conecte-se conosco

POLÍTICA

Bolsonaro quer que vida pública de candidatos ao MEC seja investigada

Publicado

source
Bolsonaro
Marcos Corrêa/PR

Governo Bolsonaro já está analisando nomes para substituir Decotelli.

Após as polêmicas envolvendo o currículo de Carlos Alberto Decotelli , o presidente  Jair Bolsonaro quer que a vida pública e a carreira dos candidatos ao comando do Ministério da Educação seja investigada. A informação foi dada pela colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo , depois que Decotelli confirmou sua saída do governo. 

Decotelli deixou o governo cinco dias depois de ter sido nomeado para o cargo após uma série de incoerências terem sido encontradas em seu currículo. Dentre elas, estariam os títulos de doutor e pós-doutor nas universidades de Rosário (Argentina) e Wuppertal (Alemanha), respectivamente. As instituições negaram que o ex-ministro tenha cursado os respectivos programas.

No momento, o governo estaria analisando alguns nomes para o comando da pasta. São eles: Anderson Correia, atual reitor do ITA (Instituto Tecnológico de Aeronáutica); Renato Feder, secretário de Educação do Paraná; Sérgio Sant’Anna, ex-assessor do MEC, Antonio Freitas, pré-reitor da FGV e Ilona Becskeházy, secretária de educação básica do MEC.

Leia mais:  Diante de Casa Civil "enfraquecida" Onyx e Bolsonaro se reúnem nesta sexta-feira

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA

Haddad diz que está em um grupo no WhatsApp com Evo Morales

Publicado

por

source
Fernando Haddad%2C ex-presidente de São Paulo
Reprodução/TV Cultura

Fernando Haddad, ex-presidente de São Paulo

O ex-prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), disse em entrevista ao programa Roda Viva , da TV Cultura, nesta segunda-feira (6) que está em grupos de WhatsApp nos quais ele troca mensagens com o ex-presidente boliviano Evo Morales.

O comentário foi feito pelo petista enquanto ele falava sobre a fundação do PT, que, segundo ele, surgiu para se contrapor a uma visão de esquerda que era muito prevalente na década de 1970.

Durante sua fala, Haddad disse que é crítico a governos de esquerda que mudam as “regras do jogo” para se perpetuarem no poder. Um dos exemplos foi o de Morales. “Se o PT fosse dessa forma, eu já estaria fora. Eu não ficaria em uma agremiação que pensa dessa forma”, completou.

Leia mais:  Diante de Casa Civil "enfraquecida" Onyx e Bolsonaro se reúnem nesta sexta-feira

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana