conecte-se conosco


Economia

Cristo Redentor será iluminado em homenagem a encontro de jovens

Publicado

O monumento ao Cristo Redentor será iluminado, hoje (21), às 19h, nas cores verde-oliva, marrom claro e amarelo em homenagem ao evento mundial Economia de Francisco (EoF), que de forma virtual reuniu jovens do mundo inteiro, entre quinta-feira (19) e este sábado, em referência a São Francisco de Assis, que, no século 13, deixou a fortuna para se dedicar à igualdade e à natureza.

No encerramento do encontro, o papa Francisco disse aos jovens, por videomensagem, que é tempo de ousar “o risco de favorecer e estimular modelos de desenvolvimento, de progresso e de sustentabilidade em que as pessoas, e especialmente os excluídos, entre os quais a irmã terra, deixem de ser uma presença meramente funcional, para se tornar protagonistas de sua vida, assim como de todo o tecido social”.

O papa afirmou ainda que política e economia devem estar a serviço da vida, especialmente da vida humana. “A medida do desenvolvimento é a humanidade. Sem esta centralidade e orientação, ficaremos prisioneiros de um círculo alienante que somente perpetuará dinâmicas de degradação, exclusão, violência e polarização”, destacou.

Leia mais:  Balança comercial registra superávit recorde de US$ 6,6 bi em agosto

Em outro momento, Francisco disse que descreditar, caluniar ou descontextualizar o interlocutor que não pensa como nós é “um modo de se defender covardemente das decisões que eu deveria assumir para resolver muitos problemas”.

O encontro Economia de Francisco é uma iniciativa desenvolvida a partir do convite que o papa encaminhou a jovens economistas, estudantes e empresários do mundo inteiro, no dia 1º de maio do ano passado, durante a festa de São José Operário. Para o pontífice, conforme afirmou na carta-convite, Assis era o lugar apropriado para inspirar uma nova economia, porque foi naquele lugar que Francisco abriu mão da riqueza para seguir a Deus como bússola da sua vida, na defesa dos pobres.

O papa Francisco convidou os jovens a fazerem um pacto, no espírito de São Francisco, para uma economia mais justa, fraterna, sustentável e com um novo protagonismo de quem hoje é excluído, buscando a solução dos problemas estruturais da economia mundial.

No total, se inscreveram 2 mil participantes de 120 países, que foram divididos em 12 vilas temáticas e mais de 60 grupos de criação e debate de ideias inovadoras. O Santuário Cristo Redentor do Rio esteve presente no evento mundial, com a participação do gestor de inovação do Santuário Henrique Sengès.

Leia mais:  CNI: indústria registra em abril o resultado mais fraco da década

Edição: Graça Adjuto

Comentários Facebook
publicidade

Economia

PIB paulista cresce 1,6% no 3º trimestre e cai no acumulado do ano

Publicado

por

O Produto Interno Bruto (PIB) do estado de São Paulo cresceu 1,6% no terceiro trimestre (de julho a setembro), na comparação com o mesmo período do ano passado, informou nesta segunda-feira (30) a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade). No segundo trimestre (abril a junho), houve queda de 7,6% em relação ao mesmo trimestre do ano anterior.

No acumulado de 12 meses houve queda de 0,7% e, no acumulado de 2020, em relação ao mesmo período do ano anterior, a retração foi de 1,7%. No mês de setembro, o PIB do estado cresceu 1,2% em relação a agosto, descontada a sazonalidade, e 3,1% na comparação com setembro de 2019.

Em relação ao segundo trimestre deste ano, o PIB cresceu 9,4% no terceiro trimestre, feito o ajuste sazonal, depois de uma queda de 6,8% no segundo comparado ao primeiro. O primeiro semestre do ano também havia apresentado redução de 1,3% em relação ao anterior.

A Fundação Seade avalia que, em termos gerais, ficou caracterizada uma recuperação da economia paulista, após a queda acentuada em março e abril, período que coincide com o início da pandemia do novo coronavírus no Brasil.

Leia mais:  Quem tem auxílio emergencial negado pode fazer nova solicitação

Projeções

A entidade estima que o PIB paulista deve fechar o ano com retração entre 1,1% e 0,1%, com queda média de 0,6%. Para 2021, as projeções indicam que a economia paulista pode crescer 4,9%, com variação entre 4,3% e 5,6%.

Entre os fatores de incerteza no cenário atual para a economia paulista, apontados pela fundação, estão o crescimento de casos e óbitos de covid-19 no Brasil, que pode impor recuos na flexibilização das medidas restritivas; a redução do auxílio emergencial, que deve contribuir para a retração do consumo e causar impacto nas atividades associadas ao comércio e serviços pessoais; o recrudescimento da inflação; e a taxa de desocupação em setembro no estado, que ficou em 14,5%, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Sobre os recuos de medidas em relação à covid-19, o governo estadual paulista anunciou hoje (30) a regressão de todo o estado para a Fase Amarela do Plano São Paulo. A reclassificação acontece devido ao aumento das taxas de transmissão da doença e das internações no estado. 

Além disso, a Fundação Seade inclui como fator de incerteza o aumento do endividamento público, cujo patamar deve se aproximar de 100% do PIB no curto prazo. “Isso dificulta a manutenção dos gastos públicos e pressiona a política monetária, pelo lado da rolagem da dívida mobiliária, como também embute riscos consideráveis de ampliação do chamado risco Brasil, afetando negativamente a entrada de capital estrangeiro”, disse a entidade.

Leia mais:  Lucro do Banco do Brasil cai 20% no primeiro trimestre

Edição: Graça Adjuto

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana