conecte-se conosco


CIÊNCIA E SAÚDE

Funed identifica nova variante do coronavírus em seis pacientes do AM que se trataram em Uberaba

Publicado

Variante P1 foi detectada pelo Laboratório Central da Fundação Ezequiel Dias. Secretaria de Saúde de MG disse não ser possível afirmar que ela esteja em circulação no Estado.

O Laboratório Central da Fundação Ezequiel Dias (Lacen/Funed), em Belo Horizonte, identificou a presença da nova variante do coronavírus P1 em seis pacientes vindos de Manaus para se tratar em Uberaba. A informação foi confirmada pela Secretaria de Estado de Saúde (SES) de Minas Gerais nesta segunda-feira (15).

Dezoito pacientes foram transferidas do Amazonas, devido ao colapso na rede de saúde, para tratar a Covid-19 no Hospital Regional de Uberaba, onde deram entrada no dia 24 de janeiro. Os dois últimos paciente receberam alta no dia 10 de fevereiro. Ao todos, 10 se curaram e voltaram para o Estado e outros oito morreram.

No dia seguinte à chegada a Uberaba, todos foram submetidos a coleta de material para exame de sequenciamento genético para identificar a cepa do vírus. O material seguiu para o Lacen/Funed, que por meio do sequenciamento genético constatou a variante P1.

De acordo com a SES, ela é derivada de uma das variantes predominantes no país, a B.1.1.28. A nova linhagem contém uma composição única de mutações, que ocorrem principalmente na proteína spike, responsável pela entrada do vírus nas células humanas.

Leia mais:  Antibiótico usado de forma errada pode causar danos à saúde

Em nota a Prefeitura de Uberaba disse que a Secretaria Municipal de Saúde ainda não foi notificada pela Superintendência Regional e Saúde ou Estado de MG, sobre o resultado do exame.

Circulação da variante em MG

A SES esclareceu que não é possível afirmar que a nova variante do coronavírus P1 está em circulação em Minas Gerais. O Lancen/Funed tem realizado, desde o dia 21 do mês passado, segundo a secretaria, a vigilância genômica para identificar possíveis mutações do vírus.

Tratamento em Uberaba

Após o colapso no sistema de saúde de Manaus, os hospitais ficaram sem oxigênio e os pacientes precisaram ser transferidos para outros estados. Uberaba foi a primeira cidade de Minas Gerais a receber os pacientes de Manaus.

Duas pacientes Manaus alta Hospital Regional de Uberaba Covid-19 — Foto: Lilian Veronezi/Prefeitura de Uberaba

Ao todo, 18 pessoas foram transferidas da capital amazonense no dia 24 de janeiro, sendo 11 homens e sete mulheres, com faixa etária que varia de 30 a 70 anos. Durante este período, dez receberam alta e oito morreram.

No dia 25 de janeiro, eles foram submetidos a coleta de material para exame de sequenciamento genético para definir qual a cepa do vírus. O material seguiu para o laboratório da Fundação Ezequiel Dias (Funed), em Belo Horizonte. O resultado ainda não foi divulgado.

Leia mais:  Morre primeira vítima da covid-19 em Ouroeste

Hospital Regional exclusivo para tratamento de Covid-19

Pacientes sem Covid-19 que estavam no Hospital Regional foram transferidos para outras unidades de Uberaba para chegada dos pacientes de Manaus. Com isso, o HRJA se tornou uma unidade para tratamento exclusivo da Covid-19, por tempo indeterminado, segundo a assessoria do Município.

“Dessa forma, o Hospital Regional ficará exclusivo para tratamento da Covid-19, com capacidade garantida pelo Estado para habilitar mais leitos. Uberaba está tendo a chance de mostrar para o Brasil a capacidade de enfrentar a Covid-19 com gestão responsável e humanitária”, explicou a prefeita.

O Hospital Regional tem capacidade para estruturar, pelo menos, mais 30 leitos: 20 de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e dez de clínica médica para atender casos suspeitos e confirmados de Covid-19. A informação é do diretor administrativo do HRJA, Frederico Guglielmi Ramos.

“O hospital já tem um número de equipamentos adequado para fazer a abertura dos 30 leitos, em caso de necessidade. Usaríamos as salas de recuperação pós-cirúrgica, mais as salas cirúrgicas e os leitos de recuperação do setor de endoscopia e colonoscopia”, explicou Ramos.

Por: G1 Triângulo e Alto Paranaíba

Comentários Facebook
publicidade

CIÊNCIA E SAÚDE

Covid-19: Prefeitura de Uberaba impõe medidas mais rígidas e fecha supermercados aos domingos

Publicado

Moradores circulam no Calçadão da Artur Machado, no Centro de Uberaba — Foto: Reprodução/TV Integração

Novo decreto também suspende aulas presenciais de Ensino Superior e aumenta valor de multa para infratores. Em reunião com prefeitos do Triângulo do Sul, Elisa Araújo falou sobre a internação de pacientes de outros municípios.

O Decreto Municipal 222, que estabelece regras de enfrentamento à Covid-19 em Uberaba, foi prorrogado por mais 15 dias a partir de quinta-feira (25). Além disso, também foram impostas outras medidas ainda mais rígidas para conter o avanço da doença na cidade. A prorrogação está no decreto 306, publicado no Porta-Voz de quarta-feira (24).

O Município fez um alerta em relação às fake news que circulam na internet sobre o decreto. Em reunião com prefeitos do Triângulo do Sul, a prefeita Elisa Araújo (Solidariedade) tratou sobre a internação de pacientes com Covid-19 de municípios da região.

Até o dia 11 de março, o funcionamento de supermercados, mercados, minimercados, mercearias, armazéns, varejões, centro de distribuição de alimentos e a Feira da Abadia está suspenso aos domingos.

Também estão suspensas as aulas presenciais nas Instituições de Ensino Superior (IESs), permitindo apenas aulas práticas para o Internato de Medicina e para os acadêmicos dos dois últimos anos dos cursos da área da Saúde.

Leia mais:  Morre aos 86 anos, Ubaldo Martins, dono do Anglo de Fernandópolis

O critério para esta decisão foi baseada no aumento de casos de coronavírus em jovens com idades entre 20 e 29 anos, conforme dados apresentados pelo Observatório Covid-19 Uberaba, projeto de pesquisa da Universidade Federal do Triângulo Mineiro (UFTM) voltado para a análise técnica da evolução da doença no município.

A multa para os infratores também aumentou, passando a ser de R$ 586,94 a R$ 5.869,40, além da interdição imediata do estabelecimento. Outra novidade é que a multa será aplicada tanto ao proprietário do estabelecimento infrator, quanto aos organizadores do evento e aos participantes que estiverem no local descumprindo as medidas de biossegurança previstas no decreto.

Também conforme o Porta-Voz de quarta-feira, a suspensão e cirurgias eletivas e internações clínicas eletivas nos hospitais públicos e privados de Uberaba foi prorrogada por prazo indeterminado.

Reunião com prefeitos

Em reunião virtual com os prefeitos da macrorregião do Triângulo do Sul, a prefeita Elisa Araújo (Solidariedade) alinhou que o decreto de Uberaba seja referência para os decretos dos outros 26 municípios desta região.

Leia mais:  Mutação pode ter tornado o novo coronavírus mais vulnerável às vacinas, aponta estudo

Ficou acertado também que os pacientes com Covid-19 da macrorregião que estão internados em Uberaba voltarão para a cidade de origem assim que saírem do risco de transmissibilidade.

Desta forma, os leitos de enfermaria serão desocupados mais rapidamente, contribuindo para evitar o esgotamento do índice de ocupação dos leitos.

Segundo a prefeita Elisa, para receber pacientes de outras regiões, foi estabelecido um índice, que é calculado diante da relação de casos ativos por leitos disponíveis, para que não prejudique o atendimento aos pacientes do Triângulo do Sul.

“Por isso, no momento, não estamos aptos a receber pacientes. Estamos melhorando a nossa estrutura de atendimento para não haver colapso”, ressaltou.

Ainda segundo Elisa, muitos questionam o motivo de o Hospital São José não ser usado para atender pacientes com Covid-19.

“A abertura deste hospital requer um investimento de, aproximadamente, R$ 5 milhões, além do tempo da obra. Um valor que não temos no momento. E, caso venhamos a conseguir, é mais eficiente equipar o Hospital Regional e contratar mais equipes de saúde”, acrescentou.

Por: G1 Triângulo e Alto Paranaíba

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana