conecte-se conosco


POLÍTICA

Governador do Ceará decreta toque de recolher no estado a partir de sábado

Publicado em

POLÍTICA

source
Camilo Santana, governador do Ceará
José Cruz / Agência Brasil

Camilo Santana, governador do Ceará

O governador do Ceará , Camilo Santana (PT) anunciou na tarde desta sexta-feira (26) um toque de recolher para todo o estado, que valerá a partir de amanhã (27) até domingo da semana que vem, 7 de março.

Entre as 20h e as 5h durante segunda e sexta, e das 19h às 5h aos finais de semana está proibida a circulação em espaços públicos. Serão permitidas saídas “somente em situação de comprovada necessidade”.

Confira o tuíte do governador cearense:


Nos outros períodos, as atividades não-essenciais poderão funcionar com horário e circulação reduzida. Igrejas poderão funcionar com 30% da capacidade, assim como academias de ginástica.

Com as escolas atuando ainda de forma remota, Camilo Santana afirma estar “dialogando com o setor da educação para avaliar a forma mais segura do retorno presencial”.

Leia mais:  Planalto estuda três nomes para substituir Pazuello no Ministério da Saúde

Você viu?

O estado cearense, assim como diversos outros no país, passa por um momento delicado na pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2), vendo um aumento de casos e óbitos.

Segundo informações da Secretaria de Saúde do Ceará , o número de mortes em decorrência do vírus aumentou 67% em apenas uma semana no estado.

Desde o início da pandemia , foram registrados mais de 418 mil casos da doença, com 11.143 pessoas vindo a óbito no Ceará.

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA

Congresso é “omisso” e “cúmplice” da atuação de Bolsonaro, dizem advogados

Publicados

em

Por

source
Advogados Kakay e Sheila de Carvalho falaram sobre a CPI da Covid-19 no Senado
Reprodução

Advogados Kakay e Sheila de Carvalho falaram sobre a CPI da Covid-19 no Senado

Os advogados Antônio Carlos de Almeida Castro, conhecido como Kakay, e Sheila de Carvalho chamaram o Congresso Nacional de “omisso” e “cúmplice” das ações do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para o combate à Covid-19 . As críticas foram feitas em conversa com iG nesta terça-feira (13) durante a live Em Cima do Fato , que discutiu a instauração da CPI da Covid-19 no Senado.

Ao falar sobre a tentativa de Bolsonaro de mudar objeto da CPI e de outros atos do presidente, como foi revelado em conversa entre ele e o senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO), Kakay afirmou que talvez seja esse o motivo pelo qual o Judiciário tenha sido muito acionado ultimamente. 

“Nesse caso da CPI, há uma previsão constitucional que a CPI é um direito da minoria. Quem foi bater às portas do STF foram os senadores. O STF não levantou de manhã e falou que ia abrir uma CPI, não é assim que funciona. Há omissão do Congresso Nacional porque estavam presentes os requisitos constitucionais das assinaturas mínimas e o objeto definido. O Congresso Nacional tem sido omisso, sim”, afirmou o advogado criminalista.

Leia mais:  Lula chama Bolsonaro de genocida e fala que combate contra covid é a '3° Guerra'

“Não existe vácuo de poder no Brasil. A partir do momento em que o Congresso Nacional não age, se alguém provocar o Judiciário, necessariamente o Supremo tem que agir”, completou.

Já para Sheila de Carvalho, o Congresso tem se comportado como cúmplice por conta da falta de medidas tomadas para evitar o aumento do número de mortes pela Covid-19.

Você viu?

Segundo a especialista, “a gente está vendo os crimes acontecendo, uma política de morte”, algo que, na avalição dele “não é natural”.

“A gente tem a responsabilidade sobre mais de 350 mil vidas perdidas que foram perdidas, estudos já demonstram, por conta de uma negligência da gestão dessa pandemia. Há estudos que mostram que 75% a 80% das vidas poderiam ter sido salvas se agente tivesse adotado políticas para a contenção da pandemia. Esse é o foco dessa CPI e ela deveria ter instaurada há muito mais tempo”, disse.

Ainda de acordo com Kakay, está sendo criada uma expectativa muito grande em relação ao órgão colegiado e que, nesse momento o foco maior deve ser o combate à pandemia.

“Ela é um instrumento poderosíssimo, mas nós temos que ter a consciência que ela demora, leva tempo para investigação, é necessário ampla defesa para o devido processo legal. A minha preocupação maior é que nós estamos no momento de 4 mil mortes diárias, nós temos um presidente absolutamente sádico que cultua a morte. Esse presidente tem feito cortinas de fumaça para tirar a atenção que tem que ser a única, que é o combate à pandemia”, afirmou.

Por conta disso, a visão de Sheila Carvalho é a de que falta vontade política para a abertura de um processo de impeachment contra Bolsonaro. “Qualquer pessoa que pega a Lei do Impeachment para ler, fica claro a existência de crime de responsabilidade. Não precisa nem necessariamente ser jurista. Lendo a argumentação, fica evidente”, disse.

Comentários Facebook
Continue lendo

ITURAMA E REGIÃO

POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

Mais Lidas da Semana