conecte-se conosco


POLÍTICA

Eduardo Paes e filho de Bolsonaro discutem nas redes sociais por obra em ponte

Publicado

source
Eduardo Paes rebateu acusações de Carlos Bolsonaro e afirmou não ser esforço em inaugurar obra ao lado de Bolsonaro
Reginaldo Pimenta / Agência O Dia

Eduardo Paes rebateu acusações de Carlos Bolsonaro e afirmou não ser esforço em inaugurar obra ao lado de Bolsonaro

O prefeito do Rio Eduardo Paes respondeu uma provocação do vereador Carlos Bolsonaro (Republicanos) , filho do presidente Jair Bolsonaro, feita pelo Twitter no fim da manhã deste sábado (14). Carlos compartilhou um vídeo sobre as obras da alça de ligação da Ponte Rio-Niterói com a Avenida Brasil, executada pela concessionária que administra a Ponte em parceria com o Governo Federal , que estão em fase final de construção, e questionou se Paes participaria da inauguração, “reconhecendo ações do Governo”.

“Ué! Manda não esquecer de me convidar que eu vou. Já fiz o favor de libertar vcs (sic) e o Rio do Crivella”, respondeu Paes.

Leia mais:  Bolsonaro diminui o tom e admite "ameaça" do coronavírus

Em sua publicação, Carlos Bolsonaro questionou se Paes iria reconhecer ações do governo Bolsonaro ou se “vai seguir o padrão de tentar fazer média com piçóu (PSOL) e afins e malandramente tapar o sol com a peneira para variar?”, questionou. “Esse é mais liso que bagre ensaboado!”, completou Carlos.

Em sua resposta, Paes afirmou que também tentou “libertar” o Rio de Wilson Witzel, mas não conseguiu, e completou afirmando que “não é esforço nenhum” participar da inauguração.

Leia mais:  Ex-deputados prestam depoimentos sobre assassinato de Marielle Franco

Apoio a Baleia Rossi

Filiado ao DEM, Paes tem feito acenos a todos os espectros políticos, e já se reuniu mais de uma vez com João Dória, governador de São Paulo e desafeto da família Bolsonaro. No final de janeiro, atendendo a pedido do então presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (DEM-RJ), Paes abriu o Palácio da Cidade para um evento em apoio à candidatura do deputado Baleia Rossi (MDB-SP) para o comando da Câmara, que disputava com Arthur Lira (PP-AL), apoiado pelo presidente, o comando da Casa.

Paes chegou a exonerar temporariamente dois secretários que são deputados federais, Pedro Paulo (DEM) e Marcelo Calero (Cidadania) para votarem no candidato apoiado por Maia, no começo de fevereiro. Baleia acabou derrotado por Arthur Lira (PP-AL), com apoio do governo Bolsonaro.

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA

Lira promete teleconferência com governadores para discutir Orçamento

Publicado

por

source
Arthur Lira, presidente da Câmara dos Deputados
Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Arthur Lira, presidente da Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou hoje (27) que deve realizar uma reunião virtual com os governadores brasileiros para discutir, entre outros temas, o Orçamento de 2021 da União. “Com o recrudescimento e nova onda da pandemia, quero chamar todos os governadores para contribuírem com sugestões na formulação do orçamento geral da União”, postou em seu Twitter. 

Lira disse que aceitará sugestões de líderes estaduais para contribuírem na redação do Orçamento. Ele espera reunir por teleconferência, devido ao agravamento da pandemia. “Pretendo fazer uma teleconferência com os governadores nesta semana, junto com a relatora e o presidente da CMO, para ouvir como o orçamento pode ajudar na superação da pandemia”.

O presidente da Câmara dos Deputados destacou ainda que outros temas também devem estar na pauta da reunião. “Também ouvirei os governadores sobre sugestões legislativas emergenciais para tramitarem em caráter de urgência que possam ser adotadas, respeitando o teto fiscal, com o objetivo de enfrentar os efeitos da covid-19”, escreveu o parlamentar.

Leia mais:  Tatto nega tensão e confirma apoio a Boulos no 2º turno "numa boa"

Veja:

Você viu?



Na sexta-feira (26), sem consenso entre os partidos e para evitar uma derrota, o presidente da Câmara desistiu de votar no plenário a  PEC da Imunidade  e decidiu enviá-la para discussão em uma comissão especial a ser criada, que é o rito de praxe. A proposta de emenda à Constituição (PEC) cria novas regras para a imunidade parlamentar. Na prática, as mudanças vão dificultar a prisão de deputados e senadores em alguns casos.

“Coletivamente, nós não conseguimos nos entender hoje. E não será atropelando o regimento que o faremos. Determino a criação de uma comissão especial. Que os líderes façam a indicação dos seus membros até segunda-feira (1º), e essa comissão será instalada com o mesmo rigor da discussão de que temas importantes nesta casa mereçam ser tratados”, afirmou Lira.

Leia mais:  Lula defende aliança ampla anti-Bolsonaro, mas não diz se PT abre mão de liderar

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana