conecte-se conosco


POLÍTICA

Impeachment “pauta” a Câmara de acordo com cenário político, afirma Lira

Publicado

source
O deputado Arthur Lira, do PP do Alagoas
Maryanna Oliveira/Câmara dos Deputados

O deputado Arthur Lira, do PP do Alagoas

Candidato apoiado pelo Palácio do Planalto ao comando da Câmara , o deputado Arthur Lira (PP-AL) afirmou neste domingo que o impeachment “pauta” o presidente da Casa de acordo com o cenário político. Segundo ele, se houver aumento da inflação, protestos populares ou caos social, o processo contra o chefe do Executivo “vem naturalmente”. Em entrevista ao programa Em Foco, da Globo News, Lira disse que não quer falar sobre o caso do presidente Jair Bolsonaro de forma teórica porque isso pode “abrir uma crise política”.

“O impeachment é um processo político. Nenhum presidente pauta um impeachment, um impeachment pauta um presidente. Se tivermos inflação de 200%, protestos nas ruas, caos social, isso vem naturalmente”, disse Lira .

Adversário de Baleia Rossi (MDB-SP) na disputa, que é apoiado pelo atual presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), Lira questionou o fato de a atual gestão da Casa não ter aceitado nenhuma das mais de 50 denúncias por crime de responsabilidade contra Bolsonaro até hoje.

Maia tem 57 pedidos de impeachment na gaveta, se ele não pautou nenhum deles é porque ele sabe que ali não tem nenhum tipo (de crime) que tipifique essa gravidade. Estamos em um momento de pandemia, de crise econômica… Não precisamos falar em tese e abrir crise política. Não vou me manifestar sobre impeachment”, declarou.

Você viu?

Em seguida, Lira reforçou que Maia “não abriu nenhum” processo de impeachment: “se ele não fez até agora, é porque não deve ter visto nenhuma razão para tocar em frente os pedidos que lá existem”.

Ao ser indagado sobre fazer parte do chamado ‘centrão’ e ter alinhamento com o governo , Lira disse que o grupo “sempre foi balizador das reformas”. Ele também alfinetou o adversário, Baleia Rossi, ao dizer que “não adianta chegar e dizer que sou independente e ter os líderes do governo no Senado e no Congresso”. O MDB possui nos cargos os senadores Fernando Bezerra (PE) e Eduardo Gomes (TO).

Leia mais:  Ingrato? Bolsonaro relembra Vaza Jato e cita apoio a Moro, que retruca

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA

Marco Aurélio manda Câmara votar abertura de processo contra Bolsonaro

Publicado

por

source
Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello
REPRODUÇÃO/AGÊNCIA BRASIL

Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), pediu nesta quinta-feira (4) que a Câmara dos Deputados vote a abertura da um processo contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Trata-se de uma queixa-crime por calúnia apresentada pelo governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB).

Segundo o governador do Maranhão, Bolsonaro afirmou em uma entrevista que Dino teria negado pedido do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) para que a Polícia Militar maranhense garantisse a segurança presidencial durante visita ao estado, em 2020.

“A mentira pode ser usada deliberadamente no debate político? O Presidente da República, com suas elevadas atribuições, pode costumeiramente mentir?”, diz Dino no documento.

O Ministro Marco Aurélio encaminhou a queixa à Câmara. “Admitida a acusação contra o presidente da República, por dois terços da Câmara dos Deputados, será ele submetido a julgamento perante o Supremo Tribunal Federal, nas infrações penais comuns, ou perante o Senado Federal, nos crimes de responsabilidade. § 1º O Presidente ficará suspenso de suas funções: I – nas infrações penais comuns, se recebida a denúncia ou queixa-crime pelo Supremo Tribunal Federal”, diz a decisão.

Leia mais:  Bolsonaro e Pazuello conversam para "ajustar" falas sobre vacina, diz emissora

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana