conecte-se conosco

Tecnologia

Fiat confirma câmbio CVT, adota nova identidade visual e quer ‘voltar a brigar pela liderança do mercado brasileiro’ daqui 2 anos

Publicado

Fiat anunciou nesta quarta-feira (22) o que chama de “reposicionamento da marca” no Brasil. De acordo com a empresa, haverá novidades em termos de produto, promessa de melhora na qualidade dos serviços e uma identidade visual renovada.

O objetivo, segundo o diretor da marca, Herlander Zola, é “voltar a brigar pela liderança do mercado brasileiro”. De acordo com o executivo, isso deve acontecer no final desse processo de renovação, daqui cerca de 2 anos.

A Fiat encerrou 2019 como a terceira marca que mais vendeu carros no país. Foram 366 mil unidades emplacadas, cerca de 110 mil exemplares a menos do que a Chevrolet, líder de vendas. A empresa também foi superada pela Volkswagen.

A Fiat liderou o mercado brasileiro durante mais de uma década, entre 2003 e 2015, mas perdeu o posto em 2016.

Câmbio CVT e 500 elétrico

Para tentar recuperar a liderança após esse período de 2 anos citado por Zola, a Fiat afirmou que vai oferecer câmbio automático do tipo CVT no Brasil. A empresa ainda não informou quais modelos terão essa opção. O G1 apurou que a Strada será um dos primeiros modelos a receber esse tipo de transmissão.

No início de julho, o próprio Zola afirmou que a Strada automática chegaria “muito em breve”.

Leia mais:  Como saber quem tem seu número salvo no WhatsApp? Aprenda o truque
Nova geração do Fiat 500 agora é totalmente elétrica — Foto: Divulgação/Fiat

Nova geração do Fiat 500 agora é totalmente elétrica — Foto: Divulgação/Fiat

Em termos de produtos, a empresa reforçou o lançamento da nova geração do 500 no país. Em sua nova geração, o mais emblemático modelo da Fiat se tornou totalmente elétrico. A chegada, porém, teve que ser adiada para 2021 em função da pandemia do coronavírus.

Além deles, são esperados dois novos SUVs para os próximos anos, além de inéditos motores turbo, 1.0 e 1.3, que devem ser lançados já no começo de 2021.

Nova cara

Novo emblema da Fiat — Foto: Divulgação

Novo emblema da Fiat — Foto: Divulgação

A marca também anunciou uma renovação em sua imagem no país. Isso inclui novos logotipos, identidade visual das concessionárias e forma de se comunicar com clientes.

A empresa resolveu abandonar o antigo logotipo em forma de escudo na cor vinho. Agora, apenas um letreiro “Fiat” será usado nos carros. Essa ideia apareceu pela primeira vez em 2018, no Fastback, veículo conceito apresentado no Salão do Automóvel de São Paulo daquele ano.

Fiat Fastback no Salão do Automóvel 2018 — Foto: Marcelo Brandt/G1

Fiat Fastback no Salão do Automóvel 2018 — Foto: Marcelo Brandt/G1

Depois, em setembro passado, o Grand Siena passou a ostentar o letreiro na traseira. Ainda assim, o escudo aparece na dianteira. Recentemente, com o lançamento da nova Strada, a Fiat abandonou de vez o antigo emblema.

Leia mais:  Melhor que Black Friday: Dia dos Solteiros chega ao Brasil com descontos de 70%

A marca também vai utilizar um logotipo inspirado na marca usada nos anos 1980 e 1990. Ele é chamado de “Fiat flag”, ou bandeira Fiat, na tradução livre do inglês.

Além do resgate de um antigo logotipo, ele também faz menção à bandeira da Itália, país de origem da empresa.

Antiga logomarca da Fiat estilizada na nova Strada — Foto: Marcelo Brandt/G1

Antiga logomarca da Fiat estilizada na nova Strada — Foto: Marcelo Brandt/G1

São quatro barras, cada uma representando uma letra do nome da empresa. As cores são da bandeira italiana: verde, branca e vermelha.

Segundo a empresa, ele também estará presente em todos os veículos da marca a partir de agora. Na Strada, o Fiat flag foi posicionado no canto inferior na grande dianteira.

A origem italiana também será ressaltada em comerciais e nas concessionárias.

As lojas começarão a adotar uma nova identidade visual. Do lado de fora, o novo logotipo vai substituir o antigo. Na área interna, as concessionárias terão novos pisos, mesas e cadeiras, além de uma área de “coworking” onde os clientes poderão trabalhar enquanto o carro está na oficina.

Esquema do novo visual das concessionárias da Fiat — Foto: Reprodução

Esquema do novo visual das concessionárias da Fiat — Foto: Reprodução

Por: G1

Comentários Facebook
publicidade

Tecnologia

Facebook lança recurso Reels do Instagram em mais de 50 países para brigar com o TikTok

Publicado

O Facebook lançou o recurso Reels do Instagram nos Estados Unidos e em mais de 50 outros países nesta quarta-feira (5), para competir com o aplicativo TikTok.

O lançamento mais amplo do aplicativo, que já estava disponível no Brasil, ocorre dias depois que a Microsoft disse que estava em negociações para adquirir as operações do TikTok nos EUA da chinesa ByteDance.

A ByteDance concordou em negociar partes do TikTok, disseram fontes, sob pressão da Casa Branca, que ameaçou proibi-lo e outros aplicativos de propriedade chinesa por questões de segurança de dados.

O lançamento do Reels intensifica a disputa entre o Facebook e o TikTok, com as empresas se vendo como ameaça. Ambas planejam atrair mais adolescentes norte-americanos, muitos dos quais se juntaram ao TikTok nos últimos dois anos.

Além do Brasil, o Reels foi testado na França, Alemanha e Índia, que era o maior mercado do TikTok até o governo indiano o proibir no mês passado, após um choque de fronteira com a China. O Facebook também testou um aplicativo independente chamado Lasso, que não ganhou muita força.

Leia mais:  Hacker invade câmera Google Nest e ameaça sequestrar bebê

Como funciona o Reels

É possível visualizar e utilizar áudios criados por outras pessoas no Reels. — Foto: Divulgação/Instagram

É possível visualizar e utilizar áudios criados por outras pessoas no Reels. — Foto: Divulgação/Instagram

Semelhante ao TikTok, os usuários do Reels podem gravar curtos vídeos verticais em dispositivos móveis e adicionar efeitos especiais e trilhas sonoras extraídas de uma biblioteca de músicas.

Essas semelhanças levaram o presidente-executivo da TikTok, Kevin Mayer, a chamar Reels de “produto que imita” seu aplicativo e que poderia se apoiar na enorme base de usuários existente do Instagram depois que “o Lasso falhou rapidamente”.

Vishal Shah, vice-presidente de produtos do Instagram, reconheceu as semelhanças em uma videoconferência com repórteres na terça-feira e disse que “a inspiração para produtos vem de todos os lugares”, incluindo as equipes do Facebook e “o ecossistema de maneira mais ampla”.

O Instagram ainda não planeja oferecer publicidade ou outras formas de os usuários ganharem dinheiro com o Reels, embora tenha recrutado jovens influenciadores digitais como a dançarina Merrick Hanna e o músico Tiagz – que foi recentemente contratado pela Sony/ATV depois de alcançar à fama através dos memes do TikTok – para testar o produto antes do lançamento.

Leia mais:  Como saber quem tem seu número salvo no WhatsApp? Aprenda o truque

A empresa pagou aos criadores os custos de produção, disse Shah.

Por: G1

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana