conecte-se conosco


POLÍTICA

Governadora do RN sobre aglomerações durante o carnaval: “Brincar com a morte”

Publicado

source
Fátima Bezerra (PT), governadora do RN
Antonio Cruz/Agência Brasil

Fátima Bezerra (PT), governadora do RN

A governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT) recriminou nesta segunda-feira (15) em entrevista as aglomerações vistas no estado durante o final de semana em meio à pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2) .

“Infelizmente, estamos tendo problemas. Problemas focais, como em Pipa. Aquilo é inaceitável. As forças de segurança do estado estão se dirigindo nesse momento à praia de Pipa. Inclusive lideradas pelo secretário de segurança”, afirmou a petista em entrevista a Globo News.

Destino de turistas , a praia de Pipa registrou diversas aglomerações nas ruas em frente a bares. Nas imagens, há aglomerações e a maioria absoluta das pessoas não usa máscaras.

No início do mês, um decreto estabelecido em todo o estado proíbe eventos que gerem aglomerações durante o feriado de carnaval.

Você viu?

Confira o registro de turistas e moradores desrespeitando o decreto e festejando nas ruas:

“Por favor, não dá para repetir as cenas de ontem, aquilo é um escárnio, aquilo é brincar com a morte”, reclama Fátima.

O estado potiguar já registrou desde o início da pandemia 147 mil casos da doença, e mais de 3000 mortes em decorrência do vírus. Segundo a governadora, a ocupação de leitos na capital Natal e na região metropolitana está próximo de 100%.

“Uma vez acometidas por covid-19, [as pessoas] virão em busca de atendimento na região metropolitana. E aí a pergunta: vai ter leitos?”, questiona Bezerra.

Comentários Facebook
Leia mais:  Moro diz que pode surgir corrupção no governo, mas Bolsonaro é 'pessoa íntegra'
publicidade

POLÍTICA

Marco Aurélio manda Câmara votar abertura de processo contra Bolsonaro

Publicado

por

source
Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello
REPRODUÇÃO/AGÊNCIA BRASIL

Ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Marco Aurélio Mello

O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), pediu nesta quinta-feira (4) que a Câmara dos Deputados vote a abertura da um processo contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido). Trata-se de uma queixa-crime por calúnia apresentada pelo governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB).

Segundo o governador do Maranhão, Bolsonaro afirmou em uma entrevista que Dino teria negado pedido do Gabinete de Segurança Institucional (GSI) para que a Polícia Militar maranhense garantisse a segurança presidencial durante visita ao estado, em 2020.

“A mentira pode ser usada deliberadamente no debate político? O Presidente da República, com suas elevadas atribuições, pode costumeiramente mentir?”, diz Dino no documento.

O Ministro Marco Aurélio encaminhou a queixa à Câmara. “Admitida a acusação contra o presidente da República, por dois terços da Câmara dos Deputados, será ele submetido a julgamento perante o Supremo Tribunal Federal, nas infrações penais comuns, ou perante o Senado Federal, nos crimes de responsabilidade. § 1º O Presidente ficará suspenso de suas funções: I – nas infrações penais comuns, se recebida a denúncia ou queixa-crime pelo Supremo Tribunal Federal”, diz a decisão.

Leia mais:  Datafolha Rio: Paes diminui vantagem sobre Crivella: 55% a 23%

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana