conecte-se conosco


Economia

Custo da indústria cai 0,9% no terceiro trimestre

Publicado

O Indicador de Custos Industriais, que acompanha os custos das empresas do setor do Brasil, caiu 0,9% no terceiro trimestre em relação ao trimestre anterior, de acordo com dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgados nesta segunda-feira (16).

Em comparação com o mesmo período de 2018, a redução foi de 2,1%. Conforme a confederação, a redução foi influenciada pela queda nos custos tributário e de capital. e provocou aumento de lucro e de competitividade industrial tanto no mercado doméstico quanto no externo.

Na comparação com o segundo trimestre, o componente custos tributários teve redução de 3,9% menor, influenciado pelo crescimento do PIB (Produto Interno Bruto, soma das riquezas produzidas), que teve uma expansão maior em proporção ao aumento da arrecadação.

“A retração do custo tributário pode estar relacionada ao fato de a arrecadação tributária não ocorrer simultaneamente à produção, o que faz com que, em momentos de retomada do crescimento da produção, o PIB industrial cresça antes da arrecadação”, diz estudo da CNI.

Leia mais:  "Brasília não foi desenhada para todos", diz ex-presidente da Codeplan

Para a economista da CNI, Maria Carolina Marques, a queda da taxa básica de juros, a Selic, reduziu o custo de captação dos bancos, permitindo que repassem a redução do custo, ao menos em parte, aos tomadores de empréstimo.

Adicionalmente, a queda da Selic reduz a rentabilidade dos títulos da dívida pública, o que faz com que os bancos emprestem menos para o governo e mais para o setor privado, ou seja, para as famílias e para as empresas. O aumento da oferta de crédito também contribui para a redução dos juros”, afirmou.

O terceiro componente do indicador, o Índice de Custo de Produção, apresentou queda de 0,3% influenciada pela redução do custo com energia.

 
Edição: Maria Claudia

Comentários Facebook
publicidade

Economia

Agências da Caixa não abrem neste sábado

Publicado

por

.

Diferentemente das últimas três semanas, as agências da Caixa Econômica Federal não abrirão neste sábado (26) para saques do auxílio emergencial e do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). As retiradas serão retomadas ao longo dos próximos dias, num calendário escalonado de pagamentos.

Em relação ao auxílio emergencial, cerca de 1,9 milhão de inscritos no Bolsa Família, com o Número de Inscrição Social (NIS) de final 8, poderão sacar o benefício na próxima segunda-feira (28). Os cerca de 19 milhões de beneficiários do Bolsa Família recebem o auxílio emergencial nos dez últimos dias úteis de cada mês.

Para os demais beneficiários, a Caixa depositará, ao longo da próxima semana, mais uma parcela do auxílio emergencial para nascidos em outubro, novembro e dezembro. Na segunda-feira (28), o crédito será feito para cerca de 7,8 milhões de pessoas nascidas em outubro e novembro. Na quarta-feira (30), será a vez de 3,8 milhões de beneficiários nascidos em dezembro receberem o depósito.

O dinheiro será creditado na conta poupança digital e só poderá ser movimentado por meio do aplicativo Caixa Tem, que permite o pagamento de boletos, compras em sites comerciais com cartão de débito virtual ou compras com QR code (versão avançada de código de barras que pode ser fotografada com a câmera do celular) em estabelecimentos parceiros.

Leia mais:  Caixa pagou R$ 65,5 bilhões em auxílio emergencial

O saque em dinheiro do auxílio emergencial segue um cronograma diferente, com a retirada liberada algumas semanas depois do depósito da parcela na conta poupança digital. Os saques ocorrerão na terça-feira (29) para os nascidos em março, na quinta-feira (1º) para os nascidos em abril e no próximo sábado (3) para os nascidos em maio.

FGTS

O saque emergencial de até R$ 1.045 do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) também terá uma pausa neste sábado. O calendário de retiradas em dinheiro só será retomado no próximo sábado (3), quando os trabalhadores nascidos em junho poderão fazer o saque.

Em relação ao depósito do FGTS na conta poupança digital, a Caixa já depositou o dinheiro para todos os trabalhadores. O pagamento começou em 29 de junho para os nascidos em janeiro e terminou na última segunda-feira (21), para os nascidos em dezembro.

Edição: Graça Adjuto

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana