conecte-se conosco

CIÊNCIA E SAÚDE

Cursos da UNIFEV promovem cerca de 400 atendimentos em ação do Dezembro Laranja

Publicado

Iniciativa, realizada na Praça da Matriz de Votuporanga, reuniu docentes e universitários das graduações em Farmácia e Medicina da Instituição

Os cursos de Medicina, por meio de sua Liga Acadêmica de Dermatologia, e de Farmácia da UNIFEV promoveram, no último sábado (dia 7), cerca de 400 atendimentos à comunidade durante ação da campanha nacional Dezembro Laranja. A iniciativa, sediada na Praça da Matriz de Votuporanga, reuniu docentes e universitários das graduações, que orientaram a população que passava pelo local.

Dos casos observados pelos estudantes de Medicina, em cinco deles foram detectados a existência de lesões suspeitas de câncer de pele, que serão tratadas cirurgicamente. Além disso, 14 pacientes com lesões pré-cancerígenas foram encaminhados para acompanhamento médico.

Em paralelo, os alunos de Farmácia promoveram orientações referentes ao tema, especialmente, sobre a radiação solar e seus efeitos na pele. Na oportunidade, foram distribuídos protetores solares e panfletos explicativos sobre a utilização correta dos produtos. A iniciativa faz parte da Campanha de Fotoeducação, realizada por Instituições de Ensino Superior (IES) de todo o País, em apoio ao Dezembro Laranja.

A docente responsável pela Liga, médica-dermatologista Adriana Vargas Bufulin, ressaltou que o objetivo da ação foi chamar atenção para os métodos preventivos e, também, para o diagnóstico precoce. “Intervenções como essa, em locais de maior abrangência da comunidade, são primordiais para a diminuição dos índices da doença, que é o tipo mais comum de câncer no país.”, destacou.

Leia mais:  Conheça as cidades que podem ser extintas no Estado de São Paulo

Comentários Facebook
publicidade

CIÊNCIA E SAÚDE

China tem 9ª morte provocada pelo coronavírus; já são mais de 400 casos

Publicado

Subiu para 9 o número de mortos devido ao coronavírus, que já infectou 440 pessoas na China, segundo as autoridades de saúde do país asiático informaram na noite desta terça-feira (21). A doença, que teve os primeiros casos registrados em Wuhan, uma megalópole de 11 milhões de pessoas na região central do país.

O vírus, que provoca um tipo de pneumonia, chegou a Macau, na costa sul chinesa, e a vários países.

Os EUA registraram o 1º caso na terça-feira (21), e Japão, Tailândia, Taiwan e Coreia do Sul também já foram afetados, como mostra o vídeo abaixo. Na Austrália, há um caso suspeito de um homem que viajou a Wuhan e está passando por exames, em local isolado.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) se reúne nesta quarta em Genebra, na Suíça, e pode decretar “emergência de saúde pública de interesse internacional”.

Até o momento, a OMS usou essa denominação apenas em casos raros de epidemias que exigem uma vigorosa resposta internacional, como a gripe suína H1N1 (2009), o zika vírus ( 2016) e a febre ebola, que devastou parte da população da África Ocidental de 2014 a 2016 e a atinge a República democrática do Congo desde 2018.

EUA têm primeiro caso de coronavírus

A vice-ministra da Comissão Nacional de Saúde da China, Li Bin, alertou que o coronavírus pode sofrer mutação e se propagar mais rapidamente.

Leia mais:  A cada hora, um motorista é multado por imprudência na região

A comissão anunciou medidas para conter a doença diante da viagem de milhões de pessoas, por todo o país, para o feriado do Ano Novo Lunar, esta semana.

Entre as medidas estão a desinfecção e a ventilação de aeroportos, estações de trem e shoppings.

“Quando for necessário, os controles de temperatura também serão adotados em áreas-chaves e locais muito frequentados”, informou a comissão.

Viajantes aguardam trens na estação de Hangzhou East, em Hangzhou, no leste da China, nesta quarta-feira (22)  — Foto: Chinatopix via APViajantes aguardam trens na estação de Hangzhou East, em Hangzhou, no leste da China, nesta quarta-feira (22)  — Foto: Chinatopix via AP

Viajantes aguardam trens na estação de Hangzhou East, em Hangzhou, no leste da China, nesta quarta-feira (22) — Foto: Chinatopix via AP

1º caso nos EUA

China confirma sexta morte por coronavírus; EUA registram primeiro caso

China confirma sexta morte por coronavírus; EUA registram primeiro caso

De acordo com a imprensa americana, um viajante da China foi diagnosticado após desembarcar em Seattle, cidade dos EUA no estado de Washington, no último dia 15. A identidade dele está sendo preservada pelas autoridades de saúde do país, mas o Hora 1 informou que a vítima tem cerca de 30 anos, é um homem e está sendo mantido isolado em um hospital.

Chamado de 2019-nCoV, o coronavírus causa febre, tosse, falta de ar e dificuldade em respirar. É um tipo de pneumonia que é transmitida de pessoa para pessoa.

Leia mais:  Limeira do Oeste garante participação na próxima fase do 2ª Copa São Francisco de Sales

Parece ser uma nova cepa de um coronavírus que não havia sido previamente identificado em humanos — coronavírus são uma ampla família de vírus, mas poucos deles são capaz de infectar pessoas.

O período de incubação e a origem do vírus ainda não foram identificados. Porém, a fonte primária é provavelmente um animal, de acordo com a OMS. As autoridades chinesas vincularam o surto a um mercado de frutos do mar na cidade chinesa de Wuhan, onde os primeiros casos foram registrados.

Pelo menos 15 trabalhadores da área da saúde, que teriam tido contato com os doentes, também foram infectados.

Surto

Os novos casos trouxeram de volta os registros da Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars), outro tipo de coronavírus que surgiu na China nos anos de 2002 e 2003, resultando na morte de quase 800 pessoas em uma pandemia global.

Dois casos já foram identificados na Tailândia, um no Japão e um na Coreia do Sul, enquanto as Filipinas também relataram nesta terça-feira um primeiro caso suspeito.

Taiwan, ilha autogovernada que a China reivindica como sua, também confirmou uma infecção pelo vírus, uma mulher que retornou de trabalho em Wuhan.

Por: G1

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana