conecte-se conosco


Sem categoria

Em 10 anos, governo de SP deixou de usar 42% da verba contra enchentes

Publicado em

Sem categoria

Em dez anos, o governo do estado de São Paulo deixou de usar 42% da verba contra enchentes no estado de São Paulo, o equivalente a equivalente a mais de R$ 2,5 bilhões do montante orçado.

Segundo levantamento feito pela GloboNews, entre 2010 e 2019, foram usados somente R$ 3,6 bilhões dos R$ 6,2 bilhões previstos para serem investidos em ações preventivas.

O valor corresponde a 58% do orçamento estimado para período. A análise foi feita com base na execução orçamentária disponibilizada pela Secretaria Estadual de Fazenda e Planejamento.

Em nota, a gestão do governo Doria informou, por meio da Secretaria da Infraestrutura, que o orçamento de 2019 foi elaborado pela gestão anterior, e que o valor orçado “não significa que está disponível para investimento, uma vez que não prevê frustração de receitas e subestima despesas de custeio.”

O texto diz ainda que o valor orçado para combate as enchentes foi de R$ 364,7 milhões, dos quais os R$ 220,2 milhões disponíveis foram executados.

A gestão Doria ainda alega que “foi necessário revisar projetos e desapropriações sob responsabilidade dos municípios. O orçamento elaborado pela atual gestão prevê o investimento de R$439,9 milhões em 2020”.

Leia mais:  Noiva surpreende convidados surdos ao 'cantar' em língua de sinais durante casamento na Grande BH

Na avaliação do governo, o orçamento citado pela reportagem “não prevê obras de saneamento executadas pela SABESP que investiu mais de R$3 bilhões em saneamento básico no ano passado e deverá investir mais R$ 3,6 bilhões neste ano.”

Também questionado pela reportagem, o ex-governador Marcio França (PSB) disse que nos oito meses da gestão, ‘mesmo com restrições legais do ano eleitoral e orçamento fechado pelo antecessor, foi possível fazer o maior investimento em números absolutos do período. Vale lembrar que tais obras são de competência municipal”.

Procurado, ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) não se manifestou.

Caos

A chuva forte que atingiu São Paulo a partir do fim da tarde deste domingo (9) provocou destruição e caos. A tempestade fez rios transbordarem, causou dezenas de alagamentos, deslizamentos e travou a cidade. Durante a noite a água não baixou, e vários pontos da cidade permaneciam submersos, incluindo trechos das marginais Pinheiros e Tietê.

A Ponte das Bandeiras, na Marginal Tietê, por exemplo, chegou a ficar cerca de 17 horas alagada. Bairros seguem alagados na Zona Norte, como a Vila Guilherme, e a Vila Leopoldina, na Zona Oeste da cidade.

Leia mais:  Fábrica de estopas pega fogo em Rio Preto

A circulação dos transportes públicos (ônibus, metrô e trens) ficou comprometida, e a prefeitura suspendeu o rodízio de veículos, medida que vai continuar a valer durante toda a terça-feira (11).

Por: G1

Comentários Facebook
Propaganda

ITURAMA E REGIÃO

Servidores da Segurança protestam na MG-10, em BH

Publicados

em

De acordo com o sindicato da categoria, os manifestantes reclamam das perdas financeiras causadas pela inflação e em faixas dizem que o governador Romeu Zema ‘não tem palavra’ com relação ao reajuste salarial.

Policiais penais faziam manifestação e fechavam pista da MG-10 que dá acesso à Cidade Administrativa, no bairro Serra Verde, na Região de Venda Nova, em Belo Horizonte, nesta segunda-feira (25).

A motolink da TV Globo flagrou motoristas que foram pegos de surpresa, voltaram na contramão e fizeram conversão proibida para se livrar do ato.

De acordo com o sindicato da categoria, os manifestantes reclamam das perdas financeiras causadas pela inflação e, em faixas, dizem que o governador Romeu Zema “não tem palavra” com relação ao reajuste salarial.

TV Globo entrou em contato com o governo de Minas Gerais e, até a última atualização desta reportagem, não havia obtido retorno.

Comentários Facebook
Leia mais:  Menina de 6 anos tem 75% do corpo queimado em incêndio iniciado após brincadeira em Três Pontas, MG
Continue lendo

ITURAMA E REGIÃO

POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

Mais Lidas da Semana