimentos Isentos e Não Tributáveis”. O declarante deve incluir o dinheiro no item 26, “Outros com o CNPJ da Fonte Pagadora (Empregadora)”. A descrição deve conter a expressão “Ajuda Compensatória”, para identificar a natureza dos valores.

Para saber quais valores foram pagos como benefício emergencial ou ajuda compensatória, o contribuinte deve acessar o aplicativo Carteira de Trabalho Digital ou consultar o empregador.

Leia mais:  Governo publica cronograma de leilões para compra de energia elétrica

Emprego

Em vigor de abril a dezembro do ano passado, o programa de suspensão de contratos e de redução de jornada (com redução proporcional de salários) preservou 20,1 milhões de empregos com carteira assinada durante a pandemia do novo coronavírus. Por meio do programa, o trabalhador tinha o salário reduzido ou o contrato suspenso, recebendo uma parcela do seguro-desemprego para complementar a renda e tendo o emprego preservado pelo período equivalente ao que recebeu ajuda, após o restabelecimento da jornada.

As duas modalidades, suspensão de contrato e redução de jornada, dependeu de acordo individual ou coletivo entre trabalhadores e patrões. O empregado com o contrato suspenso recebeu 100% do seguro-desemprego no lugar do salário ou 70% do seguro-desemprego e 30% do salário.

Na redução de jornada com redução proporcional dos salários, o empregado podia ter o salário e a carga de trabalho reduzidos em 25%, 50% ou 70%, recebendo o seguro-desemprego em percentuais equivalentes à diminuição do salário.

Edição: Aline Leal

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana