conecte-se conosco

CIÊNCIA E SAÚDE

Exercício pode diminuir tempo de internação hospitalar

Publicado

Esse blog já bateu na tecla inúmeras vezes, mas é um prazer voltar ao assunto, porque sempre há a possibilidade de convencer um número maior de pessoas a aderir à causa. Exercitar-se é o passaporte para garantir uma existência saudável e uma velhice que vai pesar menos no bolso. Em tempos tão bicudos de pandemia, quando todos nos angustiamos diante do risco de adoecer e ter que encarar uma internação, um estudo da Universidade de Cambridge, divulgado no começo do mês, só ratifica os benefícios da atividade física. O trabalho mostrou que homens e mulheres, da meia-idade à velhice, enfrentam um período menor de hospitalização quando se dedicam a algum tipo de exercício.

O levantamento acompanhou as internações de pacientes de ambos os sexos, entre 40 e 79 anos, e observou que os mais ativos permaneciam um intervalo de tempo de 25% a 27% menor no hospital. Traduzindo para números, os sedentários passavam pelo menos quatro dias a mais internadas. Resultados similares foram constatados dez anos depois, quando os participantes da pesquisa tinham entre 50 e 90 anos.

Leia mais:  Chefe da ONU diz que mundo paga 'preço alto' por estratégias divergentes no combate à pandemia

Publicado na “BMC Geriatrics”, ele foi realizado por pesquisadores do departamento de saúde pública da universidade com base em dados de mais de 25 mil britânicos que são acompanhados há 20 anos e entrevistados regularmente sobre seu estilo de vida. Foi calculado que, para cada indivíduo sedentário que começou a fazer exercícios, o NHS – o equivalente ao SUS do Reino Unido – economizou quase 250 libras (cerca de R$ 1.800) por ano.

Os pesquisadores também descobriram que aqueles que mantiveram o mesmo nível de atividade física, ou até ampliaram o leque de exercícios, tinham 34% a menos de chances de ficar 20 dias num hospital. O coordenador do estudo, Robert Luben, declarou que o trabalho não deixa dúvidas sobre os benefícios do exercício: “além de garantir a qualidade de vida das pessoas, diminui a pressão sobre o sistema de saúde”.

A equipe de Luben cruzou as informações dos questionários com os registros hospitalares e comparou as ocupações profissionais e as de lazer, para detalhar o nível de sedentarismo. Os participantes foram divididos nas categorias: sedentário, moderadamente sedentário, moderadamente ativo e ativo. A boa notícia é que até aqueles classificados como moderadamente sedentários apresentavam um quadro de recuperação melhor que os totalmente inativos. Portanto, nunca é tarde para começar e fazer pouco ainda é melhor que não fazer nada!

Leia mais:  Mulher sem mãos e pernas tem pedido de benefício negado pelo INSS por não poder assinar papel, em RO

Por: G1

Comentários Facebook
publicidade

CIÊNCIA E SAÚDE

Em 24 horas, Uberlândia confirma mais de 170 casos e a 31ª morte causada pela Covid-19 na cidade

Publicado

Em 24 horas, Uberlândia registrou mais 178 casos confirmados de Covid-19 na cidade, segundo o boletim diário divulgado nesta sexta-feira (5). O número representa o maior crescimento de um dia para o outro e, ao todo, agora a tem 1.774 casos confirmados da doença.

Ainda de acordo com o boletim, o município também registrou mais uma morte causada pelo novo coronavírus, chegando a 31 pessoas. A última vítima da doença é um homem de 57 anos, que estava internado na rede pública de saúde. No informe também constam outras duas mortes suspeitas que estão em investigação.

Quanto aos casos considerados “em investigação”, estes apontam que a cidade tem, ao todo, 3.873 pessoas esperando o resultado dos exames. Já outros 5.622 testes deram negativo para a doença, desde o início da divulgação do boletim.Confira abaixo mais informações destes dados, além dos pacientes recuperados e os que estão internados em UTIs.

Pacientes internados

Nesta sexta-feira também foi informado que há 105 pessoas internadas com sintomas relacionados à Covid-19 nas unidades hospitalares da cidade. Destas, 33 estão em UTIs, enquanto 72 pacientes são tratados em enfermarias.

Leia mais:  Mulher sem mãos e pernas tem pedido de benefício negado pelo INSS por não poder assinar papel, em RO

Leitos

Hoje, Uberlândia está com 87% dos leitos de UTI ocupados no sistema público, sendo que nem todos são pacientes com coronavírus. Isso significa que a rede municipal tem 8 leitos disponíveis, de acordo com a Prefeitura.

Ao todo, 362 pessoas já se recuperaram da Covid-19 em Uberlândia.

Boletim do coronavírus em Uberlândia — Foto: Prefeitura de Uberlândia/ Divulgação

Boletim do coronavírus em Uberlândia — Foto: Prefeitura de Uberlândia/ Divulgação

Coronavírus: infográfico mostra principais sintomas da doença — Foto: Foto: Infografia/G1

Coronavírus: infográfico mostra principais sintomas da doença — Foto: Foto: Infografia/G1

 

Por: G1

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana