conecte-se conosco

EDUCAÇÃO

Enem 2019: saiba o que levar para a prova e confira a lista de itens proibidos

Publicado

Candidatos que prestarão o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 precisam ficar atentos à lista de itens permitidos e proibidos no local de aplicação da prova. Celulares e objetos eletrônicos, por exemplo, devem ser desligados e guardados em envelopes lacrados.

Nessa edição do exame, inclusive, há uma regra inédita: será eliminado, o estudante cujo aparelho eletrônico emitir qualquer som, como toque, alarme ou mensagem.

A seguir, confira as listas de objetos permitidos, obrigatórios e proibidos, segundo o edital publicado pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

OBRIGATÓRIOS

  • A caneta deve ser esferográfica, de tinta preta, fabricada em material transparente.
  • O acesso à sala de provas só será permitido mediante a apresentação de um documento de identificação original e com foto, como: identidade, carteira de registro nacional migratório, carteira de trabalho, certificado de reservista, passaporte e carteira de motorista (CNH).
  • Caso o documento tenha sido roubado ou furtado antes do exame, o candidato deverá apresentar o boletim de ocorrência expedido por um órgão policial há, no máximo, 90 dias. Também deverá passar por uma coleta de dados biométricos e assinar um formulário especial.
  • Candidatos que apresentem documentos permitidos e originais, mas danificados ou com foto infantil, poderão fazer a prova, desde que se submetam a uma identificação especial.
Leia mais:  MEC pretende começar a implementar política de alfabetização em 2020

PERMITIDOS

  • Participantes que solicitaram atendimento especializado para cegueira, surdocegueira, baixa visão e visão monocular podem utilizar os seguintes materiais: máquina Perkins, reglete, punção, sorobã ou cubaritmo, caneta de ponta grossa, tiposcópio, assinador, óculos especiais, lupa, telelupa, luminária e tábuas de apoio. Também podem ser acompanhados por cão guia. Todos esses recursos serão vistoriados pelo aplicador do exame.
  • Artigos religiosos, como quipá, são permitidos, mas devem ser verificados por um funcionário.
  • O cartão de confirmação de inscrição, embora não seja obrigatório, traz dados importantes, como o endereço de aplicação da prova.

PROIBIDOS

  • Documentos como certidão de nascimento ou de casamento, título eleitoral, CNH anterior a 1997, carteirinha de estudante, crachás, vias digitais ou cópias autenticadas não serão aceitos.
  • Telefones celulares e quaisquer equipamentos eletrônicos devem ser desligados e guardados em um envelope lacrado, que permanecerá debaixo da carteira. Entram na lista: calculadoras, agendas eletrônicas, tablets, ipods, gravadores, pen drive, relógio, chaves com alarme, fones de ouvido e gravadores.
  • Durante a aplicação do exame, se algum aparelho, mesmo que devidamente guardado, emitir som, o candidato será eliminado.
  • Lápis, caneta de material não transparente, lapiseira, borracha, régua, corretivo, livros, manuais e anotações são proibidos – devem ficar guardados no envelope.
  • Qualquer dispositivo que receba imagens, vídeos ou mensagens é vetado.
  • Óculos escuros, bonés, chapéus, viseiras ou gorros não são permitidos.
Leia mais:  MEC aplica Saeb para sete milhões de estudantes até 1º de novembro

Por G1

Comentários Facebook
publicidade

EDUCAÇÃO

Minas Gerais é o estado com mais redações nota 1.000 no Enem 2019

Publicado

O Ministério da Educação (MEC) e o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgaram nessa sexta-feira (17) as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019, e Minas Gerais foi o estado com o maior número de redações nota máxima: 13, em um total de 53 no país.

A maioria dos estudantes que receberam essa nota foram mulheres: 32, ou seja, aproximadamente 60% do total. Das 13 notas 1.000 em Minas, 10 foram foram de mulheres. Entre elas, a estudante Stela Terra Lopes, de 18 anos. A jovem teve poucas aulas de redação na Escola Estadual Sagrada Família 2, localizada no região Leste de Belo Horizonte, ao longo do ano.

O tema desta edição foi Democratização do acesso ao cinema no Brasil. O texto deveria ser do tipo dissertativo-argumentativo, com até 30 linhas, desenvolvido a partir da situação-problema proposta e de ideias oferecidos pelos textos motivadores presentes no exame.

As redações com nota máxima são de estados do Norte, Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste: Alagoas (1); Bahia (1); Ceará (6); Distrito Federal (2); Goiás (4); Maranhão (1); Mato Grosso do Sul (1); Minas Gerais (13); Paraíba (1); Pará (2); Pernambuco (1); Piauí (2); Rio Grande do Norte (3); Rio Grande do Sul (3); Rio de Janeiro (6); São Paulo (4).

Leia mais:  MEC aplica Saeb para sete milhões de estudantes até 1º de novembro

Redações com menos de sete linhas recebem nota zero, assim como as que reproduzem integralmente trechos dos textos motivadores e de itens do Caderno de Questões.

Por: O Tempo

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana