conecte-se conosco


Entretenimento

Atriz afirma que perdeu papel em novela da Globo por apoiar Bolsonaro

Publicado em

Entretenimento

source
Maria Vieira detona Globo após ficar de fora da novela
Reprodução

Maria Vieira detona Globo após ficar de fora da novela

A atriz portuguesa Maria Vieira publicou um texto nas redes sociais afirmando que foi chamada para integrar o elenco de Travessia, novela de Gloria Perez que substituirá Pantanal, na Globo. Mas, segundo ela, foi barrada por ser conservadora, apoiar o atual presidente do Brasil e ser antivacina. 

“Não sei quem, na Globo, decidiu impedir a minha contratação. Mas o que eu sei é que desta vez alguém trabalhou nos bastidores para me impedir de integrar o elenco e depois de eu ter sido instruída para iniciar o processo de contratação é legítimo depreender que o facto de eu ser uma actriz conservadora e de Direita e de ser apoiante do presidente Jair Bolsonaro e Deputada Municipal do CHEGA terá sido o único motivo pelo qual eu fui afastada do elenco”, publicou no Facebook. 

O convite para participar da novela teria sido feito pelo próprio diretor Mauro Mendonça Filho, pois a novela será ambientada em Portugal e precisavam de uma atriz portuguesa para integrar o elenco.

Leia mais:  'BBB 22': Jade Picon e Linn da Quebrada são mais comentadas no Twitter

“Terá (ou teria) a participação de uma actriz portuguesa que no caso seria eu, por indicação do próprio director, realizador da primeira novela que eu fiz na Globo em 2008/09, Negócio da China”, afirmou. 

“É claro que eu aceitei de imediato. Ficou acordado com a produtora brasileira que eu iria dar início ao processo para a obtenção do meu visto de trabalho no consulado brasileiro em Lisboa e passados 2 dias fui contactada pela directora da produtora portuguesa, que vai colaborar com a Globo durante as gravações, e que também me confirmou o interesse da emissora na minha contratação” completou.

Mauro Mendonça Filho também teria sido o responsável em dar a notícia em que ela não estaria mais na novela: “Entretanto, os dias passaram e voltei a contactar a produtora da Globo para obter alguns esclarecimentos, mas como notei alguma displicência da parte da mesma resolvi entrar em contacto com o Mauro Mendonça Filho para saber em que ponto estavam as coisas”.

“E qual não é o meu espanto quando o Mauro me informa que de facto eu fui a sua primeira escolha para o personagem mas que entretanto teria sido feita outra opção que também depende da decisão da empresa e que lamentava ter que ser ele a dar-me essa notícia e que me admirava muito”, revelou.

Leia mais:  Maraisa diz que queria ‘apagar do mundo’ vídeo cantando bêbada

Maria ainda criticou a postura da emissora em relação a sua amiga, a atriz Elizângela, que chegou a ficar internada na UTI por complicações da Covid-19, e teria sido obrigada a tomar a vacina contra o vírus.

“Foi escolhida pela própria Gloria Perez para fazer parte do elenco da mesma novela, terá sido coagida a tomar a injeção contra a ‘covidagem’ para poder integrar o elenco da mesma e tendo em conta que este tipo de decisões e ações ditatoriais são lamentáveis e absolutamente vergonhosas”, escreveu.

“Não hesitei em trazer a público este caso porque é fundamental que o público saiba o que se está a passar no mundo artístico (quer em Portugal, quer no Brasil) e que tome conhecimento das injustiças que estão sendo cometidas em nome do socialismo, do globalismo e do politicamente-correcto”, criticou.

A atriz encerrou o texto em seu Facebook afirmando que guardou os registros de todos os contatos que foram feitos entre ela e os envolvidos: “Para que ninguém (inclusive os ‘media’ que passam o tempo a perseguir-me e a ostracizar-me) possa dizer mais tarde que eu inventei este lamentável episódio”.

*Com a colaboração de Gabriela Ramos.

Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
Propaganda

Entretenimento

Otaviano Costa vira coach para veteranos demitidos da Globo

Publicados

em

Por

Flávia Alessandra e Otaviano Costa se tornaram sócios da rede Royal Faces
Mauro Stani/Divulgação

Flávia Alessandra e Otaviano Costa se tornaram sócios da rede Royal Faces


Antes da Globo iniciar o maior processo de demissão de artistas de sua história, Otaviano Costa se antecipou e pediu desligamento da líder de audiência em 2019. Na época, seus amigos de emissora o chamaram de louco. Hoje, desempregados, boa parte passou a procurá-lo para pedir conselhos e até mesmo direcionamento de carreira.


“Eu recebi alguns telefonemas de amigos queridos perguntando: ‘Você está bem? Me conta aí, o que está acontecendo?’. E é engraçado que hoje esses mesmos amigos falam assim: ‘Como que é tudo aí fora?’. Na minha visão empreendedora, acabei inspirando outros que estão lá ainda ou que acabaram de sair a tentar aplicar o mesmo modelo. Vários amigos me ligam com a mesma vontade e eu faço questão de contar a minha estrada, de compartilhar a minha experiência”, disse ele à coluna.

Otaviano e sua mulher, Flávia Alessandra, acabaram de se tornar sócios da Royal Face, a maior rede de clínicas de harmonização facial do país, e foram apresentados ao mercado na semana passada, em um evento no hotel Rosewood, em São Paulo. Além de apresentador, empresário e empreendedor, ele passou a atuar como uma espécie de coach para outros artistas que, pela primeira vez, deixaram de ter contrato fixo com a maior emissora do país.

Leia mais:  'BBB 22': Jade Picon e Linn da Quebrada são mais comentadas no Twitter

“Inspiração talvez seja a melhor palavra. Nem todos têm o mesmo sangue empreendedor, mas o sangue de querer fazer algo por si todos têm, e eu faço questão de chamar lá no estúdio, contar, abrir, mostrar quais são os desafios. Porque é tudo o que me resta fazer de maneira generosa com que os outros também tenham a chance de se transformar”, disse ele.

Otaviano pediu as contas da Globo no primeiro semestre de 2019, logo após o encerramento do Tá Brincando, programa exibido nas tardes de sábado e que teve uma curta temporada. Ele começou a olhar para o mercado e viu que havia diversas possibilidades artísticas e de negócios que poderia explorar, mas que o contrato com sua antiga casa o impedia de viabilizar.

“Minha reflexão bateu muito forte em 2019, quando eu decidi sair, porque eu percebi um movimento muito grande forte de acontecimentos, de multiplataformas, de streamings, e eu me coloquei na reflexão como artista: ‘Será que eu tô explorando tudo o que é possível?’. E entendi naquele momento que era melhor tentar outra coisa. E deu supercerto”, disse ele.

“A Globo, para mim, é uma casa de respeito enorme, um lugar incrível, de onde eu saí de portas abertas. Sei lá se a gente vai trabalhar juntos de novo. O que eu quis eu realizei, que foi criar uma multiplicidade de acontecimentos que me permite estar em todos os lugares. Quando eu saí, estava rolando a campanha de ser Uma Só Globo. E eu queria ser mil Otavianos. E deu certo”, analisou.


Empresário

Quando deixou a líder de audiência, em 2019, ele e Flávia Alessandra decidiram abrir a agência Family e ambos passaram a gerenciar suas próprias carreiras. E no meio de diversas análises e reflexões, eles chegaram à conclusão de que passaram anos ajudando marcas e empresas a alavancarem seus nomes e produtos com suas imagens.

E por conta disso, decidiram dar um passo além e deixaram de ser apenas os garotos-propagandas para se tornarem donos da maior rede de clínicas de harmonização facial do país, que já possui 191 unidades espalhadas por todo o país. A meta é chegar a 350 lojas até o final deste ano.

“O mercado está mais preparado para esta visão de negócio que a gente começou a acreditar. Cases como o de Anitta e de Gisele Bündchen serviram de inspiração para acreditarmes neste modelo de negócio, que hoje para a gente é irreversível. Vemos nessa prateleira da estética uma parceria que faz todo o sentido. Não é só a ponta da imagem, do marketing, é da inteligência do negócio, é da sociedade, da pulsação do dia a dia dele. E assim como este negócio, nós temos outros que estão com a mesma formatação. E isso é muito provocador e inspirador para a gente”, avaliou.

Fonte: IG GENTE

Comentários Facebook
Continue lendo

ITURAMA E REGIÃO

POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

Mais Lidas da Semana