conecte-se conosco


EDUCAÇÃO

Aulas presenciais são retomadas em Uberlândia; algumas escolas municipais fazem paralisação

Publicado

Prefeitura autorizou volta em sala de aula a partir desta segunda-feira (8), com revezamento de alunos durante pandemia de Covid-19; profissionais da educação pediram adiamento por meio da Defensoria Pública.

O ano letivo 2021 nas escolas municipais de Uberlândia começou nesta segunda-feira (8) com aulas presenciais, mesmo diante da pandemia da Covid-19.

A medida adotada pela Prefeitura motivou ação na Justiça para tentar adiar o retorno. Contudo, o calendário não foi alterado e algumas instituições adotaram a paralisação logo pela manhã, ou mantiveram as portas fechadas, conforme acompanhou o MG1.

Segundo o foi definido pelo Município, as salas de aula deverão receber, no máximo, 50% da capacidade total de alunos. A outra metade deverá acompanhar as aulas remotamente. Em dezembro de 2020, foi divulgada uma cartilha com os cuidados que pais, alunos e escolas precisarão adotar.

Duas escolas onde a reportagem registrou que as portas estavam fechadas foram E.M. Professora Cecy Cardoso Porfírio, e de Educação Infantil Professora Sônia Aparecida Álvares de Oliveira, Bairro Mansour. Uma mãe foi até o local para fazer matrícula, mas não conseguiu entrar.

Leia mais:  Mais de 70% dos pais se recusariam a enviar filhos para escola ainda em julho e 40% só acreditam no retorno em 2021, aponta levantamento

Na E.M. Professor Luis Rocha e Silva, no Bairro Tubalina, a adesão dos pais para a retomada na classe não foi grande. A expectativa era receber 250 estudantes, mas durante a manhã só compareceram cerca de 75, até por volta das 8h.

Cartazes foram fixados nas portas de algumas escolas que aderiram paralisação — Foto: Gabinete vereadora Cláudia Guerra/Divulgação

Ano letivo em 2021

volta às aulas no Município foi prevista para o dia 8 de fevereiro de 2021, mas a confirmação da data vai depender da situação epidemiológica do município. Segundo a Prefeitura, as salas de aula deverão receber, no máximo, 50% da capacidade total de alunos. A outra metade deverá acompanhar as aulas remotamente.

Ainda segundo o Município, pais ou responsáveis poderão escolher se mandam ou não os alunos para as aulas presenciais. Quem não quiser, segue no aprendizado remoto.

Professores solicitaram que a Defensoria Pública adotasse medidas para evitar retorno das aulas presenciais — Foto: Reprodução/TV Integração

No início de janeiro, as entidades representativas de professores das redes municipal e particular de ensino de Uberlândia se posicionaram sobre o retorno das atividades presencias.

Leia mais:  Inep divulga regras do Enem 2020 e datas de inscrição; edição terá provas impressas e digitais

Dia 29 de janeiro, um grupo de profissionais manifestou contra o calendário presencial e alertou sobre os riscos na transmissão da doença e falta de vacina.

Educação durante a pandemia

As atividades escolares presenciais em instituições públicas e privadas foram suspensas em março devido à pandemia de Covid-19. Quase nove meses depois, em dezembro, a Prefeitura de Uberlândia autorizou a elaboração do protocolo para retomada.

A cartilha com as medidas de segurança foi anunciada no dia 11 de dezembro.

No dia 14 de janeiro de 2021, a Câmara de Uberlândia realizou audiência pública para discutir o tema com pais de alunos, professores, diretores e proprietários de estabelecimentos de ensino. A secretária de Educação, Tânia Toledo, também participou do evento virtual.

Por: MG1 e G1 Triângulo e Alto Paranaíba

Comentários Facebook
publicidade

EDUCAÇÃO

Rede estadual define volta às aulas de forma híbrida e presença facultativa

Publicado

Secretários Carlos Eduardo Amaral e Julia Sant’Anna detalharam o protocolo de retomada das aulas presenciais em Minas Gerais (Foto/Pedro Gontijo / Imprensa MG)

Governo de Minas apresentou ontem novo protocolo de saúde para a volta às aulas presenciais no Estado. A proposta é o retorno dos alunos, inicialmente, de 1º a 6º ano, porém com revezamento nas salas de aula. As escolas estaduais adotarão o modelo híbrido e com presença facultativa, mantendo o ensino remoto para as famílias que optarem por não enviar as crianças de volta para as unidades.

Em entrevista coletiva, o secretário estadual de Saúde, Carlos Eduardo Amaral, posicionou que o protocolo prevê um retorno de maneira gradual e alternada. “Não tem como ter todos os alunos na sala de aula ao mesmo tempo. Não teria espaço físico suficiente. A diretriz é a alternância de horários e turnos”, salientou.

Além disso, o titular da pasta esclareceu que a volta às aulas presenciais só será permitida aos municípios que estiverem nas ondas verde e amarela do Minas Consciente. Desta forma, as escolas estaduais em Uberaba não seriam contempladas neste primeiro momento, pois a região do Triângulo Sul está na onda vermelha.

Leia mais:  Inep divulga regras do Enem 2020 e datas de inscrição; edição terá provas impressas e digitais

O protocolo também prevê a adesão da Prefeitura para a reabertura das escolas. Com isso, o retorno presencial apenas acontecerá nos municípios onde for autorizado pelo poder municipal, mesmo nas escolas estaduais.

Amaral explica que, se a macrorregião retroceder para onda vermelha após o início das atividades, as aulas presenciais poderão continuar. No entanto, haverá regras ainda mais rígidas de distanciamento.

Na coletiva, o secretário estadual ainda defendeu que o acompanhamento de casos internacionais permitiu classificar que “as escolas não são por si só ambiente que haja transmissão importante”, tanto de um estudante para outro quanto de alunos para profissionais da educação. “Quando temos acometimento dentro da escola em geral, se vê que o ambiente ao redor da escola está com transmissão muito maior que em si dentro da escola”, argumentou.

Apesar do anúncio do protocolo ontem, a secretária estadual de Educação, Júlia Sant’Anna, posicionou na entrevista coletiva que a volta às aulas no dia 8 de março, a princípio, será no modelo remoto. Segundo ela, o Governo de Minas aguarda posicionamento da Justiça, pois ainda existe uma liminar que impede o retorno de forma presencial no momento.

Leia mais:  MEC divulga novas datas para inscrição no Sisu do segundo semestre de 2020

Por: Jornal da Manhã – JM

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana