conecte-se conosco


POLÍTICA

Gilmar Mendes declara que Lula “é digno de um julgamento justo”; entenda

Publicado

source
Ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal
NELSON JR./STF

Ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal

O ministro Gilmar Mendes , do Supremo Tribunal Federal ( STF ), declarou nesta terça-feira (2) que o ex-presidente Lula (PT) merece ter um “julgamento justo” no processo que investiga a compra de um triplex no Guarujá, em São Paulo.

“Nós temos que encerrar essa preocupação midiática de julgar o Lula tendo em vista esse desiderato: fazê-lo inelegível. Eu sempre digo: Lula é digno de um julgamento justo”, afirmou Gilmar em entrevista para a Rádio Bandeirantes.

Nesta segunda (1), o ministro Ricardo Lewandowski tirou o sigilo de mensagens trocadas entre Sérgio Moro e procuradores da Lava Jato. Para a defesa do petista, as conversas indicam imparcialidade do juiz no processo.

Confira o tuíte publicado na conta do ex-presidente:

O ministro do Supremo viu com preocupação os diálogos revelados entre os membros da Operação:

Você viu?

Leia mais:  Maia e Lira batem boca em reunião na Câmara após decisão sobre bloco de Baleia

“De fato, eles revelam uma situação bastante preocupante do juiz Sérgio Moro como se fora um chefe da operação Lava Jato, como se fosse o coordenador dos procuradores”, afirma.

Gilmar inclusive cita uma “relação promíscua entre procuradores e juristas” ao comentar a atuação de Sergio Moro

Em várias passagens se verá que Moro assume as posições de um chefe do grupo da força tarefa, o Dallagnol faz consultas sobre como deveria proceder, Isso parece muito preocupante”.

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA

Qualquer coisa considerada válida contra a covid-19 deve ser usada, diz Mourão

Publicado

por

source
Vice-presidente Hamilton Mourão
O Antagonista

Vice-presidente Hamilton Mourão

Na manhã desta quarta-feira (03), o vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB), disse que “qualquer coisa” considerava válida contra o novo coronavírus, deve ser usada. Ele havia sido questionado sobre a possibilidade de importação do spray nasal de Israel . As informações foram apuradas pelo Metrópoles. 

“A medicina brasileira conseguiu desenvolver uma série de procedimentos – e aí vai de acordo com cada profissional de saúde – que permite que hoje, 97,5% das pessoas que são infectadas não tenham problema nenhum e se curem da doença. Qualquer outra coisa que for válida, comprovadamente, pode ser utilizada”, declarou. 

O presidente Jair Bolsonaro , desde de o início do mês de fevereiro, vem afirmando que mandaria uma comitiva até Israel e m busca da medicação que ainda se apresenta na fase de testes . Na terça-feira (02), Bolsonaro confirmou que no próximo sábado (06), uma comitiva brasileira chefiada pelo chanceler brasileiro Ernesto Araújo, será enviada. 

“Decisão é decisão, não compete a mim analisar. Vamos lembrar o seguinte: a vacina é o último remédio que nós temos, aquele que vai realmente impedir que a pessoa mesmo sendo contaminada entre numa situação crítica que pode levar ao óbito”, afirmou Mourão em relação a decisão de enviar a comitiva a Israel. 

Leia mais:  Convenção do Novo em São Paulo será em formato "drive-thru"

Na última sexta-feira (26), o ministro da Saúde de Israel, Yuli Edelstein, declarou que 50% da população do país já recebeu a primeira dose da vacina contra a covid-19 e que 35% desse número, já foi vacinado com a segunda dose do imunizante, ou seja, menos 95,8% de risco da população israelense se contaminar com a covid-19. 

O spray nasal ressaltado pelos políticos ainda está na fase de avaliação e foi testado somente em 30 pessoas. Os pesquisadores contam que os testes foram realizados entre pessoas de 18 a 85 anos, mas não deixam explícito a idade dos participantes do experimento. 

Segundo o governo israelense, o spray deve ser inalado uma vez durante o dia, levando alguns minutos, pelo período de cinco dias, para os pacientes que recebem tratamento em hospitais para a infecção. Ele é focado para o tratamento dos pulmões. Caso ele seja autorizado e trazido para o Brasil, deverá passar pela aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária ( Anvisa ).  

Leia mais:  Governadores se revoltam com Bolsonaro por cancelamento de compra da CoronaVac

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana