conecte-se conosco

POLÍTICA

Campanhas de Gleisi e Fátima Bezerra receberam propina, diz Palocci em delação

Publicado

source
Antonio Palocci arrow-options
Reprodução

“Nada que Antonio Palocci diga sobre o PT e seus dirigentes têm qualquer resquício de credibilidade desde que ele negociou com a Polícia Federal um pacote de mentiras para escapar da cadeia”, afirma Gleisi Hoffmann sobre o ex-ministro.

Em delação premiada, o ex-ministro da Fazenda no governo Lula, Antonio Palocci afirmou que a deputada federal e presidente do PT, Gleisi Hoffmann (PT-PR), e a governadora do Rio Grande do Norte, Fátima Bezerra (PT), receberam propina da empreiteira Camargo Corrêa em suas campanhas de 2010. A informação foi divulgada nesta segunda (2) pela colunista do O Globo, Bela Magale.

Leia também: Mãe de vítima de Paraisópolis acha que filho não foi pisoteado: “foi chacina”

Na época, a Camargo Corrêa estava sendo investigada pela operação Castelo de Areia e, segundo Palocci , a empresa teria doado R$ 50 milhões ao PT pelo partido ter enterrado as investigações contra a empreiteira. Gleisi e Fátima Bezerra teriam se beneficiado das doações, de acordo com o ex-ministro.

A delação de Palocci está em um documento da Operação Appius , que investiga o caso. O ex-petista afirma que Gleisi e Fátima Bezerra tinham “plena consciência da origem ilícita das doações realizadas pela Camargo Corrêa”.

Leia mais:  Bolsonaro abandona entrevista ao ser perguntado sobre vídeo de leão e hienas

A assessoria de Fátima Bezerra informou que a petista não recebeu diretamente doações da Camargo Corrêa em 2010. Todo o dinheiro utilizado na campanha da petista teria vindo do diretório nacional do partido. A governadora do Rio Grande do Norte afirma não ter conhecimento de qualquer origem ilícita de dinheiro que envolva a operação Castelo de Areia.

Leia também: Bombeiros não localizam sobreviventes de queda de avião em São Paulo

Gleisi disse, por meio de sua assessoria de imprensa, que “nada que Antonio Palocci diga sobre o PT e seus dirigentes tem qualquer resquício de credibilidade desde que ele negociou com a Polícia Federal, no âmbito da Lava Jato , um pacote de mentiras para escapar da cadeia e usufruir de dezenas de milhões em valores que haviam sido bloqueados”.

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA

Grupo Anonymous revela dados de Bolsonaro, familiares e ministros

Publicado

por

source
dois frames, homem sério em um deles e homem de máscara em outro
Agência Brasiil e reprodução de vídeo

Grupo divulgou dados de Bolsonaro e familiares

O grupo Anonymous Brasil revelou, na noite da segunda-feira (1), dados pessoais do presidente Jair Bolsonaro, de seus filhos, da sua ex-esposa e dos ministros Abraham Weintraub e Damares Alves.

A informação sobre o vazamento foi confirmada pelo deputado estadual Douglas Garcia (PSL-SP), que também teve dados divulgados e afirmou pelas redes sociais que vai registrar um boletim de ocorrência sobre o assunto. “Anonymous Brasil, de forma criminosa, acaba de divulgar todos os meus dados nas redes sociais. Para que colocar os meus familiares em risco?”, questionou o deputado.

Leia também: Interferência na PF: PGR quer mais um mês para investigar Bolsonaro

Os filhos do presidente que tiveram dados vazados foram o vereador Carlos Bolsonaro e o deputado federal Eduardo Bolsonaro. Todas as divulgações ocorreram pelo twitter do Anonymous Brasil, conta que foi derrubada pouco após a publicação.

“Não nos importamos, pois somos como uma hydra, corte uma cabeça e nascerá outras duas no lugar”, afirmou um novo perfil que se disse ligado ao grupo do vazamento pouco após o primeiro perfil ser excluído.

Leia mais:  Deltan Dallagnol é recebido com protestos antes de palestra em São Paulo

Leia também: Bolsonaro liga para Trump e agradece envio de mil respiradores

Segundo a coluna Sonar, do jornal O Globo, alguns dos dados divulgados já eram de conhecimento público, como a declaração de bens imobiliários. Nenhum dos filhos de Jair Bolsonaro, dos ministros ou o próprio presidente se posicionou até o momento. 

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana