conecte-se conosco

POLÍTICA

‘Não dê munição ao canalha’, diz Bolsonaro sobre soltura de Lula

Publicado

source
Presidente Jair Bolsonaro arrow-options
Isac Nóbrega/PR

Bolsonaro afirmou que Lula está “momentaneamente livre”

O presidente Jair Bolsonaro se manifestou pela primeira sobre a soltura do ex-presidente Lula na manhã deste sábado (9) e pediu para seus seguidores não dêem “munição ao canalha”. Ele usou seu perfil no Twitter para passar a mensagem e também disse que o petista está “momentaneamente está livre, mas carregado de culpa”.

Alem da publicação feita em redes sociais pela manhã, o presidente comentou a soltura do petista ao deixar o Palácio da Alvorada no início desta tarde. “A grande maioria do povo brasileiro é honesta, trabalhadora, e nós não vamos dar espaço nem contemporizar com um presidiário. Ele está solto, mas continua com todos os crimes dele nas costas”, afirmou Bolsonaro.

Leia mais:  "Bolsonaro não é um homem de partido e não precisa do PSL", diz Janaina Paschoal

Leia também: O que pode acontecer com Lula após fim de prisão em segunda instância

No vídeo que foi publicado junto com o texto, Bolsonaro recupera um discurso em que afirma que pessoas de bem são maioria no Brasil e atribui ao ministro Sergio Moro , da Justiça e Segurança Pública, parte da responsabilidade por sua chegada à Presidência da República.

Leia também: ‘Não quero ficar falando mal de presidente’, diz Lula em vídeo; assista

Lula foi solto na tarde desta sexta-feira (8) da carceragem da Polícia Federal de Curitiba  após decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que deu fim ás prisões após condenações em segunda instância . O novo entendimento da Corte, que era o mesmo desde 2016, permite que réus permaneçam em liberdade até se esgotarem todas as possibilidades de recursos, o trânsito em julgado.

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA

Projeto de lei propõe multa de R$ 5 mil para quem divulgar fake news

Publicado

por

source
Deputados tomando posse na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) arrow-options
Divulgação

Multa por divulgar desinformação seria mais dura para funcionários públicos

Um projeto de lei que está pronto para ser votado na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) propõe multar em R$ 5 mil aqueles que divulgarem fake news . Segundo a colunista Mônica Bergamo, o projeto é de autoria do deputado estadual Edmir Chedid (DEM) e todo o dinheiro arrecadado seria repassado para um Fundo Social de Combate à Informação Falsa.

Em casos do compartilhamento de notícias falsas por servidores públicos, a proposta determina que a multa seja aplicada em dobro. Além disso, ainda há um agravante. Se o funcionário estadual usar a estrutura pública para disseminar desinformação, a multa seria quatro vezes maior, chegando a R$ 20 mil.

Comentários Facebook
Leia mais:  "O juiz Moro não era juiz, era um canalha que estava me julgando", diz Lula
Continue lendo

Mais Lidas da Semana