conecte-se conosco


Tecnologia

Fiat confirma câmbio CVT, adota nova identidade visual e quer ‘voltar a brigar pela liderança do mercado brasileiro’ daqui 2 anos

Publicado em

Tecnologia

Fiat anunciou nesta quarta-feira (22) o que chama de “reposicionamento da marca” no Brasil. De acordo com a empresa, haverá novidades em termos de produto, promessa de melhora na qualidade dos serviços e uma identidade visual renovada.

O objetivo, segundo o diretor da marca, Herlander Zola, é “voltar a brigar pela liderança do mercado brasileiro”. De acordo com o executivo, isso deve acontecer no final desse processo de renovação, daqui cerca de 2 anos.

A Fiat encerrou 2019 como a terceira marca que mais vendeu carros no país. Foram 366 mil unidades emplacadas, cerca de 110 mil exemplares a menos do que a Chevrolet, líder de vendas. A empresa também foi superada pela Volkswagen.

A Fiat liderou o mercado brasileiro durante mais de uma década, entre 2003 e 2015, mas perdeu o posto em 2016.

Câmbio CVT e 500 elétrico

Para tentar recuperar a liderança após esse período de 2 anos citado por Zola, a Fiat afirmou que vai oferecer câmbio automático do tipo CVT no Brasil. A empresa ainda não informou quais modelos terão essa opção. O G1 apurou que a Strada será um dos primeiros modelos a receber esse tipo de transmissão.

No início de julho, o próprio Zola afirmou que a Strada automática chegaria “muito em breve”.

Leia mais:  Com maior uso da internet durante pandemia, número de reclamações aumenta; especialistas apontam problemas mais comuns
Nova geração do Fiat 500 agora é totalmente elétrica — Foto: Divulgação/Fiat

Nova geração do Fiat 500 agora é totalmente elétrica — Foto: Divulgação/Fiat

Em termos de produtos, a empresa reforçou o lançamento da nova geração do 500 no país. Em sua nova geração, o mais emblemático modelo da Fiat se tornou totalmente elétrico. A chegada, porém, teve que ser adiada para 2021 em função da pandemia do coronavírus.

Além deles, são esperados dois novos SUVs para os próximos anos, além de inéditos motores turbo, 1.0 e 1.3, que devem ser lançados já no começo de 2021.

Nova cara

Novo emblema da Fiat — Foto: Divulgação

Novo emblema da Fiat — Foto: Divulgação

A marca também anunciou uma renovação em sua imagem no país. Isso inclui novos logotipos, identidade visual das concessionárias e forma de se comunicar com clientes.

A empresa resolveu abandonar o antigo logotipo em forma de escudo na cor vinho. Agora, apenas um letreiro “Fiat” será usado nos carros. Essa ideia apareceu pela primeira vez em 2018, no Fastback, veículo conceito apresentado no Salão do Automóvel de São Paulo daquele ano.

Fiat Fastback no Salão do Automóvel 2018 — Foto: Marcelo Brandt/G1

Fiat Fastback no Salão do Automóvel 2018 — Foto: Marcelo Brandt/G1

Depois, em setembro passado, o Grand Siena passou a ostentar o letreiro na traseira. Ainda assim, o escudo aparece na dianteira. Recentemente, com o lançamento da nova Strada, a Fiat abandonou de vez o antigo emblema.

Leia mais:  Inspirada no pai, pesquisadora da UFU desenvolve dispositivo para treinamento de usuários de cadeiras de rodas motorizadas

A marca também vai utilizar um logotipo inspirado na marca usada nos anos 1980 e 1990. Ele é chamado de “Fiat flag”, ou bandeira Fiat, na tradução livre do inglês.

Além do resgate de um antigo logotipo, ele também faz menção à bandeira da Itália, país de origem da empresa.

Antiga logomarca da Fiat estilizada na nova Strada — Foto: Marcelo Brandt/G1

Antiga logomarca da Fiat estilizada na nova Strada — Foto: Marcelo Brandt/G1

São quatro barras, cada uma representando uma letra do nome da empresa. As cores são da bandeira italiana: verde, branca e vermelha.

Segundo a empresa, ele também estará presente em todos os veículos da marca a partir de agora. Na Strada, o Fiat flag foi posicionado no canto inferior na grande dianteira.

A origem italiana também será ressaltada em comerciais e nas concessionárias.

As lojas começarão a adotar uma nova identidade visual. Do lado de fora, o novo logotipo vai substituir o antigo. Na área interna, as concessionárias terão novos pisos, mesas e cadeiras, além de uma área de “coworking” onde os clientes poderão trabalhar enquanto o carro está na oficina.

Esquema do novo visual das concessionárias da Fiat — Foto: Reprodução

Esquema do novo visual das concessionárias da Fiat — Foto: Reprodução

Por: G1

Comentários Facebook
Propaganda

Economia

Banco do Brasil libera uso do PIX em seu bot para WhatsApp

Publicados

em

Aproveitando a boa recepção do público, o Banco do Brasil se tornou a primeira instituição financeira do país a liberar o uso do PIX pelo WhatsApp. A novidade foi anunciada nesta semana e funciona de forma relativamente simples.

O usuário só precisa chamar o Banco do Brasil no WhatsApp (61 4004-0001), cadastrar sua conta e escrever a palavra PIX. Após isso, o mensageiro deve exibir um menu com as opções de pagar, receber ou cadastrar chave PIX.

Imagem/Reprodução: mobiletime

O bot usado pelo Banco do Brasil foi anunciado no ano passado e já faz uma série de outras operações. Caso o usuário já tenha se cadastrado no PIX, o uso da ferramenta no WhatsApp é ainda mais fácil:

Em casos de pagamento, o assistente virtual deve solicitar a chave PIX do recebedor e o valor. O banco deve informar o nome e a instituição de destino para confirmar a transação. Caso tudo esteja certo, basta apenas responder “sim” para receber um link seguro onde será necessário digitar a senha. Após essa etapa, o comprovante é exibido no mensageiro e pode ser compartilhado.

Caso o usuário queira receber, basta apenas escolher a opção no menu e informar a chave de recebimento, valor e descrição. Assim, o WhatsApp deve exibir um QR Code para ser compartilhado com o pagador. Vale lembrar que o Banco do Brasil é parceiro do sistema de pagamentos do WhatsApp, que ainda não foi liberado pelo Banco Central.

Leia mais:  Aplicativo verificará autenticidade de documento de veículo

FONTE: https://www.tudocelular.com/mercado/noticias/n166485/banco-do-brasil-pix-whatsapp-bot-pagamentos.html

Comentários Facebook
Continue lendo

ITURAMA E REGIÃO

POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

Mais Lidas da Semana