conecte-se conosco


POLÍTICA

Bolsonaro tenta encontrar vice ideal para 2022; Tarcísio Freitas é favorito

Publicado

source
Tarcísio Freitas é o atual ministro da infraestrutura e favorito para ser vice da chapa de Bolsonaro em 2022
Clauber Cleber Caetano/PR

Tarcísio Freitas é o atual ministro da infraestrutura e favorito para ser vice da chapa de Bolsonaro em 2022

O ministro da infraestrutura, Tarcísio Freitas , é o favorito para ser o vice de Jair Bolsonaro nas eleições de 2022 . Em conversa com aliados, Bolsonaro afirmou que não pode errar novamente na escolha de seu companheiro e os ideais do ministro conta a favor. 

O atual vice-presidente, Hamilton Mourão (PRTB) , foi descartado, o que aumentou as desavenças entre ele e Bolsonaro . Na última semana, Mourão deixou de ser convidado para a reunião ministerial . A relação também foi prejudicada após vazamento de mensagens em que um assessor do vice teria articulado o impeachment do chefe do Palácio do Planalto .

Na visão de Bolsonaro, o candidato para compor sua chapa para reeleição não deve ter exercido mandato parlamentar ou ter influências políticas no Congresso Nacional. O requisito mínimo é motivado pelos mais de 60 pedidos de destituição de Bolsonaro no legislativo. Na visão do presidente, um companheiro sem apoio dos parlamentares pode travar o avanço do processo de impeachment.

Leia mais:  Caso Flordelis: senador já sabia que esposa seria intimada por conta de celular

A discrição e a confiança em Freitas também são fatores que enchem os olhos de Bolsonaro para colocá-lo na chapa nas próximas eleições. Nos bastidores do Planalto, Tarcísio Freitas é visto como bom ministro e um candidato que não irá interferir na imagem de Jair Bolsonaro, principalmente em entrevistas para a imprensa.

O medo de Bolsonaro é que o filme com Mourão seja repetido em caso de reeleição. Mesmo sendo última opção em 2018, o atual vice-presidente roubou a cena ao dar entrevistas para jornalistas na porta do Palácio do Jaburu, o que incomoda a comitiva do Planalto.

Troca de farpas

A troca de farpas entre Bolsonaro e Mourão ganhou novo capítulo na última sexta-feira (12). O vice afirmou, em entrevista, que Jair Bolsonaro “vai tomar pau” com ou sem auxílio emergencial . Semanas antes, Bolsonaro afirmou que se o vice quisesse indicar ministérios “se candidate em 2022”.

Leia mais:  Rede anuncia apoio a Rodrigo Pacheco, candidato de Alcolumbre ao Senado

Com a exclusão mais evidente, Hamilton Mourão disse que faltava diálogo entre ele o presidente da república e sentia falta de sua participação no Governo Federal .

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA

Lira promete teleconferência com governadores para discutir Orçamento

Publicado

por

source
Arthur Lira, presidente da Câmara dos Deputados
Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Arthur Lira, presidente da Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou hoje (27) que deve realizar uma reunião virtual com os governadores brasileiros para discutir, entre outros temas, o Orçamento de 2021 da União. “Com o recrudescimento e nova onda da pandemia, quero chamar todos os governadores para contribuírem com sugestões na formulação do orçamento geral da União”, postou em seu Twitter. 

Lira disse que aceitará sugestões de líderes estaduais para contribuírem na redação do Orçamento. Ele espera reunir por teleconferência, devido ao agravamento da pandemia. “Pretendo fazer uma teleconferência com os governadores nesta semana, junto com a relatora e o presidente da CMO, para ouvir como o orçamento pode ajudar na superação da pandemia”.

O presidente da Câmara dos Deputados destacou ainda que outros temas também devem estar na pauta da reunião. “Também ouvirei os governadores sobre sugestões legislativas emergenciais para tramitarem em caráter de urgência que possam ser adotadas, respeitando o teto fiscal, com o objetivo de enfrentar os efeitos da covid-19”, escreveu o parlamentar.

Leia mais:  Covas sai de licença por 10 dias após fazer sessão de radioterapia

Veja:

Você viu?



Na sexta-feira (26), sem consenso entre os partidos e para evitar uma derrota, o presidente da Câmara desistiu de votar no plenário a  PEC da Imunidade  e decidiu enviá-la para discussão em uma comissão especial a ser criada, que é o rito de praxe. A proposta de emenda à Constituição (PEC) cria novas regras para a imunidade parlamentar. Na prática, as mudanças vão dificultar a prisão de deputados e senadores em alguns casos.

“Coletivamente, nós não conseguimos nos entender hoje. E não será atropelando o regimento que o faremos. Determino a criação de uma comissão especial. Que os líderes façam a indicação dos seus membros até segunda-feira (1º), e essa comissão será instalada com o mesmo rigor da discussão de que temas importantes nesta casa mereçam ser tratados”, afirmou Lira.

Leia mais:  PSOL pede que Alexandre de Moraes investigue fake news contra Jean Wyllys

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana