conecte-se conosco

Esportes

Agora é oficial: Robert Scheidt garante vaga em sua sétima Olimpíada e quebra recorde

Publicado

Perto de completar 47 anos de idade, o velejador Robert Scheidt confirmou, na quarta-feira, uma vaga na Olimpíada de Tóquio na classe Laser. Maior medalhista olímpico da história do país (são dois ouros, duas pratas e um bronze), ele está em 29º lugar no Campeonato Mundial, que está sendo realizado em Miami, nos Estados Unidos, mas já confirmou seu lugar em Tóquio 2020.

No ano passado, Robert Scheidt ficou em 12º lugar no Campeonato Mundial da classe Laser e conseguiu dar um passo gigantesco para a vaga olímpica, já que o índice técnico estipulado pela Confederação era ser top 18. Porém, ainda havia uma chance dele não se classificar: algum brasileiro ir ao pódio no Mundial de 2020, que está sendo realizado em Miami, nos Estados Unidos.

Além de Scheidt, o único brasileiro presente no evento foi Gustavo Nascimento, que está em 84º lugar não tem mais chances de ir ao pódio.

Leia mais:  LIMEIRA DO OESTE PREPARA MENINOS PARA SEREM ATLETAS VENCEDORES DE CAMPEONATOS E COMPROMISSADOS DE BOAS MANEIRAS E REGRAS

Assim, o veterano participará de sua sétima Olimpíada e quebrará um recorde, já que nenhum atleta do país na história competiu em tantas edições. A jogadora de futebol Formiga deve igualar esse recorde, já que é um dos destaques da seleção brasileira que está classificada, mas ainda não teve sua convocação confirmada. Rodrigo Pessoa, do hipismo, e Jaqueline Mourão, do ciclismo, também brigam para chegar a tal número.

Robert Scheidt — Foto: DivulgaçãoRobert Scheidt — Foto: Divulgação

Robert Scheidt — Foto: Divulgação

A história olímpica de Robert Scheidt começou em Atlanta 1996, quando tinha apenas 21 anos, e foi campeão. Quatro anos depois, ficou com o vice-campeonato, mas voltou a ir ao lugar mais alto do pódio em Atenas 2004. Em Pequim 2008, com a prata, e Londres 2012, com bronze, conquistou medalhas em outra categoria, a classe Star.

Para a Olimpíada de 2016, voltou a velejar de classe Laser, que o consagrou, e acabou na quarta posição. Em 2017, tentou uma nova mudança de categoria, para a 49er, mas não obteve bons resultados, voltando à Laser em busca de sua sétima Olimpíada.

Leia mais:  A gastança ficou no passado: orçamento do Palmeiras prevê redução de custos e uso da base para ajustar contas em 2020
Por: GloboEsporte

Comentários Facebook
publicidade

CIÊNCIA E SAÚDE

Chuvas de verão: dez cuidados para quem pratica atividade física ao ar livre

Publicado

Choveu, e agora? As chuvas de verão, especialmente no sudeste do país, provocam o caos nas cidades despreparadas e atrasam os treinos de quem se exercita ao ar livre. Mas a chuva não precisa ser necessariamente um obstáculo para a atividade física, como ensina o educador físico Alisson Lopes. A ideia é encarar a meteorologia como mais um desafio do treinamento. Se não houver raios nem risco de alagamento, o negócio é malhar debaixo d’água. Mas é importante ressaltar que todo cuidado é pouco. Por isso, Lopes listou para o Eu Atleta dez dicas de cuidados e precauções que pessoas que praticam atividade ao ar livre devem ter sob a previsão de chuva.

– Não vejo nenhum problema quanto aos praticantes de atividades em outdoor se exercitarem na chuva, desde que tenham atenção a esses cuidados – comenta.

  1. Abrigo contra raios e relâmpagos – Se o temporal tiver raios, não permaneça em áreas abertas como campos de futebol e quadras de tênis e nunca se abrigue debaixo de árvores isoladas. Hora de abandonar os treinos. Assim como nos relâmpagos, já que o clarão é a luminosidade provocada por descargas elétricas; ou seja, é um sinal de alerta que recebemos e o praticante deve sim buscar proteção imediatamente.
  2. Tênis com solado adequado – Para corredores, é fundamental a escolha de tênis com solado apropriado para o asfalto liso. Sobretudo nos dias de chuva, para que não haja o encharcamento e cause desconforto na prática. Os tênis devem ser impermeáveis, com tratamento de aderência (DWR – Durable Water Repellent), ou possuir engenharia pensada para os dias de chuva. Use estas referências na hora da compra.
  3. Tipo de tecido – É importante ficar atento ao tipo de roupa. O ideal é vestir peças leves, feitas de material sintético (poliamida, poliéster), estilo dry fit perfurado, por exemplo, e evitar o algodão, pois molhado ele pesa demais. Utilizar bonés ou viseiras podem ser uma excelente estratégia também para evitar que a água toque nos olhos.
  4. Na piscina – Para os praticantes de atividades aquáticas, os cuidados devem ser redobrados em caso de tempestades com raios, pois em geral as águas utilizadas nas piscinas são cheias de íons, sais e componentes químicos que a tornam um potencial condutor de energia. Sendo assim, a recomendação é sair imediatamente da piscina e procurar abrigo seguro;
  5. Na trilha e na montanha – Praticantes de trilhas, trekking, escalada ou rapel devem, antes de tudo, acompanhar a previsão do tempo. Além disso, o ideal é marcar o horário de partida da aventura para o mais cedo possível. Se estiver em situação de risco e exposição a raios durante a trilha, procure se agachar e ficar em posição fetal, mas não deite no chão: nesta posição, agachado, apenas as pontas dos pés devem tocar o solo. Neste momento é importante não ficar em grupos grudados, mantenham-se afastados e tentem sair do cume o mais rapidamente possível. Os cuidados de quem escala são os mesmos de quem faz trilha, apesar de o nível de exigência da escalada ser maior.
  6. Na bike – Se estiverem pedalando em lugares de maior altitude, os ciclistas devem ir rapidamente para lugares mais baixos. Não é indicado que fiquem muito próximos uns dos outros. É importante usar roupas impermeáveis, e se possível sempre levar outras peças para manter a temperatura corporal. Uma jaqueta impermeável com capuz é sempre indicada.
  7. Na praia – Em dias de chuva, você pode correr na areia normalmente, exceto se houver relâmpagos e raios. Se vai nadar no mar aberto, precisa ficar atento às condições do mar e das marés. Se ela subir demais ou o mar ficar agitado, não de deve mergulhar ou nadar. Já os esportes de areia devem ser realizados após uma boa preparação dos músculos estabilizadores, principalmente das articulações dos tornozelos e joelhos. Em areias que são inclinadas, a coluna vertebral será demasiadamente exigida, o que não aconselhado para praticantes que buscam saúde.
  8. Banho quente ou frio? – Nos dias de atividade ao ar livre, se o praticante tomou aquele banho inesperado de chuva, trocando a temperatura quente do corpo pela da água fria, o ideal é chegar em casa e o quanto antes tomar um banho morno, para equilibrar a temperatura corporal;
  9. Vitamina para já! – A alimentação saudável é fundamental para os praticantes, sobretudo as vitaminas que reforçam o sistema imunológico, tais como: vitaminas A, B2/B6, a famosa vitamina C, entre outras;
  10. Em casa – Em dias de tempestades, com raios e alagamentos, até mesmo ir para a academia pode ser uma aventura. A prática mais segura, nesse caso, é a atividade física em casa. Lembre-se apenas de colocar um tênis, roupas leves e confortáveis e sempre contar com orientação profissional. Os praticantes em residência, que a cada dia tem seu número aumentado, devem procurar um profissional de Educação Física formado e que tenha experiência em atendimento personalizado presencial e online, que possa tirar dúvidas, acompanhar e monitorar mesmo que à distância. Evitar aplicativos mecânicos, robotizados.
Leia mais:  Moenda e Tratos ADM são os vencedores do campeonato entre colaboradores das Usinas Coruripe e Vale do Pontal
Por: GloboEsporte

Comentários Facebook
Continue lendo

Mais Lidas da Semana