conecte-se conosco


POLÍTICA

Apoio a Bolsonaro vai para 37% entre quem recebe o Auxílio Brasil

Publicado em

POLÍTICA

Apoio a Bolsonaro vai para 37% entre quem recebe o Auxílio Brasil
Isac Nóbrega/PR

Apoio a Bolsonaro vai para 37% entre quem recebe o Auxílio Brasil

37% dos eleitores que receberam algum pagamento do Auxílio Brasil têm a intenção de votar no  presidente Jair Bolsonaro (PL) no 1º turno das eleições. O percentual subiu 9 pontos percentuais em comparação à pesquisa anterior, quando 28% responderam essa mesma pergunta.

Como a margem de erro sobe para 5 pontos percentuais quando se considera só os beneficiários do programa, o resultado coloca Bolsonaro na zona de empate técnico com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que marca 43%.

André Janones (Avante) tem 8% dos votos entre os cadastrados no programa; Ciro Gomes (PDT), 1%. Os demais pré-candidatos não pontuaram. Confira: 

Intenção de voto entre os beneficiários do Auxílio Brasil:

  1. Lula (PT) – 43% 
  2. Bolsonaro (PL) – 37% 
  3. André Janones (Avante) – 8%
  4. Ciro Gomes (PDT) – 1%
  • Brancos/nulos – 9% 
  • Não sabem – 2%

O Auxílio Brasil foi lançado pelo governo federal em novembro de 2021 para substituir o antigo Bolsa Família, que pagava até R$ 190 para as famílias contempladas.

Leia mais:  Pré-candidatura de Lula deve ocorrer no dia 30 de abril em SP

Metodologia 

A pesquisa foi realizada de 3 a 5 de julho de 2022. Foram entrevistadas 3 mil pessoas com 16 anos ou mais em 317 municípios nas 27 unidades da Federação. A margem de erro é de 5 pontos percentuais, para mais ou para menos.

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

Comentários Facebook
Propaganda

POLÍTICA

Molon dribla PSB e faz sucesso com vaquinha virtual

Publicados

em

Por

Alessandro Molon vai concorrer ao Senado
Reprodução/Twitter

Alessandro Molon vai concorrer ao Senado

Na última quinta-feira (11), o candidato ao Senado Alessandro Molon arrecadou R$ 100 mil para fazer sua campanha. Ele lançou uma vaquinha virtual após o PSB proibi-lo de ter acesso a recursos do fundo partidário.  A decisão do partido foi uma resposta a “desobediência” do deputado federal.

Molon gravou um vídeo nas redes sociais e agradeceu o apoio dos eleitores. Agora ele lançou uma segunda meta, que é alcançar R$ 250 mil. Até o momento, o parlamentar conquistou 42% do seu objetivo.

“A nossa candidatura é a única que tem condições reais de derrotar o candidato do bolsonarismo, que é Romário. Para isso a gente vai precisar de mais recursos, para fazer bom material de campanha e organizar nosso comitê”, comentou.

Confira o vídeo:

Leia mais:  Decisão da 2ª turma do STF afeta outros três deputados do Paraná

Molon está em segundo lugar nas pesquisas eleitorais para o Senado no Rio de Janeiro. Foi por esse motivo que ele desafiou o PSB e manteve sua candidatura ao cargo, prejudicando o acordo entre o partido com o PT.

A sigla comandada por Carlos Siqueira garantiu que abriria mão da corrida eleitoral pelo Senado para apoiar André Ceciliano (PT), enquanto a agremiação de Gleisi Hoffmann não lançaria um nome ao governo do Rio para estar ao lado de Marcelo Freixo (PSB).

Entre no  canal do Último Segundo no Telegram e veja as principais notícias do dia no Brasil e no Mundo. Siga também o  perfil geral do Portal iG.

Fonte: IG Política

Comentários Facebook
Continue lendo

ITURAMA E REGIÃO

POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

Mais Lidas da Semana