conecte-se conosco


POLÍTICA

Eduardo Bolsonaro afirma que votará pela libertação de Daniel Silveira

Publicado

source
Daniel Silveira é investigado por organizar atos antidemocráticos e no inquérito das Fake News
O Antagonista

Daniel Silveira é investigado por organizar atos antidemocráticos e no inquérito das Fake News

O deputado federal e filho do presidente Jair Bolsonaro , Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) , afirmou que irá votar a favor da libertação do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ) , preso na terça-feira (16) após divulgar um vídeo atacando ministro do Supremo Tribunal Federal . Para o congressista, a soltura de Silveira é necessária para manter as garantias da imunidade parlamentar.

“Dentre outros fatores, amanhã votarei pela libertação do Dep. Fed. @danielPMERJ em nome das garantias da imunidade parlamentar, liberdade de expressão, devido processo legal, ampla defesa e contraditório”, publicou Eduardo Bolsonaro no Twitter.

Daniel Silveira foi preso pela Polícia Federal após a expedição do mandado pelo ministro Alexandre de Morais, do STF. Na gravação, Silveira entoava a volta do AI-5, método de censura usada na Ditadura Militar.

Leia mais:  Metade do grupo de risco da Covid-19 será vacinado até junho, diz Pazuello

O parlamentar também é investigado em dois inquéritos no Supremo, relatados por Alexandre de Morais. Junto a outros políticos e empresários, o congressista é suspeito de participar da organização de atos antidemocráticos . Silveira também é acusado de integrar o “Gabinete do Ódio” , grupo que disseminava notícias falsas contra opositores de Jair Bolsonaro.

Você viu?

Até o momento, o presidente da república, que é apoiado por Daniel Silveira, não se pronunciou. Nesta noite, Jair Bolsonaro publicou apenas uma foto e anunciou que haverá reduções nos impostos para bicicletas.

Leia mais:  "Trump mandará 2 milhões de comprimidos de hidroxicloroquina", diz Bolsonaro

Decisão da Câmara

A Câmara dos Deputados vai decidir nesta quinta-feira (18) se mantém a prisão de Daniel Silveira ou se ele será libertado . Como é parlamentar, Silveira poderá ser solto caso a maioria dos deputados vote pela prerrogativa de imunidade parlamentar.

No entanto, interlocutores do Congresso Nacional e apoiadores do presidente da Casa, Arthur Lira (Progressistas-AL), acreditam ser muito difícil os deputados aprovarem a soltura de Silveira e acham que as acusações devem ser enviadas ao Conselho de Ética da Câmara , que deverá ser reativado para julgar o caso.

Na tarde dessa terça-feira (17), o Supremo Tribunal Federal decidiu, por unanimidade, pela manutenção da prisão do congressista.  

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA

Comissão de Educação da Câmara pode ficar com deputados bolsonaristas

Publicado

por

source
Deputada federal Aline Sleutjes (PSL-PR)
Gustavo Sales/Câmara dos Deputados

Deputada federal Aline Sleutjes (PSL-PR)

Com o adiamento das definições dos presidentes das comissões da Câmara para a semana que vem , deputados bolsonaristas começaram a negociar para que eles sejam os escolhidos para o comando da comissão de Educação da Casa. A informação é do jornal Folha de S.Paulo

Os nomes mais fortes para assumir o órgão colegiado são os dos deputados Carlos Jordy (RJ) e Aline Sleutjes (PR). Os dois são da ala bolsonarista do PSL e têm forte apelo nos posicionamentos ideológicas de apreço do governo Jair Bolsonaro (sem partido), sendo alguns dos principais aliados do presidente na Câmara .

Sleutjes ainda é investigada no inquérito que apura financiamento a atos antidemocráticos, que é conduzido sob relatoria do ministro Alexandre de Moares, do Supremo Tribunal Federal (STF). A definição é prevista para os próximos dias.

Desde o início das negociações, o grupo bolsonarista da legenda manteve como alvo principal a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), considerada a mais importante da Câmara. Já é quase certo que a CCJ fica com a deputada bolsonarista Bia Kicis  (PSL-DF), também investigada no inquérito que apura atos antidemocráticos e ​​no das fake news.

Leia mais:  "Trump mandará 2 milhões de comprimidos de hidroxicloroquina", diz Bolsonaro

No caso da Comissão de Educação, no entanto, ela também é considerada estratégica para o grupo. Assim como Bolsonaro, seus apoiadores veem o tema como o campo de batalha para pautas ideológicas no governo, que guarda pouca conexão com os problemas reais do Brasil.

O objetivo da conquista do comando da comissão seria a suposta proeminência da esquerda no setor e o fortalecimento de pautas de fundo religioso.

Nas últimas semanas, a comissão de Educação chegou a ser prometida para o DEM durante negociações tocadas pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL). A legenda ainda mantém articulação para ficar com o colegiado.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana