conecte-se conosco


CIÊNCIA E SAÚDE

Covid-19: Secretaria de Saúde de Uberlândia afirma que variante brasileira já circula na cidade

Publicado

Segundo o assessor da rede de urgência e emergência, Clauber Lourenço, o novo comportamento da doença e de mortes em Uberlândia aponta a presença da nova cepa. Ele e a secretária do Governo e Comunicação, Ana Paula Junqueira, realizaram uma live neste domingo (21) para falar sobre a situação da cidade no atual momento da pandemia.

Ledo engano achar que ela [variante brasileira do coronavírus] já não chegou aqui em Uberlândia. Nós estamos a 100 km de Uberaba. Já chegou, explica as mortes de pessoas tão jovens, que antes não tinha”, afirmou o assessor técnico da rede de urgência e emergência da Secretaria de Saúde de Uberblândia, Clauber Lourenço. Ele e a secretária do Governo e Comunicação, Ana Paula Junqueira, realizaram uma transmissão ao vivo nas redes sociais, na tarde deste domingo (21), para falar sobre a situação da cidade no atual momento da pandemia de Covid-19.

No vídeo, a dupla cobrou mais contribuição do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU) no tratamento de pacientes com Covid-19. Atualmente, a instituição tem 16 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) exclusivos para esse fim. Eles também falaram sobre a “situação dramática” que vive a região do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba e as dificuldades de encontrar profissionais para contratação. A vacinação ainda foi abordada.

Sobre a cepa brasileira do vírus, Lourenço afirmou que ainda não há comprovação laboratorial de que a variante esteja circulando em Uberlândia. Contudo, pela proximidade com Uberaba, que recebeu 18 pacientes de Manaus, e pelo novo comportamento da doença em Uberlândia com ocorrências de mortes entre jovens com menos de 30 anos, ele acredida que a modificação do vírus já tenha chegado na cidade. Essa mutação da doença, chamada de P.1., foi identificada primeiro em Manaus.

“Antes, tinha característica de mortes entre idosos, raramente um mais jovem, com alguma comorbidade. Agora, temos mortes de pessoas extramamente jovens, com menos de 30 anos. Essa semana foram duas pessoas”, explicou Clauber Lourenço.

Leia mais:  Iturama: Solenidade de passagem de comando da 3ª Companhia Independente é realizada na Câmara Municipal

Nesta semana, Uberlândia registrou duas mortes de paciente com menos de 30 anos: um jovem, de 21 anos, neste sábado e uma jovem, de 24 anos, na quinta-feira (18).

Conforme Lourenço, a comprovação por exames e mais demorada. “Só vai ter a comprovação fazendo tipagem de tudo isso, que é um processo mais moroso, mais lento. Então, a gente tem uma dicifuldade de ter essa comprovação. Mas a gente já percebe que passou a ter maior mortalidade de pessoas jovens e isso deve se justificar na nova cepa. Até porque ela já está difundida para todos os lugares, praticamente todos os estados já têm notícias da nova cepa. E ela tem um poder muito maior de disceminação e também, aparentemente, uma mortalidade maior.”

HC-UFU e situação da região

Durante a transmissão ao vivo, a secretária do Governo e Comunicação, Ana Paula Junqueira, cobrou mais contribuição do Hospital de Clínicas da Universidade Federal de Uberlândia (HC-UFU) no tratamento de pacientes com Covid-19. Sobretudo neste momento em que as cidades do Triângulo e Alto Paranaíba apresentaram “uma explosão” de casos e que têm Uberlândia como referência.

“Esse é um dos momentos mais delicados e mais tensos que estamos tendo até agora na pandemia. A população das cidades vizinhas estão procurando SUS e rede privada em Uberlândia […] O HC-UFU podeia estar mais engajado com a gente. Só abriu oito leitos e só agora que vai abrir mais oito. Poderia estar ajudando muito mais. É um hospital com 516 leitos. Espero que repensem a atitude e ajudem mais a cidade”, disse Ana Paula.

“A situação dramática na região pede socorro a Uberlândia. O problema não é só Uberlândia, é de toda a nossa região. […] A gente fica feliz com 16 [leitos de UTI no HC-UFU], mas é necessário mais. A UFU não é só pra Uberlândia, é pra região. Uberlândia abriu mais de 100 leitos de UTI Covid e mais de 100 de enfermaria Covid. Não podemos achar que 16 é algo grandioso, porque não é. A UFU tem condições e a gente spera que novos leitos se abram”, afirmou Clauber.

Leia mais:  Policiais civis e penais manifestam contra a Reforma da Previdência no Triângulo e Alto Paranaíba

G1 procurou a assessoria do HC-UFU para falar sobre o assunto, mas não obteve respostas até a última atualização desta matéria.

Vacinação

Conforme Clauber Lourenço, o prefeito de Uberlândia Odelmo Leão (PP) está buscando alternativas e realizando diversas articulações para conseguir comprar vacinas contra a Covid-19. “Há dificuldades na compra de vacinas e isso está sendo enfrentado por todo Brasil. Mas acreditamos que em breve o prefeito terá novidades para anunciar neste sentido.”

De acordo com ele, a Prefeitura de Uberlândia já tem um esbolço de um plano para a ampliação da imunização na cidade, que deve seguir o que já ocorre no Uberlândia Tenis Clube (UTC), onde atualmente há uma estrutura para a vacinação de 30 pessoas simultaneamente. “A nossa ideia é fazer no Sabiazinho algo como foi feito no UTC. A gente vacinaria milhares de pessoas por dia.”

Contratação de profissionais

Segundo o representante da Secretaria de Saúde, a pasta está com dificuldades em encontrar profissionais especializados para UTI. O Município está com vagas abertas para médicos intensivistas e técnicos de enfermagem. “Sem esses profissionais, nós não conseguimos nem abrir mais leitos de UTI. E estamos com muitas dificuldades, está faltando mão de obra no mercado“, afirmou Clauber Lourenço.

Conforme ele, a dificuldade é dessas duas especialidades. Já enfermeiros e fisioterapeutas o Município está com quadro completo e há pessoas em lista de espera.

Por G1 Triângulo e Alto Paranaíba

Comentários Facebook
publicidade

CIÊNCIA E SAÚDE

Mais de 39 mil doses de vacinas contra a Covid-19 são destinadas para cidades do Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste de MG

Publicado

Vacina da Coronavac — Foto: André Santos/Prefeitura de Uberaba

Para esta etapa, recomendação do governo estadual é imunizar idosos entre 85 e 89 anos. Veja a quantidade de doses da CoronaVac e da AstraZeneca por município.

O governo de Minas Gerais iniciou, na manhã desta sexta-feira (26), a distribuição da 5ª remessa de vacinas contra a Covid-19. Para a região do Triângulo, Alto Paranaíba e Noroeste de MG, foram destinadas mais de 39 mil doses da CoronaVac e da AstraZeneca, que serão divididas em 76 municípios (veja a divisão nas tabelas abaixo).

O governo de Minas Gerais informou que, nesta etapa de vacinação, a recomendação aos municípios é imunizar idosos entre 85 e 89 anos, que correspondem a 154.721 pessoas. Devem ser vacinados também 24% dos que têm de 80 e 84 anos – 64.195 indivíduos.

Nesta etapa, ainda serão vacinados mais 8% dos trabalhadores da área da saúde, o que totalizam 81% desse público.

Segundo o governo de Minas Gerais, a vacinação segue diretrizes do Ministério da Saúde (MS) em alinhamento com o Conselho Estadual de Secretaria de Saúde de Minas Gerais (Cosems-MG). Mas cabe a cada Prefeitura definir a própria estratégia.

Ao todo, serão distribuídas 220 mil doses da vacina AstraZeneca (dose 1) e 137,4 mil doses da CoronaVac (doses 1 e 2) para as 28 Unidades Regionais de Saúde (URS) do Estado.

A CoronaVac é a vacina do Instituto Butantan feita em parceria com o laboratório chinês Sinovac. Já a AstraZeneca, popularmente conhecida como vacina de Oxford, é o imunizante desenvolvido pela universidade do Reino Unido e pelo laboratório AstraZeneca; a Fiocruz também desenvolve a vacina no Brasil. Ambas tiveram o uso emergencial foi aprovado pela Anvisa no dia 17 de janeiro.

Quinto lote

Este é o quinto lote de vacinas que chega a Minas Gerais. A vacinação no estado começou no dia 18 de janeiro, com a chegada das primeiras 577.480 doses da CoronaVac. No dia 24 do mesmo mês, 190.500 doses da AstraZeneca foram entregues.

Leia mais:  PM de Carneirinho flagra caminhões com mais de 70 cabeças de gado sem documentação

A terceira remessa chegou a Minas no dia 25 de janeiro, com 87.600 doses da CoronaVac. No dia 7 de fevereiro, foram mais 315.600 doses do mesmo imunizante.

No total, Minas Gerais recebeu 1.528.580 doses do governo federal. Até o momento, 550.602 pessoas receberam a primeira dose da vacina contra a Covid-19 no estado, e 238.155 mineiros receberam as duas doses.

Veja, abaixo, a quantidade de doses destinadas para cada município do Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba e Noroeste:

Doses enviadas para a URS Uberlândia e divisão por municípios

Municípios CoronaVac (1ª dose + 2ª dose) AstraZeneca (1ª dose)
Abadia dos Dourados 40 50
Araguari 800 1.250
Araporã
Cascalho Rico 40 40
Coromandel 180 270
Douradoquara 20 20
Estrela do Sul 60 80
Grupiara 20 30
Indianópolis 40 50
Iraí de Minas 40 60
Monte Alegre de Minas 200 250
Monte Carmelo 240 380
Nova Ponte 60 80
Patrocínio 500 840
Prata 160 220
Romaria 20 20
Tupaciguara 220 330
Uberlândia 3.400 5.730
Total 6.000 9.650
Por: G1 Triângulo e Alto Paranaíba

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana