conecte-se conosco


POLÍTICA

Arthur Weintraub deixa governo e vai assumir cargo na OEA

Publicado

source
Bolsonaro ao lado de Arthur Weintraub
reprodução / Twitter

“Conversei com o presidente desde o começo”, afirma Arthur Weintraub

Arthur Weintraub deixará o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) para assumir novo posto na Organização dos Estados Americanos (OEA). O irmão de  Abraham Weintrab  ocupava o cargo de assessor-chefe adjunto da Assessoria Especial da Presidência.

Weintraub se despediu de Bolsonaro em um vídeo publicado em suas redes sociais: “Foi uma honra ter trabalhado com o senhor. Estou indo para a OEA, um cargo na área do Direito, conversei com o presidente desde o começo”, afirma.

Segundo Arthur Weintraub, não é um adeus, e sim, um até logo. O presidente Jair Bolsonaro garantiu que as portas do governo estarão sempre abertas para ele.

“Dois anos antes das eleições, o Arthur e seu irmão acreditaram na gente, fizeram uma viagem ao Japão, Coréia do Sul e Taiwan e também conversamos muito. Num momento em que quase ninguém acreditava na gente”, relembrou o presidente.

Leia mais:  Temer ligou para Bolsonaro para tentar convencê-lo de decretar isolamento social

“Quando quiser retornar, as portas estão abertas”, reiterou.

Abraham Weintraub, seu irmão, também deixou o cargo no governo federal para ocupar um posto em uma instituição internacional. Antes ministro da Educação, Weintraub está agora no Banco Mundial.

Comentários Facebook
publicidade

POLÍTICA

Tribunal forma maioria para tornar Crivella inelegível

Publicado

por

source
Prefeito do Rio de Janeiro%2C Marcelo Crivella (Republicanos)
Agência Brasil

Prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella (Republicanos)

O Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio de Janeiro formou maioria para que o prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) se torne inelegível. Apesar de já haver um resultado negativo, o resultado final do julgamento só será na quinta-feira (24) por conta de um dos desembargadores ter feito pedido de vista, que é mais tempo para poder analisar o caso.

Nesta segunda, cinco desembargadores acompanharam o voto do desembargador relator, Cláudio Dell’Orto. Para que fosse formada maioria eram necessários pelo menos quatro votos. A sessão foi suspensa, porém, após o pedido de vista do desembargador Vitor Marcelo Rodrigues.

Atualmente Crivella é prefeito e candidato à reeleição e pode recorrer da decisão até que todos as possibilidades de recursos em instâncias superiores estejam esgotadas. Nesse caso, os recursos poderiam ser enviados ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Leia mais:  PGR pede que STF apure se atos violaram Lei da Segurança Nacional

Por meio de nota, a assessoria do prefeito diz que “o julgamento ainda não terminou” e que, “após concluído e publicada a decisão, no prazo legal”, entrará com recurso. “O prefeito poderá participar do pleito”, completa o comunicado.

A ação diz respeito a um evento na Comlurb em que Marcelo Hodge Crivella, filho de Crivella, foi apresentado como pré-candidato a deputado.

O relator do caso afirmou ainda que não cabe a cassação de Crivella, mas determinou a procedência das acusações de abuso de poder político e conduta vedada.

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana