conecte-se conosco


Entretenimento

Marilyn Manson nega ter abusado de Evan Rachel Wood: “Deturpação do passado”

Publicado

source
Marilyn Manson
Divulgação

Marilyn Manson

O cantor Marilyn Manson, de 52 anos, recorreu às redes sociais para negar que tenha sido abusivo durante seu relacionamento com Evan Rachel Wood , sua ex-noiva. Além disso, ele negou que tenha perdido contrato com sua gravadora.

“Obviamente minha arte e minha vida tem sido têm sido ímãs para controvérsia, mas essas afirmações recentes sobre mim são horríveis distorções da realidade. Meus relacionamentos íntimos sempre foram inteiramente consensuais com parceiros que pensam como eu. Independentemente de como – e por que – os outros agora estão optando por deturpar o passado, essa é a verdade.”, disse ele, em postagem no Instagram.

Entenda o caso

Na segunda-feira (01), a atriz Evan Rachel Wood publicou em seu Instagram um desabafo revelando que sofreu abusos enquanto foi noiva de Marilyn Manson.

Após a denúncia, supostas novas vítimas de abuso surgiram. A repercussão foi tanta que a atriz recebeu apoio de Susan Rubio, senadora norte americana, que solicitou investigações ao Departamento de Justiça do país.

Leia mais:  Thelma dá a luz e rejeita ajuda de Camila em "Amor de Mãe"

Você viu?

A atriz chegou a publicar um documento em suas redes sociais que mostra a manifestação da parlamentar sobre o caso. Confira abaixo na íntegra:

“As vítimas chamaram Marilyn Manson, conhecido como Brian Hugh Warner, de perpetrador. peço ao Departamento de Justiça dos Estados Unidos que se reúna imediatamente com essas vítimas e investigue essas acusações.

Como uma sobrevivente de violência doméstica que agora defende as vítimas em meu papel de legisladora do estado da Califórnia, compartilho um trauma comum de controle psicológico, emocional e físico nas mãos de um agressor. As vítimas quase sempre ficam isoladas de seus entes queridos, tornando muito difícil escapar ou seguir em frente. Elas geralmente são descreditadas ou são ameaçadas para ficarem calados. Uma das razões pelas quais lutei pelas vítimas em meu estado para ter mais tempo para buscar justiça e ter permissão para usar as evidências de comportamento psicológico e abusivo, comumente referido como um controle coercitivo, foi porque elas precisavam de proteções adicionais para impedir o abuso .

Leia mais:  Marido de Hickmann comemora última radioterapia e fim de vestígios de câncer

Como algumas acusadoras dos casos contra o Sr. Warner são da Califórnia, estou especialmente alarmada. Os indivíduos que se envolvem neste tipo de abuso costumam ser infratores em série. Se essas alegações forem verdadeiras e nenhuma investigação for realizada, estaremos falhando com as vítimas e permitindo que um possível perpetrador continue abusando de vítimas inocentes. Isso não deve ser permitido.

Obrigada pelo seu tempo e consideração pela ação imediata sobre este assunto. Eu apreciaria profundamente qualquer informação que você possa compartilhar sobre o andamento desta investigação à medida que avança”.

Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
publicidade

Entretenimento

Raul Gazolla relembra o assassinato de Daniella Perez, filha de Glória Perez

Publicado

por

source
Raul Gazolla relembra o assassinato de Daniella Perez
Reprodução/Instagram

Raul Gazolla relembra o assassinato de Daniella Perez

A atriz Daniella Perez, filha de Glória Perez, foi morta em 1992 . Ela foi assassinada por um colega de elenco da novela “De Corpo e Alma” e a esposa dele. A artista era casada com o ator Raul Gazolla que deu uma entrevista ao programa “A Noite É Nossa”, da Record, que vai ao ar na próxima quarta-feira (3). O artista falou sobre o crime e também o relacionamento que teve com a filha da autora.

A atriz foi encontrada morta em um matal. Raul lembra que quando foi contato pela delegacia ele pensava que a esposa havia sido somente sequestrada. “Liguei para a Glória e falei que haviam encontrado o carro, mas nada da Dani. A atriz Marilu Bueno, que fazia a mãe dela na novela, que me contou. Foi muito difícil. Eu me lembro que estava no velório e que não tinha forças para nada. Eu estava há 24 horas sem comer nem dormir. Eu nem sabia como ela tinha sido assassinada porque não me deixavam ver televisão. Quando soube, fiquei doido”, recorda.

Raul conta que ele e Glória permaneceram próximos após o crime. Porém, fala que a autora só conseguiu voltar a trabalhar com ele em 2001, quase dez anos depois do assassinato. “Ela me ligou e falou: ‘Raul, eu já posso trabalhar com você’. Temos uma grande amizade, e eu tenho um carinho absurdo pela Glória. Tanto que minha filha mais nova a chama de avó. Sou amigo e fã incondicional do trabalho dela”, diz o ator, que trabalhou com a autora em novelas como “O Clone” e “América”.

O ator também falou sobre o começo do relacionamento com Daniella Perez. Eles se conheceram nas gravações da novela “Kananga do Japão”, da extinta TV Manchete. “A primeira vez que eu olhei a Dani, pensei: ‘Eu já sonhei com essa menina.’ Foi uma coisa incrível. Eu nunca a tinha visto, mas sabia que ela já fazia parte da minha vida”, conta.

Leia mais:  Jão se apresentará no Prêmio Multishow 2020
Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana