conecte-se conosco


POLÍTICA

Hospital das Forças Armadas têm 85% de leitos vazios e não atende civis

Publicado em

POLÍTICA

source
Hospital das Forças Armadas
Reprodução/Facebook @HFA- Hospital das Forças Armadas

Hospital das Forças Armadas

Com vagas reservadas para atender militares, o Hospital das Forças Armadas tem até 85% das vagas de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ociosas. O percentual foi divulgado após determinação do Tribunal de Contas da União (TCU). Em todo o Brasil, pacientes tem enfrentado filas para conseguirem ser internados. A informação é da Folha de S.Paulo .

O TCU está investigando possíveis irregularidades por parte de Ministério da Defesa, Exército, Aeronáutica e Marinha, que não ofertaram a civis leitos destinados a pacientes com Covid-19 em unidades militares de saúde. Essas unidades consumiram pelo menos R$ 2 bilhões do Orçamento da União em 2020, segundo auditoria do TCU.

Segundo os auditores, os hospitais militares deveriam fazer convênios com o SUS para ampliar atendimentos à população durante essa fase mais crítica da pandemia do novo coronavírus (Sars-CoV-2).

Ainda de acordo com o tribunal, a reserva de vagas a militares contraria princípios da dignidade humana e viola o dever constitucional do Estado de oferecer acesso à saúde de forma universal.

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA

Queiroga deve ser o primeiro ouvido pela CPI da Covid, diz senador

Publicados

em

Por

source
Senador Humberto Costa (PT-PE)
Agência Brasil

Senador Humberto Costa (PT-PE)

Humberto Costa (PT-PE), um dos senadores indicados para compor a CPI da Covid, disse em entrevista à CNN Brasil que o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, deve ser o primeiro convidado a prestar esclarecimentos sobre as ações do governo federal durante a pandemia. 

Segundo o senador da oposição, a escolha pelo atual titular da Saúde se dá pelo motivo de que a CPI, em um primeiro momento, deve buscar respostas sobre as medidas de combate à Covid-19 que devem ser adotadas imediatamente.

“Acho que o primeiro convidado deve ser o próprio ministro da Saúde, para que ele possa nos dizer o que o governo pretende fazer daqui para frente para o controle da pandemia, como eles estão enfrentando e procurando resolver os problemas emergenciais, como a escassez de vacinas, como a crise de abastecimento de medicamentos para procedimentos complexos como as entubações. A CPI tem que exercer o papel de investigar, mas também exercer o papel para que o governo cumpra a sua missão, e nós vamos cobrar”, afirmou o senador, que foi ministro da Saúde por pouco mais de dois anos durante o primeiro mandato do governo Lula.

Leia mais:  Luciano Huck divide opiniões ao dizer ser a favor da prisão após 2ª instância

O senador disse que a CPI deve começar o “mais urgente possível” e que a agilidade para o início dos trabalhos deveria ser um interesse também do governo federal, já que a investigação pode se alongar até próximo das eleições de 2022.

“Defendo que a CPI comece de imediato, temos que apresentar a proposta de um funcionamento misto, ouvir pessoas, fazer reuniões onde tenhamos um debate mais conceitual, ouvindo cientistas e professores, pode ser feito de forma remota. As audiências onde vamos escutar testemunhas e debater quebra de sigilos ou acesso a documentos sigilosos, essa podemos fazer de modo presencial ou semi presencial, um pouco mais para frente, dentro de 1 mês e meio, quando melhorar a situação da pandemia”, afirmou Costa. 

Comentários Facebook
Continue lendo

ITURAMA E REGIÃO

POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

Mais Lidas da Semana