conecte-se conosco

Tecnologia

Hyundai apresenta carro voador na CES e anuncia parceria com Uber

Publicado

Hyundai anunciou nesta segunda-feira (6) um carro voador, batizado de S-a1. A ideia do veículo, que comporta 4 passageiros e 1 piloto, foi apresentada na CES, a maior feira de tecnologia do mundo, que acontece em Las Vegas, nos Estados Unidos.

No evento, a Hyundai anunciou uma nova maneira de conectar as cidades com os veículos que voam: tratam-se dos chamados “hubs”. Em um vídeo apresentado em Las Vegas, a empresa mostrou uma espécie de “heliponto”. Ao pousar, o carro voador se conecta com os carros autônomos.

No chamado “hub”, podem chegar e partir diversos desses modelos autônomos. A Hyundai está exibindo alguns modelos em tamanho real dos veículos.

Segundo a fabricante, objetivo do carro voador é ser seguro, silencioso, acessível e centrado no passageiro.

Também nesta segunda-feira, Uber e Hyundai anunciaram uma nova parceria para desenvolver o Uber Air Taxis – projeto de táxis voadores – como uma futura rede de compartilhamento de viagens aéreas.

Conceito da Hyundai inclui carros voadores e estações de embarque e desembarque de passageiros — Foto: Divulgação

Conceito da Hyundai inclui carros voadores e estações de embarque e desembarque de passageiros — Foto: Divulgação

Leia mais:  Novo drone da DJI cabe na palma da mão; veja fotos

A Hyundai é a primeira empresa automotiva a aderir à iniciativa. Com isso, o projeto passa a ter capacidade de fabricação em escala automotiva e um histórico de veículos elétricos de produção em massa. O conceito de veículo aéreo lançado pela Hyundai teve participação, no design, da Uber.

Nesta parceria, a Hyundai produzirá e implantará os veículos aéreos e a Uber fornecerá serviços de suporte ao espaço aéreo, conexões para transporte terrestre e interfaces com os clientes por meio de uma rede de compartilhamento de passeio aéreo.

Uber e Hyundai Motor anunciam parceria aérea de compartilhamento de passageiros e lançam novo modelo de táxi aéreo em larga escala na CES — Foto: DivulgaçãoUber e Hyundai Motor anunciam parceria aérea de compartilhamento de passageiros e lançam novo modelo de táxi aéreo em larga escala na CES — Foto: Divulgação

Uber e Hyundai Motor anunciam parceria aérea de compartilhamento de passageiros e lançam novo modelo de táxi aéreo em larga escala na CES — Foto: Divulgação

Outros modelos

Em agosto do ano passado, um carro voador da empresa japonesa NEC realizou um voo de teste de cerca de um minuto. Confira no vídeo abaixo:

Carro voador japonês faz voo de um minuto em teste

Carro voador japonês faz voo de um minuto em teste

Além da Nec, empresas como Boeing e Pal-V estão trabalhando em seus conceitos voadores. Em outra frente, companhias também desenvolvem motos voadoras, inclusive, até a polícia de Dubai está utilizando um protótipo do tipo.

Leia mais:  Xiaomi aposta na relação custo-benefício e vê participação no mercado disparar

Por G1

Comentários Facebook
publicidade

Tecnologia

Apple é condenada a pagar US$ 500 milhões por violar patente do 4G

Publicado

Apple deve pagar mais de US$ 500 milhões em danos e juros por infringir patentes de 4G que pertenciam à empresa PanOptis, decidiu um tribunal do Texas, nos EUA. A gigante da tecnologia vai apelar da decisão, de acordo com a imprensa local.

A PanOptis, especializada em licenças de patentes, processou a Apple em fevereiro do ano passado, alegando que a empresa se negou a pagar pelo uso de tecnologias 4G LTE em seus smartphones, tablets e relógios.

“Os demandantes negociaram reiteradamente com a Apple para alcançar um acordo para uma licença ‘FRAND’ que permita o uso dos portfólios de patentes dos demandantes, que a Apple está infringindo”, afirma um documento do tribunal.

“FRAND” faz referência a termos que são “justos, razoáveis e não discriminatórios”, o padrão da indústria para o uso de tecnologias.

“As negociações não tiveram sucesso porque a Apple se nega a pagar uma taxa pela licença dos demandantes”, completa o documento.

A Apple argumentou sem sucesso que as patentes eram inválidas, de acordo com publicações legais.

Leia mais:  Não é só em Harry Potter: capa de invisibilidade já é real; veja o vídeo

“Processos como este, por empresas que acumulam patentes simplesmente para assediar a indústria, servem apenas para sufocar a inovação e prejudicar os consumidores”, afirmou a Apple em um comunicado.

O caso é uma de várias demandas por violações de patentes apresentadas por empresas especializadas em licenças, que não fabricam nenhum produto, mas têm direitos sobre certas tecnologias.

A justiça do Texas já decidiu duas vezes contra a Apple, que foi condenada a pagar centenas de milhões de dólares a VirnetX — outra empresa especializada em litígios por patentes.

Em seu site, a PanOptis oferece serviços para administrar as patentes dos clientes, permitindo que se concentrem na “inovação e novos desenvolvimentos”.

Por: G1

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana