conecte-se conosco


CIÊNCIA E SAÚDE

60% dos brasileiros apoiam ‘lockdown’, diz Datafolha

Publicado em

CIÊNCIA E SAÚDE

Pesquisa Datafolha publicada no final da noite desta terça-feira (26) pelo site do jornal “Folha de S.Paulo”, aponta que a maioria dos brasileiros é favorável ao “lockdown”, a quarentena mais radical contra a pandemia provocada pelo novo coronavírus.

Instituto ouviu 2.069 adultos por telefone celular na segunda (25) e nesta terça (26). A margem de erro é de dois pontos percentuais.

O Datafolha perguntou:

Você é a favor ou contra que o governo implemente um lockdown para diminuir a contaminação por coronavírus?

  • A favor: 60%
  • Contra: 36%
  • Indiferente: 1%
  • Não sabe: 2%

O apoio à ideia é maior no Nordeste: 69% são a favor do lockdown. Com 54% de apoio, a região Sul é a menos favorável.

Recortes da pesquisa

Por sexo

Mulheres

  • A favor: 68%
  • Contra: 29%
  • Indiferente: 1%
  • Não sabe: 2%

Homens

  • A favor: 52%
  • Contra: 45%
  • Indiferente: 1%
  • Não sabe: 2%

Por idade

16 a 24 anos

  • A favor: 72%
  • Contra: 27%
  • Indiferente: 0%
  • Não sabe: 0%

25 a 34 anos

  • A favor: 61%
  • Contra: 38%
  • Indiferente: 0%
  • Não sabe: 1%

35 a 44 anos

  • A favor: 56%
  • Contra: 42%
  • Indiferente: 0%
  • Não sabe: 2%

45 a 59 anos

  • A favor: 57%
  • Contra: 37%
  • Indiferente: 1%
  • Não sabe: 4%
Leia mais:  Mais de 50 autuações e notificações são registradas por descumprimento a decretos durante aniversário de Uberaba

60 anos ou mais

  • A favor: 57%
  • Contra: 37%
  • Indiferente: 1%
  • Não sabe: 5%

Por salário

Até 2 salários mínimos

  • A favor: 67%
  • Contra: 31%
  • Indiferente: 0%
  • Não sabe: 1%

Mais de 2 a 5 Salários mínimos

  • A favor: 54%
  • Contra: 41%
  • Indiferente: 1%
  • Não sabe: 3%

Mais de 5 a 10 salários mínimos

  • A favor: 50%
  • Contra: 47%
  • Indiferente: 2%
  • Não sabe: 1%

Mais de 10 salários mínimos

  • A favor: 47%
  • Contra: 50%
  • Indiferente: 1%
  • Não sabe: 2%

O instituto perguntou quanto tempo vai demorar para que o Brasil retome todas as suas atividades. As respostas:

  • Até 30 dias: 6%
  • De 30 a 60 dias: 9%
  • De 60 a 90 dias: 10%
  • De 90 a 120 dias: 8%
  • De 120 dias a um ano: 40%
  • Mais de um ano: 11%
  • Não sabe: 16%

Em função da pandemia, atualmente você…

  • Está saindo de casa só quando inevitável: 50%
  • Está tomando cuidado, mas ainda saindo de casa para trabalhar ou para fazer outras atividades: 35%
  • Está totalmente isolado, sem sair de casa de jeito nenhum: 13%
  • Está vivendo normalmente, sem mudar nada na sua rotina: 3%

De acordo com o Datafolha, mulheres saem menos, e 25% estão na categoria “me cuido, mas saio”. Elas também são mais favoráveis ao confinamento: 68%.

Leia mais:  Cidades de Minas vão receber R$ 100 milhões da União para acabar com lixões

Os que têm mais de 60 anos são os que mais ficam em casa o tempo todo: 21%.

Sem considerar as pessoas do grupo de risco, isto é, idosos e doentes crônicos, as outras pessoas que não estão no grupo de risco deveriam sair para trabalhar ou continuar em isolamento?

  • Deveriam sair para trabalhar: 52%
  • Deveriam continuar em isolamento: 46%
  • Não sabe: 2%

O Datafolha perguntou ainda o que é mais importante neste momento. As respostas:

  • Manter as pessoas em casa para impedir que o coronavírus ​se espalhe mesmo que isso prejudique a economia e cause desemprego: 65%
  • Acabar com o isolamento das pessoas em casa para estimular a economia e impedir o desemprego, mesmo que isso ajude a esp​alhar o coronavírus: 28%
  • Não sabe: 7%

Se não houvesse isolamento social com fechamento de serviços não essenciais, fechamento de escolas e outros, você acredita que o número de mortes no Brasil por causa do coronavírus seria maior, menor ou não mudaria?

  • Seria maior: 74%
  • Seria menor: 8%
  • Não mudaria: 17%

Comentários Facebook
Propaganda

CIÊNCIA E SAÚDE

Capacitação para agentes de endemias em Carneirinho

Publicados

em

Na manhã de hoje (22), os Agentes de Endemias da Secretaria Municipal de Saúde de Carneirinho participaram de uma capacitação de como usar como usar veneno pra matar as larvas em reservatórios e recipientes.

De acordo com o Diretor de Vigilância Sanitária e Epidemiologia, Fábio Souza Ribeiro (Fabio Caixeta), antes o produto utilizado era em pó e agora é em comprimido.

Comentários Facebook
Leia mais:  Incidência da covid-19 cai 23% em Minas e indicador de complicações pela doença atinge o menor patamar desde o início do ano
Continue lendo

ITURAMA E REGIÃO

POLICIAL

POLÍTICA

ECONOMIA

Mais Lidas da Semana