conecte-se conosco


POLÍTICA

Boulos diz que morte de negro no Carrefour foi “racismo puro” e critica Mourão

Publicado

source
Guilherme Boulos
Reprodução/Facebook

Guilherme Boulos, candidato à Prefeitura de São Paulo pelo PSOL

O candidato do PSOL à Prefeitura de São Paulo, Guilherme Boulos , fez críticas a Hamilton Mourão após o vice-presidente negar que há racismo no Brasil.

A frase de Mourão foi dita sobre a morte de João Alberto Silveira Freitas , homem negro morto em um supermercado de Porto Alegre , no Rio Grande do Sul. Ele foi assassinado por dois homens brancos nesta quinta-feira (19), véspera do Dia da Consciência Negra .

“Alguém consegue imaginar aquela cena acontecendo com uma pessoa branca engravatada naquele mercado?”, questionou Boulos. “Isso é racismo , racismo puro”, complementou.

Boulos reforçou que pretende implementar políticas antirracistas em São Paulo caso seja eleito no dia 29 de novembro, data prevista para que ocorra o segundo turno das eleições municipais.

Leia mais:  ​​STJ condena governador do Amapá a seis anos de prisão e perda do cargo

Na tarde deste sábado (21), Boulos cumpriu agenda em Heliópolis, região localizada na zona sul. Com discursos em carro de som para apoiadores, Boulos voltou a rebater a decisão da gestão de Bruno Covas (PSDB) sobre o Bilhete Único, que passou de quatro para duas horas na capital.

Outra caminhada está prevista na agenda do candidato. Dessa vez, em Paraisópolis.

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA

Doria não está pronto para ser candidato a presidente em 2022, diz FHC

Publicado

por

source
Fernando Henrique Cardoso de terno
Wilson Dias/Agência Brasil

FHC não é entusiasta do nome de João Doria para candidato a presidente

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso disse nesta segunda-feira (30) que o governador de São Paulo , João Doria (PSDB), ainda não está pronto para ser candidato a presidente da República em 2022. Em entrevista ao portal UOL , o líder tucano considerou que o paulista precisa se “nacionalizar” para se tornar competitivo na próxima eleição.

“O Brasil é muito diverso, não adianta você pensar que vamos pegar uma pessoa que é do meu partido e acho que pode ser candidato. O Doria vai ter que se nacionalizar. Ele tem uma vantagem, os pais são da Bahia. Ele vai ter que ‘baianizar’, ‘cariocar’, ‘gauchar’, enfim, se é para expressar um sentimento nacional, você não pode ser de uma parte só, tem que atender essa diversidade do país”, disse.

Leia mais:  Guilherme Boulos é o entrevistado do iG nesta segunda

Somente o pai do governador é baiano. A mãe de Doria é natural de São Paulo. Doria é hoje o principal nome do PSDB para a disputa nacional daqui a dois anos, mas não é o único. O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, também é lembrado para a vaga. FHC nunca escondeu a preferência por outros nomes que não o de Doria.

Nesta segunda-feira, o ex-presidente afirmou que Doria é “um bom líder paulista”. Ele lembrou que também teve que buscar inserção nacional para se eleger em 1994.

“Eu nasci no Rio, sou paulista, minha mãe amazonense, meu pai do Paraná, meus avós de Goiás, eu explorava isso. Não que eu quisesse ganhar politicamente. Queria, mas não é só isso. O Doria tem que usar esses instrumentos que tem para se transformar num líder nacional, por enquanto ele é um bom líder paulista”, disse.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana