conecte-se conosco


Esportes

CSA tem 18 atletas com Covid-19 e jogo contra a Chapecoense é adiado pela CBF

Publicado em

Esportes

O CSA divulgou nota oficial nesta terça informando que mais nove atletas testaram positivo para Covid-19 nos exames feitos no último domingo. Há um surto no clube.

Assim, o jogo da Série B entre Chapecoense e CSA, marcado para esta quarta, foi adiado pela CBF. O time alagoano não tem jogadores suficientes para montar o grupo que viajaria para Chapecó.

Sexta, outros nove atletas receberam a informação que estavam infectados e agora são 18 no total. De acordo com o médico do CSA, Fábio Lima, todos os jogadores estão clinicamente bem.

Presidente do CSA, Rafael Tenório falou sobre a situação.

– Felizmente, os atletas estão todos assintomáticos. A CBF já adiou essa partida. Estamos vendo para quando será marcada, mas vai dar tudo certo. Vamos testar os que deram positivo primeiro pra ver se terão condições de entrar em campo na terceira rodada – comentou o dirigente.

CSA enfrenta surto de Covid — Foto: Augusto Oliveira/ASCOM CSA

CSA enfrenta surto de Covid — Foto: Augusto Oliveira/ASCOM CSA

Notas oficiais

Confira na íntegra a nota oficial assinada pelo Departamento Médico do CSA:

Leia mais:  Uberlândia anuncia saída de atacante e chegada de lateral com passagem pelo clube

O Centro Sportivo Alagoano informa que mais 9 atletas tiveram diagnostico positivo para Covid-19 nos testes promovidos pela Confederação Brasileira de Futebol, realizados na manhã de domingo, 09/08.

Tendo em vista que outros 9 atletas já estavam positivados, na testagem realizada pela CBF após a partida contra o CRB, na última quarta-feira, dia 05/08. Os resultados emitidos hoje inviabilizam a realização da partida contra a Chapecoense marcada para amanhã, quarta-feira (12/08).

Lembrando que todos os positivados estão clinicamente bem e sendo acompanhados pelo Departamento Médico do CSA.

Chape

A Chapecoense também divulgou nota, disse entender perfeitamente o motivo do adiamento do jogo e manifestou total solidariedade ao CSA.

A Associação Chapecoense de Futebol recebeu, no início da tarde desta terça-feira (11), o comunicado – por parte da CBF – de que a partida contra o CSA, que aconteceria nesta quarta-feira, às 16h30, na Arena Condá, foi adiada.

A decisão pelo adiamento se deu após a confirmação de mais nove casos positivos de Covid-19 na equipe adversária – totalizando 18 casos.

Diante da situação, a Chapecoense afirma a sua compreensão, expressa o apoio ao CSA e reitera o desejo de rápida recuperação de todos os contaminados – diz a nota da Chapecoense.

CBF

Leia mais:  RB Brasil vence o Penapolense fora de casa e afunda o rival no Z-2

A CBF também divulgou nota no início da tarde desta terça e confirmou que o jogo Chapecoense x CSA foi adiado.

A Confederação Brasileira de Futebol comunica que a partida entre a Associação Chapecoense de Futebol e o Centro Sportivo Alagoano, válida pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro da Série B 2020, que seria realizada nesta quarta-feira, 12, na Arena Condá, em Chapecó, foi adiada em virtude dos resultados dos testes realizados no elenco do CSA, que constataram, em prova e contraprova, a contaminação por coronavírus de nove jogadores. Estes se somam a outros nove atletas da equipe que haviam sido afastados da primeira rodada da competição por terem testado positivo, totalizando 18 dos 31 inscritos na competição. A viagem do CSA para a cidade catarinense foi cancelada. Oportunamente, a Diretoria de Competições da CBF informará a nova data para realização da partida.

Por: Globo Esporte

Comentários Facebook
Propaganda

Esportes

Minas afasta Maurício Souza, que é multado e deverá se retratar após declarações homofóbicas

Publicados

em

Central fez postagem nas redes sociais sobre a orientação sexual do novo Super-Homem: “Vai nessa que vai ver onde vamos parar”, publicou

Diante do caso envolvendo Maurício Souza, o Minas afastou o jogador por causa de declarações homofóbicas postadas nas redes sociais. Como havia antecipado o ge durante a tarde, o clube mineiro confirmou, em um comunicado oficial divulgado nas redes sociais, que o jogador ainda terá de se retratar publicamente e pagar uma multa.

“O presidente do Minas Tênis Clube, Ricardo Vieira Santiago, se reuniu com o atleta Maurício Souza esta tarde e lhe informou sobre o seu afastamento por tempo indeterminado. O atleta também recebeu uma multa e foi orientado a fazer uma retratação pública imediata.”

Nesta terça-feira, os principais patrocinadores da equipe se manifestaram sobre o posicionamento do atleta. As empresas pediram, em notas separadas, “medidas cabíveis” ao clube mineiro e repudiaram as declarações homofóbicas do jogador.

Diante do caso envolvendo Maurício Souza, o Minas afastou o jogador por causa de declarações homofóbicas postadas nas redes sociais. Como havia antecipado o ge durante a tarde, o clube mineiro confirmou, em um comunicado oficial divulgado nas redes sociais, que o jogador ainda terá de se retratar publicamente e pagar uma multa.

“O presidente do Minas Tênis Clube, Ricardo Vieira Santiago, se reuniu com o atleta Maurício Souza esta tarde e lhe informou sobre o seu afastamento por tempo indeterminado. O atleta também recebeu uma multa e foi orientado a fazer uma retratação pública imediata.”

Nesta terça-feira, os principais patrocinadores da equipe se manifestaram sobre o posicionamento do atleta. As empresas pediram, em notas separadas, “medidas cabíveis” ao clube mineiro e repudiaram as declarações homofóbicas do jogador.

Leia mais:  Artilheiro do Mineiro, Paulo Renê é dúvida no Patrocinense para jogo contra o líder

Mais cedo, uma reunião entre a diretoria do Minas e os patrocinadores do clube tratou sobre o assunto. Segundo apurou o ge, o Minas entendia que não havia clima para Maurício atuar nos próximos jogos. A estreia da equipe mineira na Superliga está prevista para sábado, contra o São José dos Campos. Assim, cogitou a possibilidade de rescindir o contrato do jogador.

No entanto, as partes chegaram a um acordo, e central mostrou-se disposto a uma retratação. Além da multa, Maurício Souza será afastado por tempo indeterminado. Só depois poderá se juntar novamente ao elenco.

Entenda o caso

 

Há cerca de duas semanas, a DC Comics anunciou que o novo Super-Homem, filho de Clark Kent, se descobrirá bissexual nas próximas edições das histórias em quadrinhos. O assunto, que foi um dos mais comentados do Twitter no dia da divulgação, também movimentou a comunidade do voleibol brasileiro.

Após a publicação da editora, Maurício Souza, postou a foto do Super-Homem e fez críticas à decisão da DC. O Minas se manifestou ainda nessa segunda-feira sobre a publicação do jogador. O clube disse que respeitava a liberdade de opinião de cada atleta, mas que não aceitava declarações homofóbicas.

– Ah é só um desenho, não é nada demais. Vai nessa que vai ver onde vamos parar – postou o jogador, que recebeu comentários de apoio de outros atletas do vôlei, como Wallace e Sidão.

 

Leia mais:  Agora é oficial: Robert Scheidt garante vaga em sua sétima Olimpíada e quebra recorde

O ponteiro Douglas, um dos destaques da seleção brasileira de vôlei nas Olimpíadas de Tóquio, faz parte da comunidade LGBTQIA+ e postou a mesma imagem da DC, com dizeres totalmente contrários ao exposto pelo jogador do Minas.

– Engraçado que eu não virei heterossexual vendo os super-heróis homens beijando mulheres. Se uma imagem como essa te preocupa, sinto muito, mas eu tenho uma novidade pra sua heterossexualidade frágil. Vai ter beijo sim. Obrigado DC por pensar em representar todos nós e não só uma parte ❤️ – escreveu.

O assunto gerou uma grande repercussão nas redes sociais após os internautas considerarem as postagens como indiretas entre os companheiros de seleção. Maurício, apesar das críticas que levou com seu protesto, continuou endossando sua opinião nas redes sociais.

– Hoje em dia o certo é errado e o errado é certo… Não se depender de mim. Se tem que escolher um lado eu fico do lado que eu acho certo! Fico com minhas crenças, valores e ideias – encerrou.

Comentários Facebook
Continue lendo

ITURAMA E REGIÃO

POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

Mais Lidas da Semana