conecte-se conosco

POLÍTICA

Joice Hasselmann chora ao relatar reação dos filhos a ameaças

Publicado

source
Joice Hasselmann arrow-options
Reprodução/ Twitter

Após discurso, parlamentares da oposição apoiaram a deputada do PSL.

A deputada federal Joice Hasselamann (PSL-SP) fez um discurso emocionado nesta terça-feira, na tribuna da Câmara dos Deputados, sobre os ataques e ameaças que têm recebido nas redes sociais. Ao receber a solidariedade de parlamentares de vários partidos, até mesmo da oposição, ela disse que reagiria e identificaria “um por um” para que respondam pelos seus atos na Justiça. A deputada também chorou ao relatar os xingamentos e a reação de seus filhos às ameaças.

Leia também: Lindbergh Farias tem direitos políticos suspensos por improbidade

Joice Hasselmann passou a ser qualificada como “porca”, “gorda” e outros termos ofensivos após decidir apoiar a manutenção de Delegado Waldir (PSL-GO) na liderança do PSL na Câmara. Com isso, foi destituída do cargo de líder do governo no Congresso pelo presidente Jair Bolsonaro, que queria seu filho, Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), no posto ocupado por Waldir.

“Foi a primeira vez que eu me senti vítima do mais sujo machismo”, disse Joice sobre os xingamentos nas redes sociais. Na tribuna, ela disse que o pior momento ocorreu quando seus dois filhos, adolescentes, perguntaram por que perfis nas redes sociais insistiam em chamá-la de “porca”.  “Não quero uma direita estúpida que odeie as pessoas”, disse a deputada .

Leia mais:  Bolsonaro exclui palavra ‘gênero’ de projeto que combate violência contra mulher

Joice disse ainda que Jair Bolsonaro precisa reconhecer seus erros e que a República não pode ser uma “filhocracia”. Ela afirmou que vai apresentar uma representação contra Eduardo Bolsonaro no Conselho de Ética da Câmara e acioná-lo na Procuradoria-Geral da República por ataques a sua honra. “Eu acumulei mais de 700 páginas de provas”, pontuou.

Leia também: Novo AI-5: Partidos denunciam Eduardo Bolsonaro ao Conselho de Ética

Além de ter sido xingada, a deputada do PSL diz ter sofrido ameaças de morte. Segundo ela, antes de dar uma entrevista ao programa Roda Viva, recebeu um e-mail com o alerta de que “não sairia viva” da TV Cultura se participasse do programa. “Qual foi o meu crime? Discordar uma única vez. Discordar de um golpe, do meu presidente. Eu discordei por ele se apequenar (…) Ele não é Deus, é um homem. E homem falha”, disse Joice.

Ex-líder do PSL , Delegado Waldir elogiou a conduta de Joice e atacou o governo. “Ninguém sabe quanto foi pago para essa reforma da Previdência passar. Muita coisa foi omitida. O tempo vai dizer quem fala a verdade” disse Waldir, que acrescentou: “Hoje, eu e você somos hienas”. 

Leia mais:  Eduardo Bolsonaro diz que "história vai se repetir" se Brasil fizer como o Chile

Alice Portugal (BA), do PCdoB, também prestou solidariedade. “Ninguém tem o direito de te atingir por ser mulher” disse. Apesar de ter sido alvo três vezes da Lei Maria da Penha, Julian Lemos (PSL-PB), adversário de Bolsonaro na disputa interna do partido, também se pronunciou:  “Nunca houve tamanho machismo”.

Leia também: Gilmar Mendes será relator de ação contra Eduardo por “novo AI-5” 

Após receber apoio de diversos parlamentares, Joice terminou o discurso afirmando que recorrerá à Justiça.  “Aqueles que usam esse expediente são bandidos. Buscarei a retratação de todos, um por um”, afirmou a deputada.

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA

Bolsonaro nega mudanças em ministérios e elogia trabalho de Weintraub

Publicado

por

source

Agência Brasil

Bolsonaro arrow-options
José Dias/PR – 19.11.19

Bolsonaro classificou o trabalho do atual ministro da Educação como ‘excelente’


Leia também: Bolsonaro afirma que vai incluir policiais condenados em indulto natalino

O presidente Jair Bolsonaro negou que vá trocar de ministérios no início do ano que vem. A jornalistas, ele afirmou que não há nada que o leve a tirar alguém do primeiro escalão. “Não está previsto [mudança em ministérios]. Não tem nada que me leve a trocar um ministro que seja”, disse em Brasília, neste sábado (14) ao passear pela Praça dos Três Poderes, no centro da capital.

Ele também elogiou o ministro da Educação, Abraham Weintraub. Considerou seu trabalho “excelente” e os acusou governos anteriores de conduzirem a educação “por um mau caminho”. “Olha a prova do Pisa. Foi feito em abril do ano passado, uma das piores notas do mundo todo”, disse  Bolsonaro , referindo-se ao Programa Internacional de Avaliação de Estudantes (Pisa).

Divulgado no início de dezembro pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), o Pisa aponta que, em 2018, o Brasil teve uma leve melhora nas pontuações de leitura, matemática e ciências. No entanto, apenas dois em cada 100 estudantes atingiram os melhores desempenhos em pelo menos uma das disciplinas avaliadas.

Leia mais:  AGU vai apurar vazamento de informações sobre caso Marielle

O presidente deixou o Palácio da Alvorada, no início da tarde deste sábado, em direção à festa de confraternização do gabinete do presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Dias Toffoli. Em seguida, ele foi ao Hospital das Forças Armadas (HFA) visitar um funcionário do Alvorada, que está internado em virtude de um acidente de trânsito.

Leia também: Com 1 ano de governo, Bolsonaro segue em campanha e é pouco aprovado

Antes de retornar à residência oficial, Bolsonaro fez duas paradas. A primeira na Esplanada dos Ministérios para cumprimentar policiais militares que davam plantão no local. Logo depois seguiu para a Praça dos Três Poderes. Lá, desceu do carro e tirou fotos com várias pessoas que lá estavam, entre turistas e vendedores de picolés. Em seguida, voltou para o Alvorada.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana