conecte-se conosco


Esportes

Fórmula 1 cancela GP Brasil no Autódromo de Interlagos devido ao coronavírus

Publicado em

Esportes

A Fórmula 1 anunciou nesta sexta-feira (24) o cancelamento do Grande Prêmio do Brasil, realizado anualmente no Autódromo de Interlagos, Zona Sul de São Paulo, devido à pandemia do novo coronavírus. Também foram cancelados os GPs deste ano que ocorreriam nos Estados Unidos, no México e no Canadá.

Desde o início de julho havia rumores sobre o possível cancelamento das corridas no continente americano. A previsão inicial da Fórmula 1, antes dos cancelamentos causados pela pandemia, era de que a etapa brasileira ocorresse em 15 de novembro. Até o início deste mês, o governador de São Paulo, João Doria, previa o evento no Autódromo de Interlagos.

Esta será a primeira vez em 47 anos que o Grande Prêmio do Brasil não será realizado.

“A decisão se deve à natureza fluida da pandemia em andamento da Covid-19, às restrições locais e à importância de manter as comunidades e nossos colegas em segurança”, explicou a Fórmula 1 em nota.

Autódromo de Interlagos durante Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1, em 2019 — Foto: Reprodução TV Globo

Autódromo de Interlagos durante Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1, em 2019 — Foto: Reprodução TV Globo

Novo calendário para 2020

O presidente e CEO do evento, Chase Carey, disse que está ansioso para receber as corridas de volta ao cronograma em 2021. “Queremos saudar nossos incríveis parceiros nas Américas, e esperamos voltar com eles na próxima temporada, quando mais uma vez conseguirão emocionar milhões de fãs em todo o mundo”, disse ele.

Um novo calendário da F1 para 2020 foi anunciado nesta sexta, com as datas para as corridas de Nürburgring, na Alemanha (9 a 11 de outubro), Portimão, em Portugal (23 a 25 de outubro), e Ímola, na Itália (31 de outubro e 1 de novembro).

Leia mais:  Maradona morre aos 60 anos

Governador e prefeito defenderam etapa em SP

Ao falar no início de julho sobre a possibilidade da etapa brasileira da Fórmula 1 ser cancelada, tanto o governador João Doria (PSDB) quanto o prefeito da cidade de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), chegaram a afirmar que o evento seria mantido.

Covas chegou a afirmar que os indicadores de saúde da cidade permitiam que o GP do Brasil ocorresse em novembro com segurança. “A gente espera que eles compreendam que aqui na cidade não há nenhum risco de realização da prova em novembro deste ano”, disse o prefeito na ocasião.

Nesta sexta (24), após saber do cancelamento feito pela Fórmula 1, ele voltou a defender que a cidade teria condições de receber o evento, desde que sem público, mas disse respeitar a decisão.

“A projeção mostra que em novembro nós estaremos em uma situação bem melhor do que estavam os países europeus onde nós já tivemos a realização de Grande Prêmio. E destacamos, inclusive, que tanto as autoridades sanitárias do estado, quanto as autoridades sanitárias do município, desenvolveram um protocolo para a realização de eventos automobilísticos aqui na cidade”, disse Covas.

Na temporada 2019, o Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 recebeu 158 mil pessoas nos três dias de evento em Interlagos – foi o maior público desde a edição de 2001.

Leia mais:  Palmeiras x Santo André: veja onde assistir, escalações, desfalques e arbitragem

De acordo com a Prefeitura de São Paulo, o impacto no turismo foi de R$ 361 milhões, crescimento superior a 8% em relação à temporada de 2018. Para deixar o circuito pronto para receber o GP do Brasil em 2019 foram investidos R$ 51,7 milhões.

GP em SP segue indefinido para 2021

A realização da etapa paulistana da Fórmula 1 segue indefinida para o próximo ano. O atual contrato com São Paulo para a realização do Grande Prêmio do Brasil termina nesta temporada de 2020 e ainda não foi renovado.

Segundo o prefeito Bruno Covas informou em entrevista coletiva na tarde desta sexta, a renovação ainda está sendo discutida com a organização mundial do evento. “A gente continua as tratativas com a organização do evento para a prorrogação do contrato a partir do ano que vem”, declarou.

O presidente da República, Jair Bolsonaro, chegou a defender, em 2019, que o evento fosse transferido para o Rio de Janeiro.

Ainda em 2018, dirigentes do Liberty Media, grupo americano que promove a Fórmula 1, e da Dorna, promotora da MotoGP, chegaram a avaliar um projeto inicial de empresário brasileiros para a construção de um autódromo em Deodoro, Zona Norte do Rio. O projeto do autódromo, no entanto, não saiu do papel.

Por: G1

Comentários Facebook
Propaganda

Esportes

Minas afasta Maurício Souza, que é multado e deverá se retratar após declarações homofóbicas

Publicados

em

Central fez postagem nas redes sociais sobre a orientação sexual do novo Super-Homem: “Vai nessa que vai ver onde vamos parar”, publicou

Diante do caso envolvendo Maurício Souza, o Minas afastou o jogador por causa de declarações homofóbicas postadas nas redes sociais. Como havia antecipado o ge durante a tarde, o clube mineiro confirmou, em um comunicado oficial divulgado nas redes sociais, que o jogador ainda terá de se retratar publicamente e pagar uma multa.

“O presidente do Minas Tênis Clube, Ricardo Vieira Santiago, se reuniu com o atleta Maurício Souza esta tarde e lhe informou sobre o seu afastamento por tempo indeterminado. O atleta também recebeu uma multa e foi orientado a fazer uma retratação pública imediata.”

Nesta terça-feira, os principais patrocinadores da equipe se manifestaram sobre o posicionamento do atleta. As empresas pediram, em notas separadas, “medidas cabíveis” ao clube mineiro e repudiaram as declarações homofóbicas do jogador.

Diante do caso envolvendo Maurício Souza, o Minas afastou o jogador por causa de declarações homofóbicas postadas nas redes sociais. Como havia antecipado o ge durante a tarde, o clube mineiro confirmou, em um comunicado oficial divulgado nas redes sociais, que o jogador ainda terá de se retratar publicamente e pagar uma multa.

“O presidente do Minas Tênis Clube, Ricardo Vieira Santiago, se reuniu com o atleta Maurício Souza esta tarde e lhe informou sobre o seu afastamento por tempo indeterminado. O atleta também recebeu uma multa e foi orientado a fazer uma retratação pública imediata.”

Nesta terça-feira, os principais patrocinadores da equipe se manifestaram sobre o posicionamento do atleta. As empresas pediram, em notas separadas, “medidas cabíveis” ao clube mineiro e repudiaram as declarações homofóbicas do jogador.

Leia mais:  Jogadores testam positivo para Covid no Botafogo e no Corinthians

Mais cedo, uma reunião entre a diretoria do Minas e os patrocinadores do clube tratou sobre o assunto. Segundo apurou o ge, o Minas entendia que não havia clima para Maurício atuar nos próximos jogos. A estreia da equipe mineira na Superliga está prevista para sábado, contra o São José dos Campos. Assim, cogitou a possibilidade de rescindir o contrato do jogador.

No entanto, as partes chegaram a um acordo, e central mostrou-se disposto a uma retratação. Além da multa, Maurício Souza será afastado por tempo indeterminado. Só depois poderá se juntar novamente ao elenco.

Entenda o caso

 

Há cerca de duas semanas, a DC Comics anunciou que o novo Super-Homem, filho de Clark Kent, se descobrirá bissexual nas próximas edições das histórias em quadrinhos. O assunto, que foi um dos mais comentados do Twitter no dia da divulgação, também movimentou a comunidade do voleibol brasileiro.

Após a publicação da editora, Maurício Souza, postou a foto do Super-Homem e fez críticas à decisão da DC. O Minas se manifestou ainda nessa segunda-feira sobre a publicação do jogador. O clube disse que respeitava a liberdade de opinião de cada atleta, mas que não aceitava declarações homofóbicas.

– Ah é só um desenho, não é nada demais. Vai nessa que vai ver onde vamos parar – postou o jogador, que recebeu comentários de apoio de outros atletas do vôlei, como Wallace e Sidão.

 

Leia mais:  Palmeiras x Santo André: veja onde assistir, escalações, desfalques e arbitragem

O ponteiro Douglas, um dos destaques da seleção brasileira de vôlei nas Olimpíadas de Tóquio, faz parte da comunidade LGBTQIA+ e postou a mesma imagem da DC, com dizeres totalmente contrários ao exposto pelo jogador do Minas.

– Engraçado que eu não virei heterossexual vendo os super-heróis homens beijando mulheres. Se uma imagem como essa te preocupa, sinto muito, mas eu tenho uma novidade pra sua heterossexualidade frágil. Vai ter beijo sim. Obrigado DC por pensar em representar todos nós e não só uma parte ❤️ – escreveu.

O assunto gerou uma grande repercussão nas redes sociais após os internautas considerarem as postagens como indiretas entre os companheiros de seleção. Maurício, apesar das críticas que levou com seu protesto, continuou endossando sua opinião nas redes sociais.

– Hoje em dia o certo é errado e o errado é certo… Não se depender de mim. Se tem que escolher um lado eu fico do lado que eu acho certo! Fico com minhas crenças, valores e ideias – encerrou.

Comentários Facebook
Continue lendo

ITURAMA E REGIÃO

POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

Mais Lidas da Semana